FC Porto condenado no caso dos emails. Vai ter de pagar 2 milhões ao Benfica

José Coelho / LUSA

Francisco J. Marques, diretor de Comunicação do FC Porto

O FC Porto foi parcialmente condenado no “caso dos e-mails”, tendo de pagar uma indemnização de cerca de dois milhões de euros ao rival Benfica.

O Jornal de Notícias, que avançou esta manhã a notícia, disse que o Tribunal Judicial da Comarca do Porto julgou parcialmente procedente o pedido do Benfica no chamado “caso dos e-mails”, que exigia uma indemnização de 17 milhões de euros.

FC Porto, FC Porto SAD e Francisco J. Marques, diretor de Comunicação do clube, vão ter de pagar uma indemnização de cerca de dois milhões de euros, que corresponde a 523 mil euros de danos patrimoniais emergentes e 1,4 milhões de danos não emergentes.

Além da indemnização, os portistas terão também de entregar toda a correspondência que têm em sua posse e ficam proibidos de divulgar publicamente o seu conteúdo.

De acordo com o diário, ainda haverá uma condenação em liquidação de sentença por causa dos segredos de negócio e os administradores da SAD – Pinto da Costa, Fernando Gomes e Adelino Caldeira – e a empresa Avenida dos Aliados foram absolvidos.

Entretanto, a sentença foi lida pelo juiz presidente do Tribunal Judicial da Comarca do Porto, José António Rodrigues da Cunha, confirmando os dados avançados pelo JN.

FC Porto vai recorrer da decisão do tribunal

Os azuis e brancos já anunciaram que vão recorrer da decisão do tribunal. Em comunicado, o FC Porto anuncia que “não se conforma com esta decisão, que penaliza a divulgação de informação que o próprio tribunal reconheceu como verdadeira, e por isso vai recorrer para o Tribunal da Relação do Porto.

“O FC Porto reitera que todas as divulgações efetuadas no Porto Canal foram sempre realizadas ao abrigo do direito à informação e da salvaguarda da verdade desportiva, à imagem do que tem sido feito por órgãos de comunicação social de prestígio de países civilizados, como é o caso da revista alemã Der Spiegel, e tendo em conta a jurisprudência dominante nas instâncias judiciais europeias em relação a estas matérias”.

Em causa está a divulgação de e-mails do clube lisboeta, inicialmente divulgados no Porto Canal pelo diretor de Comunicação dos portistas e que depois foram publicados em vários sites.

O Benfica imputou ao FC Porto responsabilidades por “danos de imagem”, causados pela divulgação dos e-mails, atribuindo ainda co-responsabilidades ao presidente do clube, aos administradores já referidos, ao diretor de comunicação e à FCP Média, empresa detentora do Porto Canal.

A SAD encarnada alegou ainda que a divulgação dos e-mails afetou a credibilidade do clube, prejudicando os seus interesses comerciais e chegando a provocar a queda de cotação das ações da SAD na bolsa.

O FC Porto alega que se limitou a divulgar informação de interesse público e que as mensagens de correio eletrónico em causa revelam práticas deturpadores da verdade desportiva.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Independentemente do que possa haver por detrás (e, enquanto benfiquista não sou ingénuo ao ponto de pensar que o glorioso é gerido só por impolutas virgens e que só os outros é que são vigaristas e corruptos) a divulgação de correspondência privada é crime.
    Se causou danos na reputação de uma instituição (qualquer que ela seja) e esses danos são susceptíveis de contabilização, então só há que punir a referida prática e garantir que não volta a acontecer.
    Se o FCP e o seu Director de Comunicação entendiam estar na posse de informação e indícios de práticas criminosas, só tinham que junto das autoridades entregar as provas e exigir que os indícios fossem investigados.
    Mas, isso talvez não desse jeito. Não dava jeito porque essas informações foram obtidas de forma criminosa; não dava jeito porque era mais conveniente truncar alguns documentos para reforçar a identidade e a coesão da turba; não dava jeito, porque o objectivo era desestabilizar de modo a impedir aquilo que caminhava para uma hegemonia, e a discrição da justiça não era compaginável com uma certa necessidade de espectáculo mediático.

    • Nem mais, caro Sykander, nem mais.

      Mas esta gente ainda se arma em vitimas e em anjinhos. Na perspectiva deles, violar, truncar, e divulgar correspondência alheia (e privada) não é crime, pois eles só queriam “divulgar informação de interesse público”. De interesse público seria punir seriamente os crimes que esse clube tem vindo a praticar ao longo dos últimos 40 e tal anos.

      Mas ainda a procissão vai no adro. Eles abriram a caixa de pandora e agora vão ter que arcar com as consequências.

      Aguardemos tranquilamente.

  2. Se de facto se se entende que houve acto ilícito na forma como os e-mails foram divulgados não obsta isto a que o conteúdo dos mesmos não mereçam investigação e juízo final o que parece estar cada vez mais distante de acontecer dando a entender haver preferência na caça ao denunciante em vez de se procurar caçar o infractor.

  3. Sou portista e entendo que o porto, ou quem violou a correspondência, sejam punidos. No entretanto falta a punição para o emissor dos e-mails. Que pelo que se sabe foi muito mais grave e ainda não teve punição. Não venham dizer que o Benfica nada tem a ver com os ditos. Só ganhou nesse período quatro campeonatos que foram limpinhos,limpinhos, e o que aconteceu aos padres??! Isto foi e é uma vergonha.

RESPONDER

Este ano não há São João nem Santo António. Festas populares canceladas em Lisboa e Porto

As Câmaras Municipais de Lisboa e do Porto resolveram cancelar as festividades de Santo António e de são João, respectivamente, por causa da pandemia de Covid-19. As marchas populares só voltam no próximo ano, com …

Sem ajudas do Governo, "não sei se os grandes vão continuar a ser grandes"

"É complicado encontrar soluções", assume o presidente do Marítimo numa altura em que o futebol está parado por causa da pandemia de Covid-19. A situação é "aflitiva" para muitos clubes, diz Carlos Pereira que acredita …

Governo dá tolerância de ponto nos dias 9 e 13 de abril

O primeiro-ministro assinou um despacho a conceder tolerância de ponto nos próximos dias 9 e 13, no período da Páscoa, a todos os trabalhadores que exercem funções públicas nos serviços da administração direta do Estado. “É …

Depois do papel higiénico, vendas de snacks e bebidas alcoólicas disparam

A Associação Espanhola de Supermercados fez um estudo sobre as alterações de consumo desde que foi decretado o estado de emergência. A procura por papel higiénico disparou meados de março, mas os produtos mais procurados …

Bloco quer proibir banca de distribuir lucros (e pede ajuda ao PSD)

O Bloco de Esquerda quer proibir os bancos de distribuírem dividendos em 2020 e pede ajuda ao PSD para o conseguir. Em videoconferência, Mariana Mortágua lançou um desafio ao líder social-democrata. O Bloco de Esquerda anunciou …

Ordens duvidam dos números de infetados (e admitem fazer o seu próprio levantamento)

Segundo os números anunciados na quarta-feira, havia 1.124 profissionais de saúde e oito deles estavam internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI). Mas estes números não convencem as Ordens. De acordo com o Observador, o bastonário …

Europa tem que ser o seu "próprio Plano Marshall". Centeno defende solução sem o "estigma" da austeridade

Mário Centeno continua a incentivar uma solução conjunta assente na ideia da solidariedade europeia perante "uma crise inesperada e sem precedentes" devido à pandemia de Covid-19. Como presidente do Eurogrupo, o ministro das Finanças de …

Há mais de 10 mil infetados em Portugal. DGS vai fazer testes de imunidade à população

O boletim epidemiológico da Direção-geral da Saúde deste sábado regista 10.524 casos de infeção por covid-19 em Portugal. Há mais 20 mortes, num total de 266 óbitos. Nas últimas 24 horas, até à meia-noite, foram registados …

Quase meio milhão de portugueses estão em lay-off. "Sistema é errado", diz Francisco Louçã

Uma semana depois de o Governo ter aberto a porta ao lay-off simplificado, mais de 22 mil empresas já recorreram a este novo regime. Atualmente, há 425.287 trabalhadores nessa situação. Francisco Louçã considera este sistema …

Costa "chocado" com caso da morte no aeroporto. Enfermeira, médico e polícias também investigados

Além dos três inspectores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) que são suspeitos de terem agredido um cidadão ucraniano, que acabou por morrer, também há outros elementos do SEF, um médicos e uma enfermeira, …