Fitch tira Portugal do lixo ao subir rating em dois níveis

A agência de notação financeira Fitch retirou Portugal do ‘lixo’ melhorando em dois patamares o ‘rating’ atribuído à dívida pública portuguesa, de ‘BB+’ para ‘BBB’, o segundo nível da categoria de investimento.

Num anúncio feito ontem, a Fitch sobe o ‘rating’ atribuído à dívida pública e coloca-o sob uma perspetiva positiva, o que significa que se deve manter assim.

A melhoria da sustentabilidade da dívida pública e a redução das vulnerabilidades externas foram os dois principais fatores chave para que a Fitch melhorasse o ‘rating’ atribuído a Portugal.

A agência de ‘rating’ afirma que a dívida pública deverá descer “mais de três pontos percentuais” do Produto Interno Bruto (PIB) este ano, ficando abaixo dos 127% do PIB, o que representa “a primeira descida” desde a crise das dívidas soberanas.

A Fitch entende que “a trajetória da dívida está numa tendência forte de descida” e que se vai manter no médio prazo, explicando que esta dinâmica favorável é conduzida “pela combinação de medidas estruturais, a recuperação cíclica e uma melhoria substancial nas condições de financiamento”.

A agência refere também a redução nas vulnerabilidades externas: “a balança corrente terá este ano o quinto excedente consecutivo apesar do forte crescimento da procura interna, que é balanceado pela melhoria estrutural na competitividade externa”.

Ainda assim, a Fitch alerta que a dívida externa líquida, a rondar os 90%, continua “muito elevada” comparando com outros países com classificação ‘BBB’, mas considera que a redução desse endividamento “está a progredir a um ritmo gradual”.

A Fitch destaca também a “melhoria significativa” na frente orçamental, estimando que o défice orçamental desça para 1,4% do PIB no final deste ano (depois de ter atingido 7,2% em 2015), a “forte recuperação económica” desde meados de 2016 e a “forte performance do mercado de trabalho” com a redução da taxa de desemprego para 8,6% em setembro.

“Apesar da forte performance nos trimestres recentes, a Fitch mantém a sua assunção de um crescimento potencial de médio prazo em torno dos 1,5%“, lê-se no relatório da agência.

Em relação à estabilidade financeira, a Fitch considera que a recapitalização da Caixa Geral de Depósitos (CGD) e do BCP e que a venda do Novo Banco “ajudam a mitigar os riscos”, alertando no entanto que o nível elevado de crédito não performativo (NPL, na sigla em inglês) “continua uma preocupação e uma limitação ao crescimento no médio prazo”.

Por fim, entre os fatores positivos está a melhoria das condições de financiamento, com a agência de ‘rating’ a estimar que a despesa orçamental com juros desça de 3,9% do PIB este ano para 3,6% do PIB em 2018.

A Fitch é a segunda das três grandes companhias de ‘rating’ internacionais a retirar Portugal da notação especulativa (ou ‘lixo’), depois de a Standard and Poor’s (S&P) o ter feito em meados de setembro passado. Apenas a Moody’s continua a atribuir uma nota abaixo do investimento a Portugal.

// Lusa

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Realmente… Este governo só tem feito mal ao pais… Chiça! MAs agora a sério… Bendita a hora em que a maioria parlamentar do actual executivo escorraçou a corja da PAF deste país. Para ser melhor, o actual Governo só precisava de resolver os problemas do taxchismo. De resto tem feito um excelente trabalho! Parabéns Geringonça (e eu que nem votei nela, mas o que me interessa é ver o país a melhorar).

    (3,2,1…) Contagem decrescente para comentários de gente que prefere o mal do próprio país do que reconhecer o mérito ao clube adversário do futebolismo partidário.

    • Que fracasso. Ninguém comentou. De qualquer forma aposto que nem sabe dizer o que é que o governo fez de jeito porque a realidade é que não fez nada a não ser aumentar os impostos, gabar-se e fazer umas quantas asneiras pelo caminho como pagar 200€ pelas perguntas certas. Suponho que tenha conseguido enganar os tolos. Entratanto a dívida vai subindo para variar. Enfim os portugueses têm o que merecem.

      • Fracasso nada… Comentou você que não resistiu. A minha previsão acertou. Então quer dizer… Você tem o que merece, já percebi. Eu da minha parte agradeço você dizer que eu mereço as melhorias que o país teve (reconhecido em todo o mundo menos no próprio Portugal dos pequeninos ressabiados de Direita).

        Já agora… quem aumentou os impostos foi o anterior governo, a começar pelo da restauração. Este Governo se aumentou alguma coisa foi salários e reformas. Os impostos diminuiu o da restauração, criou escalões mais justos para o IRS e abaixo de 600 e tal euros, deixou de se pagar IRS. Você não está bem…

      • Não sabe do que fala. Alguns impostos aumentaram de facto,como por exemplo dos combustiveis. Mas esse é só para quem anda de carro, não é certamente para que ganha o salário minimo. è preferivel aumentar esse imposto e aumentar os salários do que roubar nos salários e não mexer no imposto dos combustiveis, como fez o anterior governo que foi buscar tudo aos mais pobres e classe média, deixando os ricos intocáveis

RESPONDER

É preciso esforço grande agora para salvar o Natal, alerta Santos Silva

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, disse esta quarta-feira ser necessário “um esforço muito grande” para travar a propagação do coronavírus ” para salvar o Natal” das famílias dos cerca de 5 milhões …

"É uma treta". Ronaldo publica (e depois apaga) crítica a teste à covid-19

O futebolista Cristiano Ronaldo, capitão da seleção portuguesa, modificou a publicação efetuada esta quinta-feira no Instagram, tendo retirado a frase “PCR é uma treta”, em referência ao teste de despiste à presença do novo coronavírus. Um …

PSD confiante em geringonça, mas Ventura lembra que não tem "duas caras". Carlos César quer PS no poder

Com a solução governativa dos Açores em aberto, André Ventura já disse que está fora de questão integrar uma geringonça com "partidos do sistema", mas admite viabilizar um Governo do PSD na região com algumas …

Lage rasga elogios a João Félix. "Vai ser uma das referências do futebol europeu e mundial"

O antigo técnico do Benfica Bruno Lage teceu rasgados elogios ao internacional português João Félix, que esta terça-feira somou dois golos e fez uma boa exibição no jogo do Atlético de Madrid frente ao RB …

"Sentimo-nos em Itália". Médicos do Tâmega e Sousa contradizem hospital e reiteram situação de rutura

Médicos do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS) ouvidos pelo semanário Expresso reiteram que os hospitais que integram o centro, o de Penafiel e o de Amarante, se encontram perto da rutura, contradizendo a …

Vieira reeleito em votação histórica para o sexto (e último) mandato

O presidente do Benfica esta quarta-feira eleito para um sexto mandato, manifestou "orgulho" por vencer o ato eleitoral mais concorrido da história do clube e apelou a que os benfiquistas "respeitem os resultados" do escrutínio. "Vencer …

Bélgica anuncia confinamento parcial. Ministro visita hospital e mostra-se "chocado" com o que viu

O chefe do governo federal na Bélgica anunciou ontem novas medidas de confinamento que entraram em vigor à meia-noite em todo o território. Em causa está uma crescente preocupação com o aumento de infetados que, …

O caso mais antigo de osteopetrose foi descoberto no esqueleto de um homem da Idade do Ferro

Uma equipa de cientistas alemães descobriu o caso mais antigo conhecido de osteopetrose, ou doença dos "ossos da pedra", nos restos mortais de um homem de 20 anos da Idade do Ferro. A osteopetrose é uma …

Orçamento sem favas contadas. Governo depende mais do PCP (que aproveita para apertar o cerco)

A aprovação do Orçamento do Estado para 2021 na generalidade, que contou com o voto contra do Bloco de Esquerda e a abstenção do PCP, deixou o Governo mais dependente da apreciação final do documento …

Oito em cada 10 portugueses é a favor do recolher obrigatório. Metade rejeita novo confinamento

Uma sondagem da Aximage para o Jornal de Notícias e TSF concluiu que a maioria dos portugueses é favor de que Portugal adote o recolher obrigatório, mas é contra um novo confinamento. De acordo com a …