França paralisada e em caos depois de oito dias de manifestações

Jeremy Lempin / EPA

Manifestantes em Paris, França, em confrontos com a polícia anti-motim na sequência de protestos contra a lei El Khomri

Manifestantes em Paris, França, em confrontos com a polícia anti-motim na sequência de protestos contra a lei El Khomri

Milhares de franceses estão nas ruas esta quinta-feira para participar em manifestações e piquetes de greve contra a alteração à lei laboral, que, segundo alegam, significa um atropelo aos direitos adquiridos.

A nova Lei do Trabalho, conhecida por “Lei El Khomri”, em referência nome da ministra do Trabalho, foi aprovada no início do mês, mas os sindicatos exigem que o Governo volte atrás, alegando que o diploma retira direitos e salários, aumentando a precariedade.

Apesar dos protestos generalizados dos trabalhadores, o primeiro-ministro francês, Manuel Valls, recusou esta quinta-feira retirar a reforma laboral, mas admite a possibilidade de introduzir algumas alterações pontuais sem modificar a filosofia geral do texto.

Numa entrevista televisiva, citada pelas agências de notícias internacionais, Valls considerou irresponsável a ação da Confederação Geral do Trabalho, que lidera o movimento contra o projeto de lei.

O primeiro-ministro assegurou ainda que vai continuar a ser desbloqueado o acesso às instalações petrolíferas e industriais que tinham sido encerrados por piquetes de greve.

Há registo de cortes de energia em França, em consequência das greves em curso.

Esta quinta-feira, a produção de energia sofreu um corte de mais de 4 gigawatts, cerca de 6% da produção total.

Continuam também em curso um bloqueio das refinarias, que tem provocado cada vez maior escassez de combustível nas bombas de abastecimento.

Segundo a União Francesa de Indústrias Petrolíferas, seis das oito refinarias do país estavam total ou parcialmente paradas.

Apesar do desbloqueio de onze depósitos por forças policiais, o acesso a muitos depósitos de combustível continuavam encerrados por piquetes de grevistas.

O Governo já teve de recorrer às reservas francesas de gasóleo e gasolina, mas a gasolina está a ser racionada.

A juntar às greves que afectam o sector energético, também os controladores aéreos estão parados, o que está a afectar os voos de e para o país.

A paralisação levou a Direção-Geral da Aviação Civil francesa a recomendar às transportadoras aéreas que reduzam 15% dos seus voos a partir do aeroporto de Orly. Segundo a entidade, são esperadas perturbações no resto do país.

Segundo a ANA – Aeroportos de Portugal – estão cancelados 3 voos com origem em Lisboa e dois com saída de Faro. No Porto, estão cancelados voos da Ryanair para Lyon e Dole.

Quanto às chegadas de voos oriundos de aeroportos franceses, encontram-se cancelados quatro voos com destino ao aeroporto de Lisboa e dois que deveriam aterrar no Porto.

Entretanto, esta quarta-feira os controladores aéreos franceses anunciaram a convocação de uma greve para os dias 3, 4 e 5 de junho para pressionar a negociação do acordo coletivo de trabalho.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Polícia britânica tingiu de negro uma lagoa azul para afastar visitantes

A Polícia britânica decidiu tingir de negro uma lagoa azul muito procurada na região de Derbyshire, visando assim afastar os visitantes e fazer com que estes cumpram o isolamento social exigido pelas autoridades para travar …

A maior cascata do Equador desapareceu repentinamente

A maior cascata do Equador, com cerca de 150 metros, desapareceu repentinamente por causa de uma dolina. Investigadores ainda não sabem se esta apareceu por causas naturais ou humanas. Em fevereiro, a cascata de San Rafael, …

Aprovada descida de 3% na eletricidade no mercado regulado

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) aprovou uma descida do preço da tarifa aplicada no mercado regulado de cinco euros por megawatt/hora (MWh). Contas feitas, trata-se de uma redução de aproximadamente 3% no total …

Turquemenistão proibiu o uso da palavra "coronavírus"

Enquanto o mundo luta para conter a propagação da pandemia de covid-19, no Turquemenistão os cidadãos podem ser presos só por dizerem a palavra "coronavírus". De acordo com a rádio NPR, que cita a organização não …

EDP oferece desconto de 20% a profissionais e organizações de saúde

Face à pandemia de covid-19, a EDP vai oferecer um desconto de 20% na fatura da eletricidade a profissionais e organizações de saúde, anunciou esta quarta-feira a empresa liderada por António Mexia em comunicado. “A …

Bill Gates deixa três recomendações para os Estados Unidos combaterem a pandemia

Num artigo publicado no jornal norte-americano Washington Post, o fundador da Microsoft, Bill Gates, deixa três recomendações para os Estados Unidos combaterem a pandemia de covid-19, que já fez 43 mil mortes em todo o …

Comissão de Trabalhadores da TAP pede nacionalização da companhia

A Comissão de Trabalhadores (CT) da TAP reforçou esta quarta-feira o apelo para que a transportadora “se torne 100% pública”, depois de a empresa ter anunciado o lay-off da maioria dos trabalhadores, segundo um comunicado. No …

"Posso ir?" Há uma app que lhe diz como estão as filas nos supermercados

A comunidade tecnológica tech4COVID19 criou uma aplicação móvel que permite aos seus utilizadores consultar as filas e as afluências aos supermercados. A app, sob o nome "Posso ir?", pretende orientar os utilizadores nas idas aos …

Conte pede à Alemanha mais solidariedade europeia. “Se somos uma União, está na hora de o provarmos”

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, fez esta quarta-feira um apelo solene à Alemanha para que haja mais solidariedade europeia no combate à pandemia da covid-19, que está a afetar severamente o seu país. “Se somos uma …

Em França, Portugal é destacado como bom exemplo (mas também pela sorte da sua geografia)

Portugal tem "11 vezes menos mortes" do que Espanha, em proporção das respectivas populações, e parece estar a lidar melhor com a pandemia de Covid-19 do que o país vizinho. Esta é a conclusão de …