Físicos provam que é impossível arrefecer um objecto a zero absoluto

Os físicos Lluís Masanes e Jonathan Oppenheim, da Universidade College London, no Reino Unido, derivaram a terceira lei da termodinâmica a partir dos primeiros princípios.

Em janeiro, físicos do Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia dos EUA em Boulder, Colorado, conseguiram arrefecer um objecto para além do limite conhecido: menos de um quinto de um “quantum”, a energia contida num fotão. Mas uma equipa de físicos do UCL acaba de provar que atingir o zero absoluto é mesmo uma impossibilidade física.

Em 1912, o químico Walther Nernst propôs que arrefecer um objecto ao zero absoluto seria impossível com uma quantidade finita de tempo e recursos.

Hoje, essa ideia, chamada de Princípio da Inatingibilidade, é a versão mais amplamente aceite da terceira lei da termodinâmica, mas ainda não tinha sido provada a partir dos dois primeiros princípios.

Após mais de 100 anos, o resultado deste estudo finalmente coloca a terceira lei no mesmo nível que a primeira e a segunda, ambas já provadas. Para provar a terceira lei, os físicos usaram ideias da ciência da computação e da teoria da informação quântica – por exemplo, quanto trabalho e espaço é preciso para executar uma tarefa.

O estudo foi apresentado num artigo publicado na revista Nature.

“O objectivo principal da física fundamental é derivar todas as leis da Natureza, e descrever todos os fenómenos usando apenas um conjunto limitado de princípios básicos”, explicou um dos autores do estudo, Lluís Masanes, à Phys.org.

O que é preciso para arrefecer um objecto a zero absoluto — 0º Kelvin ou -273,15 °C? Os físicos mostraram que o arrefecimento de um sistema a zero absoluto exigiria uma quantidade infinita de trabalho ou um reservatório infinito.

Essa constatação está de acordo com a explicação física amplamente aceite da Inatingibilidade do zero absoluto: à medida que a temperatura se aproxima de zero, a entropia (desordem) do sistema aproxima-se de zero também – e não é possível preparar um sistema num estado de entropia zero num número de passos finitos.

O resultado levou os físicos a uma segunda pergunta: se não podemos alcançar o zero absoluto, então quão perto podemos chegar dele, com tempo e recursos finitos?

Os cientistas mostraram que temperaturas mais baixas podem ser obtidas com apenas um modesto aumento de recursos. Mas há limites. Por exemplo, um sistema não pode ser arrefecido exponencialmente rapidamente, uma vez que isso resultaria numa capacidade de calor negativo, o que é uma impossibilidade física.

Uma das melhores características dessa prova teórica é que ela se aplica não só aos grandes sistemas clássicos, com os quais a termodinâmica tradicionalmente lida, mas também a sistemas quânticos e a qualquer tipo concebível de processo de resfriamento.

Por esta razão, os resultados têm implicações generalizadas e aplicações práticas.

O arrefecimento a temperaturas muito baixas é, por exemplo, um componente-chave em muitas tecnologias, como os computadores quânticos e os sistemas de medições de alta precisão.

E entender o que é necessário para se aproximar do zero absoluto pode ajudar-nos a orientar o desenvolvimento e a optimização de futuros protocolos de arrefecimento para essas aplicações.

PARTILHAR

RESPONDER

SpaceX quer enviar mais 40.000 satélites para o Espaço

Depois de um primeiro lançamento em meados de maio, a Space X pretende agora colocar mais 30.000 pequenos satélites em órbita, revelam documentos apresentados pela empresa de Elon Musk às autoridades de telecomunicações. De acordo …

Bola de fogo que sobrevoou o Japão em 2017 é um fragmento de um asteróide que pode atingir a Terra

Na madrugada de 28 de abril de 2017, uma pequena bola de fogo passou pelo céu de Quioto, no Japão. Agora, graças a dados da SonotaCo, os invetivadores determinaram que a rocha espacial era um …

Cientistas produziram um processador quântico em larga escala feito apenas de luz

Uma equipa internacional de cientistas da Austrália, Japão e Estados Unidos produziu um protótipo de um processador quântico em larga escala feito apenas de luz laser. O mais recente processador quântico é baseado num projeto com …

FIFA investe 449 milhões de euros para desenvolver o futebol feminino

A FIFA anunciou que vai investir 500 milhões de dólares no desenvolvimento do futebol feminino. Em cima da mesa está uma Liga das Nações, um mundial de clubes e torneios para camadas jovens. A FIFA vai …

Escritor famoso escreve livro para ser lido apenas em 2114

O famoso escritor norueguês Karl Ove Knausgaard, autor de romances como A Morte do Pai e a Ilha da Infância, onde explora a sua história pessoal e o seu dia a dia, aceitou escrever um …

PS deverá aprovar recandidatura de Ferro à presidência da Assembleia da República

O Grupo Parlamentar do PS vai reunir-se na quinta-feira, com a presença do secretário-geral, António Costa, ocasião em que deverá aprovar a recandidatura de Ferro Rodrigues ao cargo de presidente da Assembleia da República. Fonte oficial …

Perito revela que arma que investigação diz que matou Luís Grilo foi adulterada

O perito que examinou a arma que, segundo o Ministério Público, António Joaquim usou para matar o triatleta Luís Grilo revelou hoje em tribunal que o revólver foi adulterado, não conseguindo garantir se essa foi …

Cientistas criam vasos sanguíneos artificiais funcionais

Cientistas nos Estados Unidos usaram impressão 3D para fabricar vasos sanguíneos funcionais que poderão vir a ser usados clinicamente em casos de doenças vasculares. O resultado das experiências é relatado num estudo publicado esta terça-feira no …

Ordem suspende durante seis meses obstetra do caso do bebé sem rosto

O Conselho Disciplinar do Sul da Ordem dos Médicos decidiu suspender preventivamente o obstetra envolvido no caso do bebé que nasceu em Setúbal com malformações graves. A informação foi avançada à Lusa por fonte oficial da …

A China está a criar porcos gigantes (tão grandes como ursos polares)

https://vimeo.com/368036025 Porcos tão pesados como ursos polares. Esta é a solução encontrada por produtores chineses de porcos que tentam resolver o problema da falta de carne no mercado, muito por culpa da gripe suína africana dizimou …