Fezes de chimpanzé ajudaram a “curar” as florestas tropicais africanas

Há cerca de 2.500 anos, os chimpanzés ajudaram a regenerar as florestas tropicais africanas após um grande colapso. Os animais espalharam sementes através das suas fezes.

A maioria das pessoas provavelmente pensa que a floresta tropical da África Central e Ocidental, a segunda maior do mundo, existe há milhões de anos. No entanto, estudos recentes sugerem que tem apenas cerca de 2.000 anos. A floresta atingiu aproximadamente o seu estado moderno após cinco séculos de regeneração depois de ter sido massivamente fragmentada quando a estação seca tornou-se repentinamente mais longa, há cerca de 2.500 anos.

Este processo não esteve associado aos seres humanos. A recuperação da floresta foi possibilitada por dispersores de sementes, incluindo chimpanzés, que ajudaram a espalhar as espécies de árvores da floresta tropical de crescimento mais lento através das suas fezes.

No entanto, estes animais agora estão agora ameaçados pela desflorestação e pela caça, geralmente para carne de animais selvagens. Quando combinada com as alterações climáticas, a resiliência das florestas tropicais parece menos garantida para o futuro.

Anteriormente, os cientistas acreditavam que os seres humanos eram os principais responsáveis pelo colapso das florestas de há 3 mil anos. Vários artigos indicavam a abundância de pólen da árvore do óleo de palma como um indicador da atividade humana.

Contudo, registos históricos da floresta tropical apontavam para a quase dizimação das florestas tropicais há cerca de 2.500 anos na Bacia do Congo e ao longo de uma enorme extensão que vai do Senegal ao Ruanda.

Como havia apenas evidências arqueológicas muito limitadas de populações humanas pouco dispersas, os humanos não poderiam ter sido responsáveis pela destruição quase síncrona numa escala tão grande.

Então, o que causou o colapso dessas florestas? Acontece que a resposta não é os humanos, mas sim as alterações climáticas.

Num estudo recentemente publicado na revista Global Planetary Change, uma equipa de investigadores usou os registos de vegetação disponíveis na África Central e Ocidental para mostrar que, aproximadamente há 2.500 anos, a duração da estação seca aumentou. As florestas tropicais tornaram-se altamente fragmentadas e surgiu a vegetação de savana.

Nos séculos que se seguiram, as florestas regeneraram-se espontaneamente, inclusive com espécies como o óleo de palma. O óleo de palma exige muita luz e, assim, prospera em áreas abertas e não no centro mais denso. Assim, muitas vezes atua como uma “espécie pioneira”, permitindo que a floresta volte a crescer.

Mas as sementes grandes do óleo de palma são pesadas demais para serem sopradas pelo vento. Portanto, precisaram de ser dispersas na fezes de animais, como os chimpanzés, capazes de engolir as sementes grandes e para os quais a polpa alaranjada brilhante pode ser uma parte importante da dieta. E foi assim que os chimpanzés tiveram um papel crucial na regeneração das florestas tropicais de África.

PARTILHAR

RESPONDER

Foguetão chinês regressou à Terra (e a maior parte desintegrou-se)

Um importante segmento do foguetão chinês desintegrou-se este domingo ao reentrar na atmosfera terrestre e caiu no oceano Índico, perto das Maldivas, anunciou a agência espacial da China. "De acordo com o percurso e análise, pelas …

"Se eu encaixar, eu sento-me." Os gatos adoram caixas ilusórias

Qualquer amante de gatos sabe que estes animais têm uma predileção inata por se sentarem em espaços fechados, mesmo que o espaço seja apenas um contorno bidimensional de um quadrado no chão.  Os cientistas analisaram esta …

Jet pack da Marinha britânica. Fuzileiros navais testam macacão Gravity em exercício de embarque

Quem melhor do que as organizações militares para testar e usufruir dos jet packs? A Marinha Real Britânica e os Fuzileiros Navais reais testaram um macacão a jato, desenvolvido pela empresa Gravity Industries. Esta semana, a …

Marés de Júpiter podem ajudar a perceber a história do Sistema Solar

Uma equipa de investigadores detetou uma pequena perturbação gravitacional em Júpiter. A descoberta pode ajudar a investigar o interior do planeta e perceber melhor a história do Sistema Solar. "Se você tentasse mergulhar em Júpiter, nunca …

Em 1925, "O Isolador" prometia bloquear qualquer tipo de distração

Procrastinar foi, é e sempre será um passatempo irresistível. Por isso, nos anos 20, houve quem apresentasse uma solução radical para evitar este problema: "O Isolador". De acordo com o site IFLScience, o chamado "Isolador" foi …

Seca no México revela uma igreja submersa há 40 anos

Uma igreja no estado de Guanajuato, no México, sobrevive entre a água e os peixes, como única testemunha de um povoado inundado por uma barragem há mais de 40 anos. Agora, devido à seca que …

Neymar prolonga contrato com o Paris Saint-Germain até 2025

O avançado internacional brasileiro Neymar renovou contrato com o Paris Saint-Germain até 30 de junho de 2025, informou hoje o tricampeão francês e vice-campeão europeu de futebol. “O Paris Saint-Germain tem o prazer de anunciar que …

Países usaram modelo do queijo suíço para conter a covid-19. Na Índia, alguns "buracos" eram demasiado grandes

A grande maioria dos países adotou a estratégia do queijo suíço para responder à pandemia. Na Índia, os "buracos" eram demasiado grandes em três das camadas mais importantes. Para responder à crise sanitária desencadeada pela covid-19, …

Primeira-ministra da Escócia declara que "haverá maioria pró-independência" no parlamento

A primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, declarou hoje vitória nas eleições regionais, afirmando que "haverá uma maioria pró-independência" no parlamento escocês. Com as projeções a indicarem que o Partido Nacional Escocês (SNP), que lidera, foi o …

SOS Rio Paiva pede que se limite o número de visitantes à ponte e Passadiços do Paiva

A associação SOS Rio Paiva manifestou-se preocupada com o aumento da pressão turística e com a poluição, na sequência da inauguração da ponte suspensa em Arouca, e pediu que se limite o número de visitantes. A …