//

“Garras socialistas” nas televisões portuguesas em foco na imprensa espanhola

8

Tiago Petinga / Lusa

O primeiro-ministro, António Costa

“O controlo governamental estende as suas garras aos grupos de media”. É assim que o jornal espanhol ABC descreve o panorama televisivo português, numa clara alusão ao braço-de-ferro entre os grandes canais e o governo.

Numa altura em que se fala cada vez mais da “guerra de audiências” nos principais canais televisivos de Portugal, a imprensa espanhola parece estar atenta a outras questões dos media nacionais.

É esse o caso do ABC, que começa por dar conta da relação de parentesco entre o primeiro-ministro António Costa e o diretor da SIC, Ricardo Costa, dizendo mesmo que o canal do grupo Impresa está sob controlo dos ideaias socialistas que Costa representa como governante, mas que “estão subjacentes a toda a sua família”.

Os dois meio-irmãos ocupam atualmente cargos importantes no panorama político e social do país. Filhos do mesmo pai, o escritor Orlando da Costa, são filhos de mães diferentes. De acordo com o ABC, Costa “gaba-se de que sua relação com o meio-irmão não é fluida”, mas o jornal espanhol questiona se esta é uma justificação válida.

Segundo o jornal, o primeiro-ministro revelou que não mantém uma relação próxima com o seu irmão. “Estamos separados há sete anos e decidimos nunca mais falar sobre política ou jornalismo. Acho que é assim que garantimos que nossa vida profissional não interfira na vida pessoal”, cita o periódico espanhol.

O jornal espanhol considera que “a SIC é financiada anualmente pelo atual executivo”, que, relembra, chegou ao poder em dezembro de 2015 através de uma moção de censura contra o governo de Pedro Passos Coelho.

O fantasma dos ideaias políticos parece assombrar a conduta, supostamente imparcial, da SIC, salienta o ABC.

Entretanto, ainda antes da festa do Avante, organizada pelo Partido Comunista Português, a estação generalista foi acusada de querer “difamar” o evento, durante o Jornal da Noite, com uma capa falsa, supostamente do jornal The New York Times, na qual se lia “Portugal vai ter festa de suicídio coletivo chamada ‘Avante!’ com 33,000 visitantes”.

Esta foi a oportunidade de o PCP acusar a SIC de “anti-comunismo”, nota o jornal espanhol na sua crónica, assinada pelo seu correspondente em Lisboa, Francisco Chacón.

Um outro detalhe realçado pelo jornal espanhol dá conta de que Ricardo Costa esteve, durante a sua juventude, inscrito na campanha política do histórico dirigente socialista Mário Soares, que faleceu há pouco mais de três anos.

Contudo, diz o jornal, não é só a SIC que faz parte da rede de televisão marcada pelo domínio socialista. Além da RTP, canal estatal por definição controlado pelo Governo, também a TVI, grande rival da SIC na guerra pelas audiências, mantém ligações estreitas ao executivo de António Costa.

O ABC recorda que até há poucos dias, o grupo de media espanhol Prisa detinha 64% da Media Capital, proprietária do canal português, e que uma alarmante falta de liquidez a levou a alienar 41% das suas ações esta semana, por um valor de 36 milhões de euros.

“Parece suspeito” que um dos novos acionistas da TVI seja Mário Ferreira, que mantém uma relação de proximidade com Diogo Lacerda Machado, amigo íntimo de António Costa, diz o jornal espanhol, que realça que os dois embarcaram num cruzeiro de luxo em julho deste ano.

Parece assim, haver uma forte relação entre o poder político e os media portugueses — que se vangloriam do seu jornalismo isento e imparcial.

  ZAP //

8 Comments

  1. Esqueçam… A crítica tem pendor político-partidário. Carece de objectividade e isenção ideológica. O Jornal ABC é assumidamente um jornal de Direita. Estavam à espera do quê?.. Que não atacasse o Governo socialista Português? Tem pai que é cego…

  2. É curioso como os Espanhóis (eu também sou Espanhol) não conseguem arrumar a casa e opinam sobre os demais. Aquí o controlo é exactamente igual e com esta epidemia a censura aos que discordam é alucinante

  3. Vindo do ABC não seria de esperar outra coisa. Mais ridículo é quando se sabe das “cloacas do estado” e da vergonha que é o jornalismo em Espanha, onde vem logo à memória o infame Eduardo Inda. É de rir.

  4. Pago impostos em Portugal, mas sim sou espanhol nesta e noutras matérias que os socialistas corroboram para serem primeiros.

  5. O ABC falar dos media em Portugal??
    Hahahahaaa…
    Felizmente, neste aspeto, o panorama em Portugal é bem melhor do que em Espanha, e ver um artigo destes num jornal tão rafeiro como a ABC só pode ser mesmo para rir!!

  6. Seja o ABC ou o Pravda… Só não vê quem não quer.
    Não precisei que os espanhóis me viessem dizer isso.
    Pior cego é que o não quer ver.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.