Fotografia revela que Amelia Earhart sobreviveu e foi presa pelos japoneses

NASA / Wikimedia

Amelia Earhart à frente do Lockheed Electra em que desapareceu, em 1937

Amelia Earhart à frente do Lockheed Electra em que desapareceu, em 1937

A lendária aviadora Amelia Earhart, que desapareceu há 80 anos numa viagem à volta do mundo, pode afinal não ter morrido nesse voo, como se acreditava. Segundo um documentário do canal História, há uma foto que prova que a aviadora sobreviveu à queda do avião e que acabou detida pelos japoneses.

Esta imagem é o centro do documentário do Canal História intitulado “Amelia Earhart: The Lost Evidence” (“Amelia Earhart: A prova perdida”) que vai ser exibido nos EUA no próximo domingo, dia 9 de Julho.

A foto, tirada numa doca, foi encontrada esquecida nos Arquivos Nacionais dos EUA e mostra uma mulher que se parece com Amelia Earhart, ao lado do que será o seu navegador, Fred Noonan, que fez a viagem com ela.

Especialistas forenses e de reconhecimento facial analisaram a fotografia e testemunham no documentário que ela é credível.

Entre os especialistas que participam no trabalho de investigação do Canal História está o ex-director do FBI e actual analista da NBC News, Shawn Henry, que há anos investiga o mistério do desaparecimento da aviadora.

Henry revela que encontrou a imagem num “outrora secreto” ficheiro da Marinha norte-americana. “Estava mal arquivada. Foi a única razão porque a consegui encontrar”, conta Henry no documentário.

Para este ex-especialista do FBI, a imagem “não deixa dúvidas de que são Amelia Earhart e Fred Noonan”, pelo que considera que “muda completamente a história” e prova que “ela sobreviveu ao seu voo e foi feita prisioneira pelos japoneses”.

O último registo de vida de Amelia Earhart data de 2 de Julho de 1937, a meio da viagem de avião em que tentava ser a primeira mulher a dar a volta ao planeta. Acabou por desaparecer misteriosamente e concluiu-se que se teria despenhado no Pacífico.

Nem o corpo da aviadora, nem o do seu navegador, foram encontrados. Mesmo assim, as suas mortes foram oficialmente declaradas em 1939, após longas buscas efectuadas no mar. Só em 2014 foi encontrado o primeiro fragmento do avião de Amelia Earhart, numa praia do Pacífico.

Mas esta nova fotografia parece indicar que Amelia Earhart sobreviveu. Além das figuras que se assemelham a Earhart e a Noonan, a imagem mostra o navio japonês Koshu a rebocar uma barcaça que os investigadores acreditam ter os destroços do avião.

“Acreditamos que o Koshu a levou para Saipan [nas Ilhas Marianas] e que ela morreu lá, sob custódia dos japoneses”, refere o produtor executivo do documentário do Canal História, Gary Tarpinian, citado pela NBC News.

A ideia de que Amelia Earhart foi capturada pelos japoneses não é nova, e surge em relatos antigos de nativos das ilhas da zona do Pacífico onde se deu a queda do avião. Uma dessas testemunhas, que dizem ter visto a aviadora e o seu navegador a serem retirados do local da queda e depois, em cativeiro, participa no documentário do História.

A investigação não conseguiu concluir se as autoridades dos EUA saberiam que era ela na foto que estava arquivada como “top secret”, mas admite que podem ter omitido a captura de Amelia Earhart.

A imagem pode ter sido tirada por espiões dos EUA no Japão, país onde as autoridades garantem que não há registos oficiais de que a aviadora tenha sido capturada.

Susana Valente SV, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Marinha dos EUA está a desenvolver drones para matar ovos em ninhos de pássaros selvagens

A Marinha norte-americana e a empresa Hitron Technologies uniram esforços para desenvolver um drone autónomo projetado especificamente para procurar e destruir o maior inimigo da Marinha: os pássaros. Os drones, que estão já a ser testados …

Cientistas criam hologramas que se movem pelo ar

Uma equipa de cientistas da Universidade Brigham Young, nos Estados Unidos, conseguiu desenvolver um holograma que projeta imagens em movimento. Se é fã de Star Treck, ficará impressionado com a mais recente inovação. Um grupo de …

Gangue detido por falsificar a especiaria mais cara do mundo

As autoridades espanholas detiveram um gangue que fazia milhões de euros por ano a falsificar a especiaria mais cara do mundo: o açafrão. Os 17 membros da quadrilha foram detidos na região de Castela-Mancha. Os criminosos …

Santuário medieval recebe escultura em pedra que usa máscara contra a covid-19

Uma catedral histórica do Reino Unido renovou um santuário do século XIV, acrescentando um detalhe que coloca em evidência o momento pandémico que o mundo vive. Agora, a nova escultura está a usar uma máscara …

Aos 10 anos, Adewumi chegou à elite mundial do xadrez (e fugiu ao Boko Haram)

Tanitoluwa Adewumi foi perseguido pelo Boko Haram, fugiu da Nigéria e foi sem-abrigo nos Estados Unidos. Agora, com apenas 10 anos, chegou à elite mundial do xadrez. Grande Mestre é um dos títulos vitalícios concedidos pela …

Hegemonia económica da China cada vez mais longe. Queda demográfica coloca Pequim sob pressão

O objetivo do país é tornar-se na maior potência económica do mundo nos próximos anos, mas a corrida pela hegemonia - disputada com os EUA - pode não ser uma meta fácil de alcançar. O …

Miss Universo 2021. Concorrente da Singapura usa roupa com o slogan "Stop Asian Hate"

Bernadette Belle Ong, uma concorrente do Miss Universo 2021, vestiu uma roupa com as cores de Singapura que continha as palavras Stop Asian Hate ("parem com o ódio contra os asiáticos"). Bernadette Belle Ong aproveitou o …

A Índia está a tornar quase impossível a vacinação dos sem-abrigo

A Índia está a dificultar o processo de vacinação dos sem-abrigo, uma vez que o programa requer um número de telemóvel e uma morada residencial. Muitas pessoas não têm nem um, nem outro.  Na Índia, quase …

Violência contra as mulheres é "uma pandemia", alerta ONU

Uma década após a criação da Convenção de Istambul, o marco dos tratados de direitos humanos para acabar com a violência de género, as mulheres enfrentam um ataque global aos seus direitos e segurança, alertaram …

Já se sabe qual a ocasião mais perdida do ano devido à pandemia (e há uma campanha para compensar)

Tomar um café com um amigo ou um familiar é o momento mais perdido do último ano devido à pandemia de covid-19. Nos últimos 12 meses, e em todas as cidades europeias, estima-se ter havido …