Ex-socialista Manuel Valls excluído das listas de Macron (mas apoia por fora)

Ian Langsdon / EPA

O ex-primeiro-ministro francês Manuel Valls (esq)

O ex-primeiro-ministro francês Manuel Valls (esq)

O movimento político de Emmanuel Macron apresentou esta quinta-feira 428 candidatos da “maioria de mudança” às legislativas de Junho, lista que não inclui o ex-primeiro-ministro socialista Manuel Valls, que não cumpre os critérios definidos pelo movimento para os seus candidatos.

“Nunca um movimento político francês com 13 meses de existência teve a audácia de ter 52% dos seus candidatos civis, sem currículo profissional na política”, declarou o secretário-geral do movimento A República Em Marcha, Richard Ferrand, em conferência de imprensa. “A promessa de renovação está assim cumprida”, acrescentou.

O ex-primeiro-ministro Manuel Valls, que centrou as atenções nos últimos dias por abandonar o Partido Socialista para se juntar a Macron, não é candidato pelo A República em Marcha, por não cumprir os critérios definidos pelo movimento da “maioria de mudança”, mas foi encontrada uma solução de compromisso.

Manuel Valls “já fez três mandatos parlamentares” sucessivos, pelo que não pode candidatar-se pelo movimento, segundo uma regra “conhecida desde 19 de Janeiro”, definida para assegurar a renovação política.

Mas porque “não se fecha a porta na cara a um ex-primeiro-ministro“, o A República em Marcha não vai apresentar um candidato contra Valls na sua circunscrição de Essone, disse Ferrand.

“Estou determinado a envergar as cores do progresso, aqui, e de qualquer forma estarei envolvido na maioria presidencial“, disse Valls à televisão BFM-TV, explicando que vai candidatar-se para, mesmo sem integrar as listas de Macron, apoiar a política do novo presidente.

Os 428 candidatos apresentados hoje foram escolhidos entre “19.000 processos” de candidatura recebidos pelo movimento. Mais de metade (52%) são da sociedade civil, “no sentido de que nunca exerceram um mandado por eleição“, explicou Ferrand.

A lista obedece também a uma “real paridade”, com 214 candidatas mulheres e 214 candidatos homens.

A maioria (93%) trabalha, 2% estão à procura de emprego, 4% são reformados e 1% estudantes. A média de idades é 46 anos, a candidata mais nova tem 24 anos e a mais velha 72, precisou.

O movimento conta apresentar o resto das candidaturas mais tarde, para completar as 577 circunscrições, pois, segundo Ferrand, “é preciso dar espaço à recomposição em curso da paisagem política francesa”.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

BCP disponível para fusão com o Montepio

Na eventualidade de ser necessária uma intervenção, o Millennium BCP mostrou-se disponível para uma fusão com o Banco Montepio. Esta hipótese foi apresentada pela instituição bancária numa reunião com o ministro das Finanças, João Leão. O …

Otamendi mais 55 milhões. O negócio que pode levar Rúben Dias para o City

Rúben Dias está muito próximo de reforçar o Manchester City. O clube inglês oferece 55 milhões de euros mais Nicolás Otamendi em troca. A oficialização do acordo deve estar para breve. O Manchester City está muito …

Líbano: Após um mês no cargo, primeiro-ministro demite-se perante impasse político

O primeiro-ministro designado do Líbano, Mustapha Adib, demitiu-se este sábado do cargo numa altura de impasse político sobre a formação de Governo, um mês depois de ter sido nomeado e da violenta explosão no porto …

Governo joga últimos trunfos à esquerda (mas "na 25.ª hora pode ser PSD a salvá-lo" e esse é outro problema)

A duas semanas do fim do prazo para entregar o Orçamento de Estado para 2021 (OE2021), o Governo ainda não tem garantias de aprovação do documento. E enquanto Marcelo pressiona o PSD para "salvar" o …

-

Governo aponta para regresso progressivo de público aos estádios

O regresso de público aos estádios de futebol continua proibido, devido à pandemia de Covid-19, com o secretário de Estado da Juventude e Desporto a admitir esta sexta-feira a possibilidade de um retorno faseado quando …

Há escolas sem intervalos ao ar livre devido à covid-19

Há escolas que estão a proibir os alunos de passarem os intervalos ao ar livre por receio de contágio do novo coronavírus. O pediatra Hugo Rodrigues considera que "é um perfeito disparate". Como tal, os estudantes …

"Aumentar o salário mínimo é criminoso", diz presidente do Fórum para a Competitividade

Pedro Ferraz da Costa, presidente do Fórum para a Competitividade, antecipa uma onda de desemprego até ao final do ano, que muitas empresas não conseguirão manter a atividade e que aumentar o salário mínimo "é …

Segunda vaga impede mais de 12 milhões de consultas e cirurgias

O cenário de uma segunda vaga em Portugal é bastante provável e prevê-se que mais de 12 milhões de consultas e cirurgias fiquem por fazer. No melhor dos cenários, serão 10 milhões. Um estudo da Associação …

EUA pressionam Portugal: "Tem de escolher agora entre os aliados e os chineses"

O embaixador norte-americano em Lisboa defende que Portugal tem de escolher entre os “amigos e aliados” EUA e o “parceiro económico” China, alertando que escolher a China em questões como o 5G pode ter consequências …

MP acusa inspetores do SEF de homicídio de ucraniano no aeroporto

O Ministério Público vai acusar os três inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras que estão em prisão domiciliária, indiciados pelo homicídio do ucraniano Ihor Homenyuk no aeroporto de Lisboa. Bruno Sousa, Duarte Laja e Luís …