/

Num lago francês, marinheiros aprendem como não ficar presos no canal de Suez

O Canal de Suez ficou ainda mais famoso nas últimas semanas, depois de o porta-contentores Ever Given o ter bloqueado durante quase uma semana, causando grandes interrupções e perdas.

A notícia chocou o mundo marítimo. Felizmente para as companhias de navegação, existem soluções preventivas para parar ou pelo menos minimizar o risco de navios enormes ficarem presos em canais complicados.

Uma dessas soluções pode ser encontrada num lago no leste da França, nas instalações de treino de Port Revel. Lá, capitães de navios e pilotos marítimos podem treinar ou aprimorar as suas habilidades de navegação sentando-se em pequenos navios replicados e navegando em pequenos canais.

O Port Revel oferece uma série de mini-rotas comerciais complicadas para os marinheiros navegarem, incluindo o Canal de Suez – construído a 1/25 da sua escala normal.

Outras vias navegáveis em miniatura incluem a Baía de São Francisco e Port Arthur, no Golfo do México.

Os marinheiros precisam de fazer os navios com contentores em escala navegar através destas vias navegáveis complicadas e, como se isso não bastasse, a instalação de treino também adiciona uma série de outros cenários da vida real à mistura, como fortes correntes subaquáticas geradas por uma máquina de ondas, bem como problemas técnicos como falhas de motor e problemas de direção.

O Port Revel oferece diversos pacotes de treino, com duração de dias a uma semana, além de criar pacotes personalizados.

O objetivo é preparar pilotos e capitães para enfrentar cenários do mundo real com confiança e conhecimento e para minimizar os riscos de possíveis bloqueios de canal, como aconteceu com o Ever Given no Canal de Suez.

Em declarações à agência Reuters, os proprietários das instalações disseram que viram um aumento no interesse após o incidente do Ever Given. “Depois de cada acidente, vemos novos clientes a chegar”, disse Francois Mayor. “O custo do treino em Port Revel não é nada como o custo de ter um navio como aquele preso durante um dia.”

A Autoridade do Canal de Suez calculou perdas entre 12 e 15 milhões de dólares (entre 10 e 12,8 milhões de euros) por cada dia que o Ever Given bloqueou a passagem marítima, gerando um grande engarrafamento.

Os proprietários do navio ainda não estão fora de perigo, uma vez que ainda terão de pagar mil milhões de dólares de indemnização antes de o navio ser libertado.

Mais de 400 embarcações de diferentes tipos chegaram a acumular-se no Mar Vermelho e no Mar Mediterrâneo a aguardar a possibilidade de atravessar o canal, por onde passa mais de 10% do comércio marítimo mundial.

  Maria Campos, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.