Afinal, o Furacão Maria causou mais de 4,6 mil mortes em Porto Rico – e não 64

NOAA / EPA

Furacão Maria

A passagem do furacão Maria, no ano passado, em Porto Rico, fez mais de 4.600 mortos, segundo um estudo divulgado esta terça-feira. O número é 72 vezes maior do que o divulgado pelas autoridades.

Uma análise estatística indica que o número de mortos em Porto Rico devido à passagem do furacão Maria pode ser superior a 4.600, numa altura em que o balanço oficial do número de mortos ainda é de 64.

“Os nossos resultados indicam que o número oficial é uma subavaliação substancial da verdadeira mortalidade causada pelo furacão Maria”, diz o estudo realizado pela Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard, em colaboração com as universidades Carlos Albizu e Ponce, em Porto Rico.

O estudo baseou-se numa pesquisa aleatória de 3.299 famílias em Porto Rico, cujos membros foram questionados sobre as mortes e as causas desses falecimentos entre a chegada da tempestade e o fim do ano.

A partir deste trabalho de campo, os investigadores constataram que, nos três meses seguintes ao furacão, a taxa de mortalidade na região aumentou 62% em comparação com os níveis registados no mesmo período de 2016.

Perante estas estatísticas, os investigadores estimam que mais de 4,6 mil mortes são resultados direitos e indiretos do pior desastre natural de Porto Rico dos últimos 90 anos.

Esttas mortes ocorreram entre o dia 20 de setembro, data em que a tempestade começou, e dezembro de 2017. Um terço das vítimas morreu devido a atrasos ou interrupções em tratamentos médicos.

Com rajadas de ventos de quase 250 km/h e fortes chuvas que causaram inundações catastróficas, a passagem do furacão, que oscilou entre as categorias 4 e 5 (a mais elevada) quando atingiu a ilha, deixou um rasto de destruição e dezenas de milhares de pessoas desabrigadas.

Muitos habitantes ficaram sem acesso a eletricidade, água, telefone ou transporte.

“A nossa estimativa é coerente com os artigos publicados na imprensa que avaliaram o número de mortes no primeiro mês após o furacão”, afirmam os investigadores no estudo publicado na revista científica The New England Journal of Medicine (NEJM).

As autoridades locais contabilizaram oficialmente 64 mortes relacionadas com o furacão, mas este número foi rapidamente contestado.

Em dezembro passado, já o The New York Times tinha analisado as certidões de óbito registadas em Porto Rico, tendo constatado que os dados indicavam que mais de 1.000 mortes tinham ocorrido nos 40 dias seguintes à tempestade.

Segundo o jornal, para integrar o balanço oficial do desastre natural, a morte tinha de ser confirmada pelo Instituto de Medicina Legal de Porto Rico, algo que se tornou difícil por causa da destruição das estradas e da escassez de transportes. Assim, as certidões de óbitos registadas nos meses seguintes não mencionavam necessariamente se as mortes estavam relacionadas com o furacão.

Os investigadores afirmaram que “os números servirão como um importante comparativo independente em relação às estatísticas oficiais de mortes registadas, que estão atualmente a ser revistas, e evidenciam a falta de atenção do Governo dos Estados Unidos às infraestruturas frágeis de Porto Rico”.

Nesse sentido, o estudo destacou que 83% das famílias entrevistadas ficaram sem acesso à energia elétrica durante os últimos três meses do ano passado.

Se estes dados forem confirmados, Maria teria provocado mais mortes que o Katrina, que arrasou Nova Orleães em 2005 e deixou um saldo de mais de 1.880 mortos.

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. As autoridades americanas a mostrar a sua “qualidade”!…
    E ainda havia quem se queixasse do numero de mortos nos incêndios em Portugal!…

    • Não perde uma oportunidade de criticar os Americanos pois não? Os EUA são o garante da Democracia Ocidental e se você não está bem vá pa venezuela (com inicial minúscula) ou pa rússia ou pa coreia do norte ou po raio que o parta mas deixe-nos em paz.

      • Não! Critico quem e quando acho que devo criticar!…
        E tu? Não perdes uma oportunidade para seres tosco, pois não?!
        Além disso, eu não critiquei os americanos, critiquei as autoridades americanas (que, no caso de Porto Rico, foram muito criticadas internamente e um pouco por todo o mundo – e com os resultados que se vão conhecendo)!…
        Mas, se não tens nada de útil a dizer sobre a noticia e te pões a comentar comentários (e, ainda por cima, queres calar a opinião dos outros – de forma estúpida, como se vê!), tu é que estavas bem nesses países!…

    • “Portantes”, afinal morreu pouca gente nos incêndios em Portugal. E “portantes”, a nossa protecção civil, as nossas autoridades, o nosso governo, os nossos ministros e os etceteras da tutela, as nossas hierarquias, toda a pandilha a quem injustamente acusaram de ter responsabilidade nas mortes, afinal essas têm “qualidade”. É isso, não é?

      • Não!!
        “Portantes”, continuas limitado e sem capacidade para interpretar o que está escrito (e em bom português)!…
        Senão, terias percebido logo que a comparação era sobre a polémica do numero de mortos provocado pelos incêndios, assim como noticia é sobre o numero de mortos provocados pelo furacão – a diferença é que a cá os números oficias estavam correctos e nos EUA falharam “apenas” por mais de 4500 mortos!…
        Percebido ou precisas de mais ajudas?!

RESPONDER

Uber cobrou 100 vezes mais a passageiros nos Estados Unidos

Vários passageiros da Uber nos Estados Unidos denunciaram que a empresa lhes cobrou 100 vezes mais do que o preço inicialmente apresentado na aplicação, noticia a BBC. A Uber já reagiu, dizendo que o problema …

Barbie alia-se à ESA para mostrar que as mulheres também podem ser astronautas

A Barbie e a Agência Espacial Europeia (ESA) deram as mãos para incentivar as crianças a tornarem-se na próxima geração de astronautas, engenheiras e cientistas espaciais, realçando as conquistas da única astronauta viva da Europa, …

Filho de Júlio Iglesias e portuguesa querem a sua parte da herança, que pode chegar aos 30 milhões

Agora que foi reconhecido, pelo tribunal, como filho de Júlio Iglesias, Javier Sánchez quer ter direito à sua parte da herança - 30 milhões de euros - e a uma indemnização por danos morais. Segundo divulgou …

Na terceira semana de julho contam-se cisnes no rio Tamisa (e é um assunto real)

Há vários séculos que contar cisnes no rio Tamisa é um assunto sério e real. Swan upping é o nome desta tradição que conta com a participação da coroa britânica. A tradição manda: na terceira semana …

Ciborgues vão dominar a Terra até ao final do século XXI, diz cientista

A ideia de que as máquinas com inteligência artificial irão coexistir, dominar ou até mesmo destruir a humanidade tem ganho destaque na ficção científica. Esta ideia está presente e tem ganho grande popularidade como, por exemplo, …

Concorrência acusa associações de anunciantes e de agências de publicidade de violarem regras de mercado

A Autoridade da Concorrência (AdC) acusou a Associação Portuguesa de Anunciantes (APAN) e a Associação Portuguesa de Agências de Publicidade, Comunicação e Marketing (APAP) "de limitarem o normal funcionamento do mercado ao estipularem uma regra …

Vídeo raro mostra últimos índios isolados da Amazónia para evitar um genocídio

Imagens da tribo isolada Awá, que não mantém contacto com o exterior e que está ameaçada pelo avanço dos madeireiros, na Amazónia, foram divulgadas pela organização não-governamental (ONG) Survival International como uma forma de alerta …

KLM citou estudo sobre lugares onde é mais provável sobreviver

Citando um estudo da Time, a companhia aérea KLM escreveu que "a taxa de mortalidade para os assentos no meio do avião é maior" e foi muito criticada. Após a polémica recente em que a tripulação …

Elefantes são os nossos aliados na luta contra as alterações climáticas

Os elefantes-da-floresta desempenham um papel importantíssimo na luta contra as alterações climáticas, nomeadamente no armazenamento de carbono. No entanto, a espécie está em vias de extinção. Isto de acordo com um novo estudo publicado esta segunda-feira …

Há uma nova pista no misterioso caso do desaparecimento de Emanuela Orlandi

Foram encontradas ossadas de dezenas de pessoas numa cripta junto aos túmulos abertos no Vaticano em busca de Emanuela, mas estes ossários deviam estar vazios. Foram encontrados milhares de ossos numa cripta que se pensava estar …