Exército sem candidatos suficientes para preencher 70 vagas

Miguel A. Lopes / Lusa

O Exército português abriu um concurso, em janeiro, para preencher 70 vagas para oficiais contratados. Pela primeira vez, não teve candidaturas suficientes: recebeu 145, quando devia ter recebido pelo menos 304.

De acordo com o jornal Público, o Exército abriu, em janeiro, um concurso para preencher 70 vagas para oficiais contratados, distribuídas por 18 especialidades, mas, pela primeira vez, não teve candidatos suficientes.

No total, foram recebidas 145 candidaturas (75 mulheres e 70 homens), mas eram necessárias pelo menos 304 para preencher as vagas. O Exército especifica ao jornal que, nos últimos três anos, o rácio de aprovação dos candidatos tem sido de apenas 23%.

Segundo o diário, o rácio de admissões é baixo, uma vez que agora os candidatos são sujeitos a várias provas de seleção, entre as quais físicas, psicológicas, médicas e entrevistas individuais.

As pessoas que se candidataram em janeiro podem vir a ser oficiais em regime de contrato com as patentes de aspirante, alferes ou tenente, recebendo no máximo 1843,56 euros. Se participarem em missões no estrangeiro, podem receber um acréscimo de 93,9 euros por dia. Já os paraquedistas têm um acréscimo mensal de 274,33 euros.

Esta falta de atratividade está a gerar preocupação no ramo. Segundo o Público, a 30 de novembro de 2019, o Exército tinha 12.563 efetivos, metade do que tinha em 2002.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. A notícia não corresponde à realidade do Exército, pois quem cumpriu Serviço Militar ou tem familiares ou conhecidos que seguiram a profissão de Militar, sabe perfeitamente que o Exército está prestes a implodir devido à falta de Praças (Soldados e Cabos).

    «…Segundo o diário, o rácio de admissões é baixo, uma vez que agora os candidatos são sujeitos a várias provas de seleção, entre as quais físicas, psicológicas, médicas e entrevistas individuais…»

    Mentira, sempre existiram provas de classificação e selecção bem como os respectivos testes médicos e psicotécnicos, que eram cumpridos à risca para o ingresso nas três classes (Praças, Sargentos, e Oficiais) embora a partir de 2008 até à presente data todos estes requisitos tenham vindo a ser completamente descorados.

    «…Esta falta de atratividade está a gerar preocupação no ramo…»

    Mentira, os ordenados são extremamente elevados e as condições são óptimas, quem não gostar deve mudar de profissão e dedicar-se a outra actividade, pois não tem perfil para ser Militar.

    O Exército, a Marinha, e a Força Aérea pagam bons e adequados salários como se pode ver nesta ligação:

    https://recrutamentomilitar.bud.gov.pt/carreira-e-remuneracao-exercito

    Para terminar deixo aqui a solução para resolver o problema da falta de Praças (Soldados e Cabos) no Exército e restantes ramos das FArm:

    Chamar os cidadãos que se encontram na Reserva de Disponibilidade e propor-lhes o reingresso nas fileiras com o posto com que saíram e se possível com a mesma especialidade, mas desta vez o contrato laboral tem de ser de longa duração.

    Os cidadãos na Reserva de Disponibilidade que tenham cumprido no mínimo 6 anos de contrato ou mais, têm de ter automaticamente preferência em relação a outros independentemente do nível de escolaridade, que deve ser de acordo com lei do ano/período em que nasceram, não podendo existir descriminação por causa das habilitações académicas.

    Os cidadãos na Reserva de Disponibilidade, devem ser chamados através de convocatória, que pode ser feita via postal, para se apresentarem voluntariamente nos locais destinados ao efeito e assim ser-lhes proposto o reingresso nas fileiras, ou então o processo deve ser publicado em Diário da República

    O problema que afecta as Forças Armadas (FArm) é geracional, e não é com homens e mulheres de 18/20 e poucos anos na Classe de Praças, com o 12º ano, licenciatura, mestrado, ou doutoramento, que a instituição irá resolver a questão da falta de efectivos nessa classe e cumprir a sua função e respectivas tarefas inerentes à estrutura.

    Outra questão preocupante que se tem vindo a desenvolver no seio das Forças Armadas (FArm), e que está a atingir proporções desmesuradas, é a indisciplina, mediocridade, e infantilidade na Classe de Praças por parte dos elementos que a constituem, onde se nota claramente que esses homens e mulheres para além de não terem perfil para a profissão, não têm qualquer gosto pela vida militar, e se isto acontece não tem nada a ver com baixos salários ou falta de condições.

    Chamem os cidadãos que se encontram na Reserva de Disponibilidade e os problemas das Forças Armadas (FArm) acabam.

    P.S.: Quem quiser ter uma noção da mediocridade, embrutecimento, estupidificação, e infantilidade a que chegou o Exército, basta ir às páginas da entidade no «facebook» e ver as publicações que lá estão e o tipo de linguagem/abordagem infantil e ridícula das mesmas.

  2. Boa noite
    Para se perceber este desinteresse e preciso entender o que é ser militar, o qual muito ne orgulho ao longo dos meus quase 40 anos de carreira militar.
    A questão é que ao poder político nao interessa resolver o problema senao vejamos.
    Um jovem que ingressena vida militar, em RC, que expectativas pode ter, se depois de cumprir um contrato de 6 anos, tem que vir embora?
    Imaginemos um jovem que ingressa aos 20/21 anos ao fim dos 6 anos de contrato tera no mínimo 26/27 anos.
    Porque é que nao se alargam as vagas de acesso a0 QP(Quadro Permanente)?
    Seja ao nivel de pracas, Sargentos ou Oficiais?
    Possivelmente aumentaria o nível de interese entre os jovens.

RESPONDER

Facebook promete investir 90 milhões para apoiar o jornalismo

A rede social Facebook prometeu esta segunda-feira investir 100 milhões de dólares (90 milhões de euros) na indústria do jornalismo. “O setor das notícias está a trabalhar sob condições extraordinárias para manter as pessoas informadas durante …

Covid-19 já faz estragos na indústria espacial. Concorrente da Space X declara falência

A empresa de satélites OneWeb, que tinha como objetivo ligar os lugares mais remotos do mundo à Internet, declarou esta sexta-feira falência depois de ter perdido um importante investidor por causa da pandemia de covid-19. …

CR7, Bernardo, Mourinho, Lage e mais 22 personalidades do futebol doaram 150 mil máscaras ao Hospital de Santo António

O agente Jorge Mendes juntou 26 personalidade do futebol, que vão desde jogadores, treinador e amigos, com o objetivo de dotar unidades hospitalares com materiais para combater a Covid-19. A iniciativa, que contou com a …

Italiana de 102 anos recuperou da covid-19. "Chamamos-lhe imortal"

Uma italiana, de 102 anos, recuperou da covid-19, depois de ter passado mais de 20 dias no hospital. Os médicos que a acompanharam vão agora estudar o seu caso. "Chamamos-lhe Highlander, a imortal", contou à CNN …

China já lucra com a Covid-19 (mas se a economia não engrenar depressa, pode nascer uma tempestade)

A China já está em fase de recuperação da Covid-19 e a economia do país dá sinais de vida, embora ainda longe dos patamares pré-pandemia. E o facto de o contágio continuar a alastrar por …

Cientistas de todo o mundo trabalham em 20 vacinas e 30 potenciais medicamentos

Cientistas em todo o mundo estão a trabalhar num total de 20 vacinas e 30 possíveis medicamentos contra o Covid-19, alguns dos quais já estão na última fase de testes antes da aprovação definitiva. De acordo …

Há uma vila na Lombardia sem infetados por Covid-19

Em Ferrera Erbognone, uma vila da Lombardia com mil habitantes e uma média de idades de 60 anos, ainda não se registaram casos de Covid-19, embora esteja no epicentro do surto em Itália. De acordo com …

Rei da Tailândia isola-se em hotel de luxo na Alemanha com 20 mulheres e vários servos

O rei da Tailândia, Maha Vajiralongkorn, decidiu isolar-se num hotel de luxo na cidade de Garmisch-Partenkirchen, na Alemanha, com a sua comitiva, que inclui um "harém" de 20 mulheres e vários servos. De acordo com o …

Rendas podem ser suspensas durante estado de emergência e mês seguinte

Empresas e famílias vão poder suspender o pagamento da renda nos meses em que vigore o estado de emergência e mês subsequente, de acordo com a proposta que cria um regime excecional de proteção aos …

Mais 11 pessoas detidas por desobediência. Número total sobe para 81

A PSP e a GNR detiveram até esta segunda-feira 81 pessoas pelo crime de desobediência no âmbito do estado de emergência iniciado dia 22 e decretado devido à pandemia de covid-19, anunciou o Ministério da …