/

Navio encalhado no Canal de Suez custa 340 milhões por hora (e já fez subir preço do petróleo)

5

(dr) Twitter

Navio encalhado no Canal de Suez

Um navio porta-contentores encalhou no Canal de Suez depois de ter sido atingido por rajadas de vento, provocando a paragem da circulação marítima numa das rotas mais utilizadas do mundo, anunciou a companhia que opera a embarcação

Uma foto divulgada na terça-feira mostra o navio MV Ever Given, com pavilhão de Taiwan, com 400 metros de comprimento e 59 metros de largura atravessado no canal, impedindo o tráfego.

Uma equipa de peritos holandeses da “lendária” SMIT Salvage – que saltam de paraquedas para salvar navios e são especialistas em salvar embarcações durante tempestades violentas – já foram acionados para tentar remover o navio.

“O porta-contentores encalhou de forma acidental, provavelmente depois de ter sido atingido por uma rajada de vento”, disse à France-Presse a companhia Evergreen Marine Corp.

A empresa acrescenta que “está em contacto com as partes envolvidas, entre elas a autoridade que gere o Canal de Suez, para ajudar o navio o mais depressa possível”.

A agência Bloomberg indica que, após o incidente, mais de 100 navios ficaram a aguardar a possibilidade de passar pelo canal. “Houve um incidente, [o navio] encalhou”, disse à Bloomberg o diretor da BSM Hong Kong que gere o MV Ever Given.

De acordo com o portal de vigilância marítima Vessel Finder, o navio tinha como destino o porto de Roterdão, na Holanda e era proveniente da China.

“Os rebocadores estão neste momento a tentar fazer com que o navio volte a navegar”, disse a empresa Leth Agencies, que fornece serviços aos clientes que utilizam o canal.

O Canal do Suez, inaugurado em 1869, garante a passagem de 10% do comércio marítimo internacional.

Cerca de 19 mil navios utilizaram a passagem em 2020, de acordo com a Autoridade do Canal do Suez (SCA).

A passagem marítima é uma fonte de rendimentos essencial para o Egito, que beneficiou de 5,6 mil milhões de dólares em taxas, no ano passado.

Uma estimativa mostra que este bloqueio está a custar 340 milhões de euros por hora, com base em cálculos do Lloyd’s List, que sugerem que o tráfego marítimo para o oeste vale cerca de 4,1 mil milhões de euros por dia e o tráfego para o leste aproximadamente 3,8 mil milhões.

Por outro lado, o encalhe do navio no Canal de Suez criou novas dúvidas sobre o nível de oferta de petróleo a curto prazo e estimulou a cotação.

Os preços do petróleo, muito voláteis nas últimas sessões, registam uma forte subida, devido a receios quanto ao abastecimento de crude, numa altura em que o canal do Suez está bloqueado.

Às 16h10 de ontem (hora de Lisboa), o barril de petróleo do Texas (WTI) para entrega em maio subia para 60,72 dólares, uma valorização de 5,12% em relação ao preço de encerramento na terça-feira.

  ZAP // Lusa

5 Comments

    • Este Galambadas fez mesmo jus ao nome. Anda sempre à procura do esquema e do “acidente” e do cai algum para o bolso que isto andam todos ao mesmo. Ó Galambadas… nem todos são como tu. Mas que o teu ministro é como tu, ai isso é!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.