/

Fenprof indignada com época de exames em Agosto sem aviso prévio

1

Wilson Dias / ABr

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) acusa o Júri Nacional de Exames (JNE) e o Ministério da Educação de “desrespeito” pelas escolas, professores e alunos, por marcarem,  sem avisar, época de exames em Agosto.

A marcação de uma época de exames de 10 a 19 de Agosto, sem se prever e só anunciada há dois dias, leva a que as escolas sejam obrigadas a interromper férias dos professores, afirma a estrutura sindical.

A Fenprof explica que a decisão do JNE foi aprovada na terça-feira e a informação chegou às escolas na quarta-feira, sem que as escolas tivessem sido antes informadas dessa possibilidade.

A época de exames destina-se a alunos que tiveram covid-19 ou que estiveram em confinamento por motivo da doença, ou os que apresentaram atestado médico para justificar a falta em época anterior.

A decisão implica que os alunos façam os exames onde se inscreveram, ao contrário de outros anos quando os alunos se concentraram só em algumas escolas.

A Fenprof diz que não é novidade uma época especial em Agosto, com os alunos concentrados em algumas escolas.

Contudo, a forma como o JNE e o Ministério agiram agora “revela mais um profundo desrespeito pelas escolas e a sua organização, pelos docentes”, mas também “por alunos e suas famílias que, em muitos casos, terão de interromper férias para a realização dos exames”, aponta a Fenprof em comunicado.

Em relação aos docentes, a Fenprof refere a lei para dizer que se forem interrompidas férias já iniciadas por exigências imperiosas do funcionamento do serviço, “têm direito a indemnização pelos prejuízos sofridos, designadamente de despesas já efectuadas”.

  ZAP // Lusa

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.