Filhotes de Chernobyl livres de radiação iniciam nova vida na América do Norte

Jorge Franganillo / Flickr

Cão em Chernobyl, Ucrânia

Cão em Chernobyl, Ucrânia

Pela primeira vez, um grupo de filhotes nascidos em Chernobyl, na Ucrânia, foi removido da zona de exclusão em torno da usina nuclear da cidade, cujo reator explodiu em 1986, causando um dos piores desastres nucleares da História.

Segundo relatou o BuzzFeed, alguns dos descendentes de cães que sobreviveram à catástrofe ambiental foram limpos da radiação e retirados de Chernobyl, sendo levados para os Estados Unidos (EUA) e para o Canadá, algo que era ilegal até 2018. Na cidade, é ainda proibido às pessoas permanecerem por mais de três semanas.

Quando as autoridades locais decidiram abrir uma exceção para filhotes, no ano passado, a organização Clean Futures Fund lançou um programa de adoção para encontrar novas casas para esses animais. Mais de 40 filhotes são elegíveis podem ser adotados e muitos já foram levados para os EUA, 14 dos quais para Nova Iorque.

Estes filhotes são os primeiros cães a deixar a área conhecida como zona de exclusão de Chernobyl, disse à CBS Sacramento Christine Anderson, que adotou um das cadelas resgatadas, em dezembro. Segundo contou, a cadela está “feliz e saudável”, apesar de manter alguns hábitos peculiares, que resultam, provavelmente, da tentativa de sobreviver num ambiente hostil.

“Ela gosta muito de se esconder e construir ninhos”, referiu Christine Anderson, acrescentando que a cadela pega em sapatos, roupas e qualquer outro objeto que encontre para criar pequenas barreiras em volta de si mesma. “Acho que isso a faz sentir-se segura”, acrescentou.

Embora algumas vozes se tenham pronunciado, alertando sobre os perigos de tocar nos cães de Chernobyl, o co-fundador da Clean Futures Fund (CFF), Lucas Hixson, afirmou que “é extremamente raro encontrar vestígios de radiação entre os animais”, estando os filhotes totalmente livres de radiação.

De acordo com o BuzzFeed, todos os cães são testados quanto à radiação, sendo coletadas amostras de sangue para análise. Na tentativa de reduzir a população de cães vadios, os animais mais velhos são esterilizados e castrados, enquanto os filhotes são tratados e levados para a cidade vizinha de Slavutych, de forma a receber treinamento.

Depois de tratados, os cães adultos são devolvidos ao local onde foram encontrados e os filhotes ficam em Slavutych, onde também vivem trabalhadores e voluntários.

Segundo Lucas Hixson, os cães da zona não vivem mais de seis anos – não por causa da radiação, mas por falta de comida e abrigo, especialmente no inverno. Ainda assim, alguns moradores adotam os animais errantes ou vão alimentando os filhotes.

Além do programa de adoção de filhotes, a CFF angaria fundos para esterilizar, neutralizar e vacinar os cães vadios de Chernobyl. A organização, que cria campanhas de ‘crowdfunding’ – numa das quais arrecadou 56 mil dólares (cerca de 49 mil euros) -, oferece igualmente assistência médica e outros serviços às pessoas afetadas pelo acidente.

Apesar do trabalho desenvolvido, Lucas Hixson contou que a organização recebe críticas constantes. Ao BuzzFeed, disse que a CFF já recebeu um e-mail onde eram acusada de receber dinheiro de George Soros, o bilionário húngaro que é alvo constante das teorias de conspiração de direita e anti-semita.

Para o co-fundador, isso faz parte do trabalho em Chernobyl – um local “cheio de história, emoção e equívocos”. Apesar dos frequentes comentários negativos, ele e o seu parceiro Erik Kambarian, que criaram a organização em 2016, continuam a trabalhar. “Sentimos que poderíamos fazer mais. Queremos um futuro melhor do que aquele em que vivemos”.

O acidente nuclear em Chernobyl causou 31 mortos, deixando centenas de pessoas doentes. Os primeiros socorristas morreram lentamente, com a pele a descascar, e as pessoas que viviam perto da usina desenvolveram cancro e problemas de saúde incuráveis.

De acordo com o artigo do BuzzFeed, as grávidas abortaram e os hospitais tornaram-se necrotérios, com “os ventos a espalharem a radiação através da União Soviética e depois para a Europa”.

Depois do incidente, soldados soviéticos evacuaram os moradores em autocarros, abandonando tudo, inclusive os animais. Os mesmos soldados acabaram por voltar, alvejando esses animais e enterrando-os em valas comuns, com receio que pudessem tentar seguir os seus donos e espalhar a radioatividade.

Muitos dos filhotes agora elegíveis para adoção descendem de cães que sobreviveram a esses massacres, a longos invernos e a animais selvagens. Outros entraram na zona de exclusão ou foram abandonados pelos donos.

Taísa Pagno, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Se quer um coração saudável, desligue a televisão e tome um bom pequeno-almoço

É conhecida como a refeição mais importante do dia e não é por acaso. Os hábitos de vida que seguimos diariamente têm um impacto direto na nossa saúde vascular. Numa investigação recentemente apresentada na reunião anual …

Determinada temperatura das bebidas que aumenta risco de cancro

Cientistas da Universidade de Ciências Médicas de Teerão publicaram novas provas sobre a relação entre o consumo de bebidas quentes e o cancro do esófago. De acordo com o estudo publicado na revista International Journal of …

Descobertos 83 buracos negros supermassivos no Universo inicial

Astrónomos do Japão, de Taiwan e dos EUA descobriram 83 quasares alimentados por buracos negros supermassivos no universo distante, numa época em que o Universo tinha menos de 10% da sua idade atual. "É notável que …

Joy Milne consegue cheirar a doença de Parkinson antes de ser diagnosticada

Atualmente, não existe nenhum teste diagnóstico definitivo para o Parkinson, mas isso pode mudar graças a Joy Milne, uma mulher que consegue detetar a doença antes que os sintomas apareçam. Parece demasiado bizarro para ser verdade, …

Filho de José Eduardo dos Santos libertado da prisão. Estava preso desde setembro de 2018

O antigo presidente do Fundo Soberano de Angola, José Filomeno dos Santos, que se encontrava em prisão preventiva desde 24 de setembro de 2018, encontra-se já em liberdade, disse hoje à agência Lusa fonte oficial. A …

Naufrágio no Nilo é a primeira prova de que Heródoto não estava a mentir sobre os barcos egípcios

Um navio naufragado encontrado no rio Nilo pode ter permanecido inalterado durante mais de 2.500 anos. Agora, está finalmente a revelar os seus segredos: cientistas pensam que este navio revelou uma estrutura cuja existência tem …

A gravidade influencia a maneira como tomamos decisões

Todo e qualquer organismo vivo na Terra evoluiu a longo de milhares de anos sob um campo gravitacional constante, com a gravidade desempenhando um papel fundamental no comportamento e na cognição humana. Um estudo recente publicado …

"Atentado" na Disneyland Paris era apenas uma avaria nas escadas rolantes

Por volta das 21h00 em Paris, produziu-se um movimento de pânico na Disney Village, no parque de diversões francês da Disney. Rapidamente se multiplicaram mensagens sobre um "atentado". Ao jornal belga DH, uma fonte afirmou que …

Cientistas alargam limites físicos do grafeno

Até onde vão os limites físicos do grafeno? Uma equipa de cientistas do Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), em Braga, respondeu a esta questão e desafiou-os. Uma equipa de investigadores dos Departamentos de Materiais Quânticos …

Ilusionista britânico diz que vai travar o Brexit com o poder da mente

Uri Geller é um ilusionista israelista, com nacionalidade britânica, que se tornou famoso nos anos 1970 em programas de televisão em que realizava demonstrações dos seus alegados poderes paranormais. Agora, Geller deixa um aviso a Theresa …