França suspende entrega do primeiro navio de guerra Mistral à Rússia

A Presidência francesa anunciou esta quarta-feira a suspensão da entrega do primeiro navio de guerra Mistral à Rússia, prevista para outubro, afirmando que as condições para a autorização “não estão neste momento reunidas”, numa referência à crise ucraniana.

Face à situação na Ucrânia, qualificada como “grave”, o “Presidente da República concluiu que, apesar da perspectiva de um cessar-fogo, que precisa ainda de ser confirmado e implementado, as condições para que a França autorize a entrega” à Rússia “do primeiro navio de guerra Mistral não estão neste momento reunidas”, referiu o Eliseu, sede da Presidência francesa, em comunicado.

“As recentes ações da Rússia no leste da Ucrânia contrariam os fundamentos da segurança na Europa”, acrescentou a mesma nota informativa.

As autoridades francesas, que têm estado sob forte pressão internacional, nomeadamente por parte dos Estados Unidos e do Reino Unido, para adiar a entrega do primeiro de dois navios de guerra a Moscovo, tinham rejeitado até hoje as críticas e afirmado que iam cumprir os termos do contrato.

O chefe da diplomacia francesa, Laurent Fabius, chegou a sublinhar que “os contratos assinados e pagos eram para honrar”.

A nova posição francesa em relação ao navio porta-helicópteros Mistral foi decidida durante um Conselho de Defesa, realizado na véspera da cimeira da NATO, que vai decorrer até sexta-feira em Cardiff, no País de Gales (Reino Unido), e algumas horas depois da divulgação de novas críticas norte-americanas.

“Esta venda não é bem-vinda tendo em conta o que se passa nesta parte do mundo”, declarou o embaixador dos Estados Unidos junto da União Europeia (UE), Anthony Gardner, diante do Parlamento Europeu.

O contrato firmado entre Paris e Moscovo, assinado em 2011, previa a entrega às autoridades russas de dois navios da classe Mistral (o “Vladivostok” e o “Sébastopol”) por um valor de 1,2 mil milhões de euros.

Em meados de agosto, o grupo público de armamento russo Rosoboronexport afirmou que Moscovo só previa efetuar o “pagamento final” a Paris após a entrega do segundo navio de guerra, prevista para novembro de 2015.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Ou seja a França iria ou irá mesmo vender navios de guerra á Rússia que um dia muito provavelmente irão matar soldados franceses, mas isso pouco importa pois carne para canhão há muita.

RESPONDER

Bactérias benéficas do leite materno mudam ao longo do tempo

De acordo com um novo estudo, a mistura de bactérias benéficas transmitidas pelo leite materno muda significativamente com o tempo. Este pode atuar como uma injeção de reforço diário para a imunidade e metabolismo infantil. Os …

Quando um tigre vale mais morto do que vivo: A sórdida realidade das quintas de procriação

Em alguns países asiáticos, quintas de procriação de tigres exploram até ao tutano o valor económico do animal, submetendo-o a condições de vida degradantes. Tigres já foram puderam ser encontrados em grande parte da Ásia, do …

Ana Estrada Ugarte. Em decisão histórica, Peru abre as portas à eutanásia

Numa decisão histórica esta quinta-feira, o 11.º Tribunal Constitucional do Superior Tribunal de Justiça de Lima, no Peru, ordenou ao Ministério da Saúde do país que respeitasse a vontade de Ana Estrada Ugarte de acabar …

Árbitros estrangeiros na próxima época? APAF recusa "atestado de incompetência"

A Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) tem a certeza de que o Conselho de Arbitragem (CA) não irá passar um "atestado de incompetência" aos árbitros portugueses, chamando estrangeiros para encontros de Ligas nacionais. Segundo …

Depois do desconforto que a série causou na Família Real, Harry defende "The Crown"

Durante uma entrevista a James Corden, para o programa americano The Late Late Show, o príncipe Harry defendeu a série The Crown da Netflix, explicando que embora não seja “estritamente precisa”, retrata a pressão da …

Benfica vai apresentar queixa por ameaças de morte a Vieira e vandalismo

O Benfica vai avançar com queixas devido às ameaças de morte ao presidente do clube em tarjas colocadas nas imediações do Estádio da Luz, mas também pela vandalização de várias casas benfiquistas. Segundo o jornal online …

Submarino civil transparente pode levá-lo ao local do naufrágio do Titanic

A Triton, uma empresa com sede na Florida, fabrica submarinos civis de última geração há mais de uma década. Agora, vai fazer nascer o Triton 13000/2 Titanic Explorer, que para além de oferecer aos passageiros …

Catorze detidos nos novos protestos em Barcelona a favor de Pablo Hasél

Pelo menos 14 pessoas foram detidas pela polícia catalã, este sábado, durante os distúrbios que se seguiram a mais uma manifestação em Barcelona a reclamar a libertação do rapper Pablo Hasél. Segundo o jornal Público, pelo …

Procuradores avançam para tribunal contra nomeações de chefias

O Conselho Superior do Ministério Público (CSMP) está envolvido numa nova polémica, depois do concurso que culminou na indigitação de José Guerra para a Procuradoria Europeia. Segundo avança o Jornal de Notícias, este domingo, um concurso para …

A partir de segunda-feira, eletrodomésticos vão ter novas etiquetas energéticas

As organizações não-governamentais ambientalistas saúdam as novas etiquetas energéticas, que entram em vigor esta segunda-feira, mas pedem “mais atenção” ao consumidor e “maior rapidez” na reclassificação de “mais produtos”. Em comunicado, a cooligação Coolproducts, um grupo …