Ex-diretor revela carta que desmente Berardo sobre créditos na CGD

António Pedro Santos / Lusa

O ex-diretor das Grandes Empresas da Caixa Geral de Depósitos, José Pedro Cabral dos Santos

O ex-diretor de grandes empresas da CGD afirmou que José Berardo enviou uma carta dirigida a Carlos Santos Ferreira, ex presidente do banco, a solicitar a abertura do crédito de 350 milhões de euros para comprar ações.

Segundo o ex-diretor de grandes empresas da CGD, José Pedro Cabral dos Santos, a Fundação José Berardo enviou uma carta dirigida a Carlos Santos Ferreira, assinada pelo empresário, datada de 10 de novembro de 2006, em que solicitava a “concessão de linha de crédito” de 350 milhões de euros, com “a finalidade do financiamento” a ser a compra de “ações do BCP e de outras ações pertencentes ao PSI 20”.

José Pedro Cabral dos Santos revelou o conteúdo da carta na sua segunda audição na comissão parlamentar de inquérito à recapitalização e gestão da CGD, tendo a missiva sido despachada para Cabral dos Santos através do vice-presidente da CGD, Maldonado Gonelha, no dia 7 de dezembro de 2006.

Esta revelação, para Cabral dos Santos, contradiz as afirmações de José Berardo no Parlamento em 10 de maio, que tinha declarado que “foi a Caixa” que sugeriu os créditos para aquisição de ações no BCP, através de José Pedro Cabral dos Santos.

“Na audição de Berardo, foi dito que a CGD é que foi à porta de Berardo. Depois de consultar o seu advogado, Berardo disse o meu nome. Fui procurar evidências. Fui ao arquivo da Caixa e encontrei uma carta de novembro de 2006 assinada por José Berardo e dirigida a Carlos Santos Ferreira“, explicitou Cabral dos Santos.

Cabral dos Santos descreveu, então, que a operação prosseguiu o seu caminho mas não com as condições inicialmente desejadas por José Berardo, tendo acabado por ser aprovada em 28 de maio de 2007 sem aval pessoal do empresário, com um rácio de cobertura das garantias de 105% e com um ‘spread’ de 0,7%.

O antigo diretor afirmou aos deputados que no processo negocial com a Fundação José Berardo o banco público tentou encontrar um “meio termo” entre a primeira proposta da parte do cliente e as considerações da direção de gestão de risco.

Mais tarde, Cabral dos Santos disse que a carta “evidencia que há uma iniciativa da Fundação Berardo em consultar a Caixa”, e que nunca andou “a convencer ninguém para fazer investimentos mobiliários, fossem quais fossem”.

Em 2015, segundo uma auditoria da EY à Caixa Geral de Depósitos, a exposição do banco público à Fundação José Berardo era de 268 milhões de euros, depois de uma concessão de crédito de 350 milhões de euros para compra de ações no BCP, dando como garantia as próprias ações, que desvalorizaram consideravelmente e geraram grandes perdas para o banco público.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Costa quer fazer da Saúde a jóia da coroa da legislatura (e Centeno pode desempenhar funções importantes)

O programa eleitoral do PS foi este sábado aprovado, por unanimidade, no final da Convenção Nacional do partido, que decorreu em Lisboa. O programa eleitoral do PS para as legislativas de 06 de outubro foi apresentado …

Fogos na Sertã dominados. Chamas ainda descontroladas em Vila de Rei e Mação

O Comandante do Agrupamento Centro Sul da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, Belo Costa, disse esta manhã de domingo, que as Forças Armadas estão no terreno com máquinas de rastos, bem como a …

Cemitérios verdes. Especialista britânico sugere enterrar mortos à beira da estrada

O especialista britânico sugere que se use os espaços ao lado das estradas, ferrovias e passeios como "corredores funerários" amigos do ambiente. Uma vez que a ciência ainda não encontrou forma de nos tornar imortais, encontrar …

Consumo de proteínas e laticínios pode ajudar a reduzir risco de diabetes

Cientistas associaram um maior consumo de proteínas e laticínios a um menor risco de diabetes. Em contrapartida, alimentos ricos em calorias foram ligados a um maior risco de diabetes. A diabetes é um problema de saúde …

Médicos alertam: técnica de tapar a boca com fita-cola para dormir melhor é perigosa

Chama-se "buteyko" e consiste em encontrar formas de respirar melhor pelo nariz, entre as quais fechar a boca enquanto dormimos. A tendência está a gerar um debate entre os médicos, que consideram esta técnica perigosa. Foi …

Incentivos financeiros ajudam pessoas a deixar de fumar

Fumar mata um em cada dois fumadores ávidos, mas desistir leva a grandes melhorias na saúde, aumento da esperança de vida e poupança de custos com cuidados de saúde. Pagar às pessoas para pararem de …

Há uma coisa simples que podemos fazer para combater as alterações climáticas: falar sobre o problema

A preocupação com as alterações climáticas pode ser muitas vezes um fardo solitário, mas a verdade é que não precisa de ser assim. De acordo com um novo estudo, simplesmente falar sobre o assunto com …

Em busca das duas princesas alemãs. Vaticano analisa ossários após encontrar túmulos vazios

Os trabalhos começaram esta manhã no cemitério que fica dentro das muralhas do Vaticano e foram analisados os restos dos dois ossários, explicou o porta-voz interino da Santa Sé, Alessando Gisotti. Os ossários estavam perto dos …

Miguel Pinto Lisboa é o novo presidente do Vitória de Guimarães

Miguel Pinto Lisboa foi eleito, este sábado, o novo presidente do Vitória de Guimarães, avança a imprensa portuguesa. Os números ainda não são oficiais, mas as primeiras projeções indicam que o candidato de 47 anos da …

Incêndios em Castelo Branco e Santarém. Há quatro bombeiros feridos, um em estado grave

Dois incêndios em Castelo Branco estão a mobilizar mais de 500 operacionais e 15 meios aéreos. Há estradas cortadas e aldeias evacuadas. Dois incêndios em povoamento florestal, todos no distrito de Castelo Branco, um no município …