/

Intenções de voto: Fosso entre PS e PSD cai drasticamente

António Cotrim / Lusa

O primeiro-ministro, António Costa, recebeu uma delegação do PSD, liderada por Rui Rio

As negociações do Orçamento do Estado para 2021 levaram a que o PS registasse uma descida nas intenções de voto e, pelo contrário, o PSD registasse uma subida.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Em apenas um mês e meio, período marcado pelas negociações do Orçamento do Estado para 2021, o fosso entre o PS e o PSD, no que toca a intenções de voto, caiu drasticamente. A distância entre PS e PSD passou de 13,7 pontos percentuais para 8,5 pontos, aponta a mais recente sondagem Aximage, realizada para o Jornal de Notícias e para a TSF.

A diminuição desta diferença deve-se não só a uma queda do PS nas intenções de voto, mas também a uma subida significativa do PSD. Os socialistas contam com 35,5% das intenções de voto, menos 2,1 pontos percentuais em comparação com a sondagem anterior. Por sua vez, os sociais-democratas registam 27% das intenções de voto, uma subida de 3,1 pontos.

Isto ocorre numa altura em que se negoceia o Orçamento do Estado para 2021. Embora tenha sido aprovado na votação na generalidade, o Governo tem sentido grandes dificuldades. Apenas foi possível chegar à discussão do orçamento na especialidade graças às abstenções de PCP, Verdes, PAN e das duas deputadas não inscritas. O Bloco de Esquerda chumbou a proposta do Governo.

É precisamente o Bloco que surge como a terceira força política com mais intenções de voto. Aliás, a atitude pouco tolerante dos bloquistas durante as negociações parece ter resultado a seu favor, já que as intenções de voto subiram de 8,3% para 10%.

Todavia, o Jornal de Negócios realça que o chumbo do BE à proposta do Governo só foi anunciado no dia 25 de outubro, um dia antes de estar concluído o trabalho de campo da sondagem.

A CDU subiu ligeiramente, passando de 5,6%, na última sondagem, para 5,7%. O Chega, de André Ventura, registou um decréscimo nas intenções de voto, passando de 6,8% para 5,4%. Os restantes partidos aumentaram todos neste período de mês e meio: o PAN chegou aos 5,2% (mais 0,4 pontos percentuais), a Iniciativa Liberal está com 3,2% (mais 0,6 pontos percentuais) e o CDS ficou-se pelos 1,2% (mais um ponto percentual).

Os votos brancos ou nulos perfazem um total de 6,4% das intenções de voto dos portugueses.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.