Fotografia da Rainha Isabel II removida da Universidade de Oxford devido à “história colonial”

(h) Buckingham Palace / EPA

Um grupo de estudantes da Universidade de Oxford removeu uma fotografia da Rainha Isabel II da sua área comum devido aos seus laços com a “história colonial”. A atitude gerou uma onda de controvérsia.

A imprensa internacional noticiou que que os alunos queriam remover a foto da rainha porque “para alguns alunos, as representações da monarca e da monarquia britânica representam a história colonial recente”.

A diretora do Magdalen College, da Oxford University, saiu em defesa do grupo de alunos que decidiu tirar da sua sala comum uma fotografia da rainha após o ministro da Educação do Reino Unido ter considerado a ação um “absurdo”, escreve o Huffpost.

Os membros do Middle Common Room (MCR), uma organização que junta alunos de pós-graduação do Magdalen College, votaram para remover a fotografia, que decorava a sua sala comum desde 2013.

Segundo a ata da reunião, citada pelo The Guardian, alguns alunos consideraram que imagens da rainha e da monarquia britânica “representam a história recente do colonialismo”.

Mattew Katzman, presidente do MCR, explicou ao The Telegraph que a decisão foi tomada com o objetivo de “deixar a sala comum neutra”.

Num tweet publicado esta terça-feira, o ministro da Educação britânico, Gavin Williamson, um dos muitos britânicos que criticaram a remoção da imagem de Isabel II, classificou a remoção da imagem como “simplesmente absurdo”.

“Ela é a chefe de Estado e um símbolo do melhor que o Reino Unido tem. Durante o seu longo reinado, ela trabalho incansavelmente para promover pelo mundo os valores britânicos da tolerância, inclusão e respeito”, afirmou o governante.

A resposta da diretora do Magdalen College, a advogada Dinah Rose, não tardou. Rose partilhou no Twitter “alguns factos” sobre o que tinha acontecido, explicando que a Middle Common Room é uma organização de alunos, que não representa a faculdade e que a decisão de tirar a fotografia da rainha é da inteira responsabilidade dos seus membros.

Embora a decisão tenha sido tomada apenas pelos alunos, a diretora do Magdalen College frisou que a faculdade “apoia fortemente a liberdade de expressão, o debate político e o direito do MCR à autonomia”.

Rose revelou ainda que membros da equipa da faculdade têm recebido “mensagens ameaçadoras e obscenas” e apelou a que os responsáveis por essas mensagens parassem.

Recentemente, a família real tem-se debatido com relatos de racismo após a entrevista do Príncipe Harry e Meghan Markle a Oprah Winfrey em março.

A duquesa de Sussex revelou que um membro da família real expressou “preocupações” racistas sobre a cor da pele de seu filho Archie antes do seu nascimento.

Por outro lado, no início do mês uma nova investigação do The Guardian revelou que o Palácio de Buckingham proibiu “imigrantes de cor ou estrangeiros” de servir em funções clericais na casa real até ao final dos anos 1960.

Ana Isabel Moura, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

E se o mundo entrasse em colapso? Cientistas descobrem qual o país onde há maior probabilidade de sobreviver

Caso a civilização entre em colapso - uma possível consequência das alterações climáticas - os cientistas já descobriram qual o lugar do mundo onde há maior probabilidade de sobreviver: é na Nova Zelândia. Numa pesquisa, dois …

"Dança quem está na roda", responde Marcelo sobre ausência de Bolsonaro

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse este sábado que "dança quem está na roda" quando questionado pelos jornalistas sobre a ausência do homólogo brasileiro, Jair Bolsonaro, da cerimónia de reinauguração do Museu …

Todos os anos, esta cidade italiana entrega sal ao Papa em mãos

O Sal de Cervia, também conhecido como "sal do Papa", é-lhe entregue todos os anos em mãos. A tradição sofreu algumas interrupções até ter sido recuperada pelo Bispo Mario Marini, que serviu no Pontificado de …

A colisão secreta entre navios soviéticos e britânicos podia ter tido um desfecho drástico

Colisão aconteceu durante um dos períodos mais quentes da Guerra Fria e foi camuflado pela marinha britânica, que tratou de fazer regressar a sua embarcação à base de Devonport durante a noite para evitar dar …

Esta garrafa de tequila demorou seis anos para ser desenvolvida (e contém ouro)

A Clase Azul Spirits é uma empresa que comercializa tequila e está a preparar uma edição limitada para homenagear o legado artesanal do México - de onde a bebida é originária. A 2 de agosto, a …

Covid-19. Milhares de franceses protestam contra passe sanitário

Milhares de pessoas concentraram-se este sábado em Paris para protestar contra o passe sanitário — certificado de vacinação contra a covid-19 que passa a ser obrigatório para entrar em vários locais —, tendo a polícia …

"Toque de Midas" científico. Químicos transformam água purificada em metal dourado

Esta nova descoberta ajuda a entender o estado de transição da água e pode vir a ser importante no estudo de planetas como Neptuno ou Urano. Numa experiência alucinante, cientistas conseguiram transformar água purificada num metal …

Dispositivo movido a energia solar vai transformar água salgada em potável no Quénia

Transformar água do mar em água potável é um processo muito caro e poluente, mas o Climate Fund Manager e a Solar Water Solutions querem mudar isso. A nova solução revolucionária tem uma pegada de …

EUA impõem sanções contra a Polícia cubana pela “repressão” dos protestos

Os Estados Unidos impuseram novas sanções à Polícia Nacional Revolucionária cubana e a dois altos funcionários da instituição, com o Presidente Joe Biden a admitir mais medidas caso não exista uma mudança “drástica” em Cuba. Questionado …

Aumento dos custos de produção. Depois da Unilever, Nestlé anuncia que vai subir os preços

A maior produtora de comida e bebidas do mundo vai aumentar os preços. A Nestlé justifica a decisão com a subida dos custos de produção das mercadorias e dos transportes. A empresa suíça revelou na Quinta-Feira …