“Gargalos” das rotas marítimas mais movimentadas do mundo podem ser autênticas armas geopolíticas

(h) Suez Canal Authority / EPA

O Ever Given, o navio encalhado no Canal do Suez, foi um lembrete do quão vulneráveis ​​são os “gargalos” das rotas marítimas mais movimentadas do mundo e das implicações que esta vulnerabilidade pode ter no futuro.

O incidente do Ever Given demonstrou como um único “gargalo” marítimo bloqueado pode ter consequências enormes. Tal como o Canal do Suez, o Estreito de Bab al-Mandeb, o Estreito de Malaca, o Canal do Panamá e o Estreito de Ormuz estão sob pressão crescente.

Os estreitos são vulneráveis ​​e mantê-los abertos é essencial para o comércio mundial. Segundo o El Confidencial, o direito de passagem pelo Canal do Suez para todos os tipos de navios de qualquer nação é garantido pela Convenção de Constantinopla de 1888, que proíbe bloqueios nas vias navegáveis.

No entanto, as crescentes tensões geopolíticas colocaram sérios desafios a esses acordos. Na prática, o perigo aumenta com a evolução de novas redes e interdependências que têm os seus próprios “gargalos” que os Estados podem transformar em armas geopolíticas.

O diário evidencia que, com o aumento das tensões geopolíticas, os Estados estão cada vez mais propensos a usar estes pontos de estrangulamento marítimo como armas para forçar outros a cumprir as suas exigências.

Este tipo de ação tem sérias consequências para todos os atores da rede global. Os Estados Unidos, por exemplo, têm-se mostrado cada vez mais assertivos na exploração da sua posição central no sistema financeiro internacional.

As sanções financeiras do país ao Irão tiveram graves consequências para as empresas europeias, colocando os Estados do Velho Continente na incómoda posição de não poderem proteger as suas empresas.

Mas os EUA não são o único ator capaz de controlar este tipo de redes para atingir os seus próprios objetivos: a rivalidade entre o país norte-americano e a China caminha para as passagens marítimas estratégicas.

A China quer melhorar a sua posição nas redes globais com uma estratégia de “dupla circulação”, isto é, construir cadeias de abastecimento totalmente domésticas e, ao mesmo tempo, conectá-las a empresas estrangeiras, aumentando a dependência das empresas ao mercado chinês.

Além de estar a expandir os seus serviços digitais e financeiros além do seu mercado doméstico, a China está a criar vínculos mais estreitos entre os países vizinhos e as redes chinesas, usando a Belt and Road Initiative (BRI) – a nova rota da seda da China – para exportar os seus padrões.

Acresce a esta estratégia a promoção de plataformas como o WeChat e a criação de uma moeda digital, semelhante à da Rússia.

À medida que os Estados Unidos e a China colidem, a competição entre estas duas grandes potências torna-se o principal motor destes desenvolvimentos.

A Europa é vulnerável a estas ameaças porque tem muito menos influência do que Washington ou Pequim nas redes globais.

Num futuro onde o uso de conexões de rede é uma arma para atingir objetivos políticos, os Estados tentarão forçar mudanças no comportamento de outros em troca de acesso a plataformas ou cadeias de abastecimentos.

Liliana Malainho, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Dezenas de pessoas" da comitiva de Putin infetadas com covid-19

O Presidente russo, Vladimir Putin, informou que dezenas de pessoas da sua comitiva testaram positivo para o coronavírus, doença que afetou mais de 7 milhões de habitantes no país. Putin entrou em isolamento no início desta …

Uber investe 90 milhões em novo ‘hub’ e sede em Lisboa e espera contratar mais 200 pessoas

A Uber está a investir 90 milhões de euros num novo ‘hub’ e sede de operações em Lisboa, hoje inaugurados, criando mais de 400 empregos diretos e pretendendo contratar mais 200 pessoas até final do …

Máscara nos espaços fechados e eventual terceira dose em massa - as conclusões da reunião no Infarmed

Terminou há momentos a reunião do governo com especialistas no Infarmed sobre o balanço da evolução da pandemia e as recomendações das medidas que devem ser adoptadas nesta nova fase. A reunião começou com as …

"Cruzeiro espacial" da SpaceX com quatro civis já está em órbita

Voo espacial terá a duração de três dias e cada um do seus tripulantes (quatro civis) terá uma tarefa na missão. Ainda assim, viagem tem um objetivo nobre e social. Passo a passo, Elon Musk parece …

Líder do PAN faz queixa no Ministério Público depois de ser ameaçada de morte

A deputada mostrou no Twitter o tipo de insultos e ameaças que tem recebido e avisa que não se vai calar ou permitir que o desrespeito continue. Inês Sousa Real foi insultada e ameaçada nas redes …

Árbitro foi muito "benévolo" com o FC Porto

O golo de Taremi e a expulsão de Mbemba originaram protestos portugueses. Os espanhóis têm uma visão diferente. O Atlético de Madrid-FC Porto contou com duas boas equipas em campo e uma "que esteve menos bem", …

Buraco na camada de ozono ultrapassa o tamanho da Antártida

A dimensão do buraco na camada de ozono no hemisfério sul ultrapassou o tamanho da Antártida, continente com cerca de 14 milhões de quilómetros quadrados, anunciou hoje o serviço europeu Copernicus, de monitorização da atmosfera. “O …

Políticos e especialistas querem legalizar canábis (com impostos para prevenir o consumo)

Um grupo de 65 personalidades, entre especialistas médicos e ex-ministros, apela à legalização da canábis, considerando que é a melhor forma de prevenir o consumo desta droga, nomeadamente através dos impostos aplicados ao sector. Esta carta …

Mais 1062 casos e seis mortes por covid-19. Internamentos continuam em queda

Há actualmente 497 doentes internados, menos 30 pessoas do que no último balanço. Mais seis pessoas morreram de covid-19 nas últimas 24 horas. Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais seis mortes e mais 1062 casos …

Crescimento sustentado da economia dá margem ao Governo nas negociações para OE

Governo tem a seu favor uma evolução positiva das receitas fiscais, o que lhe deverá permitir metas mais ambiciosas de redução do défice ou, em alternativa, assumir mais medidas com impacto negativo no orçamento. O crescimento …