François Hollande não se recandidata e afasta-se da corrida

Parti socialiste / Flickr

O presidente da França, François Hollande

O presidente da França, François Hollande

O presidente francês, François Hollande, anunciou hoje que não se vai candidatar a um novo mandato no próximo ano.

“Decidi que não serei candidato”, disse Hollande num discurso à nação transmitido pela televisão.

Considerado o presidente mais impopular das últimas décadas no país, em recentes pesquisas sua aprovação girava em torno de 4%.

“Decidi não ser candidato à presidência, não vou procurar renovar o meu mandato”, disse Hollande, num discurso ao provo francês no Palácio do Eliseu.

O primeiro-ministro francês, Manuel Valls, provável candidato da esquerda contra Fillon e Le Pen, considerou que a renúncia do presidente Hollande em 2017 é “a decisão de um estadista“.

“É uma decisão difícil, ponderada, importante. É a decisão de um estadista. Quero transmitir a François Hollande a minha emoção, o meu respeito, a minha fidelidade e o meu afeto”, escreveu Valls em comunicado.

O chefe do governo francês anunciou no passado domingo a intenção de se candidatar às primárias do Partido Socialista.

Posteriormente, Valls afirmou que não ia concorrer contra Hollande.

Record de impopularidade

No seu discurso, Hollande realçou os muitos esforços que fez para manter as suas promessas pré-eleitorais, mas concluiu que cometeu alguns erros na forma como foram implementadas.

O chefe de Estado lembrou os desafios que o país enfrenta, em particular a ascensão da extrema-direita e a ameaça terrorista jihadista.

Hollande destacou o combate ao desemprego e a defesa das liberdades como êxitos de sua gestão.

“Digo-vos francamente: o maior perigo é o proteccionismo, é fechar-se em si mesmo. Esse será o maior desastre para os franceses”, declarou o presidente, um dos mais impopulares das últimas décadas.

Hollande presidiu à França num período em que o país sofreu vários ataques terroristas, incluindo os atentados de novembro de 2015 em Paris, que mataram 130 pessoas.

A eleição presidencial francesa está marcada para abril e maio de 2017.

É “lúcido no seu fracasso”, diz François Fillon

O candidato conservador à presidência de França, o ex-primeiro-ministro François Fillon, afirmou que a renúncia à recandidatura do atual chefe de Estado socialista mostra que François Hollande é “lúcido no seu fracasso”.

“O presidente admite, com lucidez, que o seu fracasso evidente o impede de ir mais longe”, escreveu Fillon na sua conta na rede social Twitter.

Posteriormente, Fillon emitiu um comunicado no qual assegurou que o mandato de Hollande termina “com a revolta política e a decadência do poder”.

“Mais do que nunca, a mudança política e a recuperação da França vão ser construídos sobre bases sólidas: a verdade, sem a qual não se pode ter a confiança dos franceses, e a ação corajosa, a única que pode obter resultados”, acrescentou Fillon, que se apresenta como favorito nas sondagens para ganhar as presidenciais em abril e maio próximos.

 ZAP / Lusa / Sputnik News

PARTILHAR

RESPONDER

Em 1950, a vacinação em massa salvou a Escócia

Em 1950, Glasgow, na Escócia, viu-se a braços com um surto de varíola e o cenário era muito semelhante ao que vivemos hoje: as autoridades sanitárias tentavam rastrear todos os contactos de pessoas portadoras do vírus, …

Japonês aluga-se a si próprio "para não fazer nada". E tem milhares de clientes

Um homem japonês que ganha a vida a alugar-se a si próprio “para não fazer nada” atraiu milhares de clientes. O negócio começou em 2018. Por 10.000 ienes (cerca de 79 euros) - mais despesas com …

Documentos de vacinas roubados por hackers também foram "manipulados"

A Agência Europeia do Medicamento, entidade reguladora da União Europeia (UE), informou este sábado que os documentos da vacina contra a covid-19 roubados e colocados na Internet por hackers foram também "manipulados". A manipulação aconteceu depois …

Há 11 anos que não se consumia tanta eletricidade num só dia. A culpa é do frio

O país está a bater recordes de energia, tanto em termos de pico como de consumo diário. A culpa é da vaga de frio que assolou Portugal neste Inverno. O consumo de eletricidade bateu, na quarta-feira, …

Dymka, a gata que perdeu as patas e recebeu próteses de titânio impressas em 3D

Dymka, uma gata russa, ganhou um novo estímulo na sua vida depois de um grupo de veterinários realizar uma cirurgia para substituir as suas patas por próteses feitas de titânio impressas em 3D. A universidade revelou …

Hélder Amaral: "O meu partido de sempre está a morrer"

Em declarações ao semanário Expresso, o antigo deputado do CDS-PP, Hélder Amaral, diz-se desiludido com o seu partido. O ex-deputado centrista Hélder Amaral, que foi também presidente da distrital de Viseu, não está feliz com o …

EDP antecipa pagamento a mais de mil fornecedores em Portugal e Espanha

A EDP vai antecipar o pagamento a mais de mil fornecedores, uma iniciativa que, à semelhança do que já aconteceu no último ano, irá manter-se para todos os pagamentos a fornecedores ao longo do primeiro …

Há centenas de pessoas em busca de tesouros que não existem na Índia (e a culpa é de um boato)

Moradores de pelo menos três vilas no distrito de Rajgarh, no estado indiano de Madhya Pradesh (MP), passaram a última semana à procura de um tesouro antigo que provavemente não existe. Centenas de aldeões estão a …

João Ferreira diz que Marcelo deixou jovens em situação de "vulnerabilidade" (e elogia lay-off a 100%)

João Ferreira criticou este sábado o atual Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa por deixar os jovens em situação de "vulnerabilidade". O candidato presidencial João Ferreira afirmou, este sábado, que o Presidente da República, Marcelo …

Marisa Matias critica que apenas 1% do orçamentado seja gasto com cuidadores informais

Marisa Matias, candidata presidencial apoiada pelo Bloco de Esquerda, criticou este sábado que apenas tenha sido executado 1% da verba prevista no Orçamento do Estado para 2020 para os projetos-piloto dos cuidadores informais. Os atrasos e …