Ex-baronesa da droga da maior favela do Brasil inspira novela que bate recordes

Bibi Perigosa / Instagram

Bibi Perigosa foi casada com o “barão” do tráfico de droga na Rocinha, a maior favela do Brasil.

“Bibi Perigosa” foi casada com o “barão do pó” da Rocinha, a maior favela do Brasil, e inspirou a novela que, actualmente, recolhe maiores audiências no Brasil. A baronesa contou a sua história de redenção no livro que inspirou “A Força do Querer”.

“Bibi”, alcunha de Fabiana Escobar, de 37 anos, contou a sua história de arrependimento numa autobiografia chamada “Perigosa” que inspirou a novela “A Força do Querer”, da TV Globo, que também está a ser transmitida em Portugal, pela SIC.

A novela escrita por Gloria Perez tem a actriz Juliana Paes a fazer de “Bibi” e tem batido recordes de audiência, sendo já a mais vista desde 2012, segundo dados citados pela BBC Brasil.

Com final previsto para 20 de Outubro, no Brasil, a trama levou Fabiana Escobar a ser conhecida nacionalmente no seu país. Fabiana esteve casada com Saulo Silva, conhecido como o “barão do pó” da Rocinha, durante 14 anos, e aceitou o papel de baronesa, aproveitando os luxos que a actividade do marido lhe proporcionava.

O casal, que tem dois filhos em comum, manteve-se unido, mesmo após a prisão dele. Só terminou quando ela descobriu que o homem que se dizia apaixonado por ela a tinha traído com várias mulheres.

Na novela, ainda não se sabe se “Bibi” será ou não apanhada, pelas actividades ilegais que tem cometido, nem se terminará o casamento com “Rubinho”, o “Saulo” da ficção. Se fosse Fabiana a determinar o final, “mataria os dois”. “Porque essa é a história real, muita gente morre na guerra do tráfico e a Glória estaria a representar essas famílias, já que optou por mostrar como é a mão de obra do tráfico”, afirma em declarações à BBC Brasil.

Bonnie e Clyde

Na vida real, Fabiana Escobar, que actualmente sobrevive com os rendimentos de um imóvel na Rocinha e das vendas do livro, foi acusada de associação ao tráfico de droga, mas como não havia provas, nada aconteceu. Já Saulo está preso há dez anos.

O mesmo não aconteceu com Danúbia Rangel, mulher do traficante Nem, um dos envolvidos nos recentes confrontos violentos na Rocinha, que foi presa esta semana sob acusações de tráfico de droga, de associação com o tráfico e de corrupção.

Fabiana diz que as meninas da Rocinha e de outras favelas brasileiras continuam a envolver-se com bandidos porque se apaixonam por eles, ainda na adolescência, quando não sabem distinguir o certo do errado.

“O pobre está muito perto do rico”

A novela tem recebido algumas críticas de quem diz que a autora dá um certo glamour à vida do crime, principalmente exibindo “Bibi” a ostentar dinheiro e outros luxos, e a divertir-se em bailes funk, mesmo após ter cometido crimes – incendiou um restaurante e participou no tráfico de drogas.

Fabiana Escobar não concorda com essas críticas, notando que “o primeiro contacto de qualquer menina ou pessoa com o crime é de glamour. A parte má só aparece depois”, nota.

Para ela, a falta de maturidade dos adolescentes é um dos principais factores que leva à aproximação ao crime. “Eles não têm maturidade para esperarem as coisas acontecerem, trabalhar para ter algo”, aponta.

No Rio de Janeiro, diz, a proximidade entre a favela e a classe média alta só piora o cenário. “Porque aqui o pobre está muito perto do rico. Você está lá na praia com fome e vê o rico puxar uma nota de 100 reais e comprar camarão“.

Vida na Rocinha

Actualmente afastada do mundo do crime, Fabiana Escobar continua a viver na Rocinha e não tem planos para sair da favela, mesmo com os últimos acontecimentos de verdadeira “guerra civil”, com dois grupos rivais a disputarem o controlo do tráfico de droga.

“Estamos numa guerra psicológica. A qualquer hora vai haver uma guerra a sério. Mas eu não saio daqui”, garante à BBC Brasil.

“O recomeço da minha vida não foram flores, passei muitas dificuldades, tinha a polícia a bater na minha porta, mas não reagi com raiva”, refere a ex-estudante de Serviço Social na Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Esse controlo da raiva é para ela uma constante, “assim como um alcoólica tem que se controlar”, diz. O apelido “Perigosa” vem do temperamento irascível, mas Fabiana diz que, agora, “já discute menos”, embora continue a merecer o epíteto. “Mas sou perigosa para o bem”, conclui, entre sorrisos.

ZAP // BBC

RESPONDER

Além de um ícone da ciência, Marie Curie também foi uma heroína de guerra

Marie Curie foi, além de uma cientista conceituada, vencedora de dois prémios Nobel, uma filantropa que usou as suas competências na área da ciência para ajudar a salvar vidas na I Guerra Mundial. Se perguntarmos a …

Incêndios: Costa garante que "nada ficará como dantes", a ministra "não teve férias"

O primeiro-ministro pediu hoje consenso político para a aplicação das recomendações da comissão independente aos fogos de junho e prometeu que, no fim dos incêndios, o Governo assumirá totais responsabilidades na reconstrução do território e …

Mosteiro alemão com 900 anos vai fechar. Não há monges

Um antigo mosteiro na Alemanha, com quase nove séculos de actividade, está prestes a fechar as portas, devido a problemas financeiros e à escassez de monges. À medida que a Igreja Católica vê declinar significativamente o …

Furacão Ophelia com ventos de 150 Km/h faz três mortos na Irlanda

A Irlanda está em alerta vermelho com os ventos provocados pelo furacão a atingirem os 150 km/h. A tempestade provocada pelo furacão Ophelia causou esta segunda-feira a morte de três pessoas na Irlanda, segundo informações da …

Oposição venezuelana não aceita resultados das eleições regionais

O Conselho Nacional Eleitoral dá conta de que o PSUV, o partido no Governo, ganhou em 17 dos 23 Estados do país, nas eleições deste domingo. A aliança opositora venezuelana Mesa de Unidade Democrática (MUD) rejeitou, …

Número de mortos em atentado na Somália já ultrapassou os 300

O número de mortos do violento atentado terrorista registado no sábado em Mogadíscio, capital da Somália, já ultrapassou as três centenas, havendo, porém, a certeza que o total vítimas será ainda maior, indicou fonte médica …

Astrónomos detetam um novo tipo de ondas gravitacionais: "O princípio de uma nova era"

Segundo os cientistas, as novas emissões de radiação agora detetadas são consequência da fusão de duas estrelas de neutrões numa galáxia distante. Uma equipa internacional anunciou esta segunda-feira ter conseguido ver através da luz e das …

Sal no pão vai baixar ainda mais a partir de 2018

O teor de sal no pão vai baixar ainda mais a partir do próximo ano, de acordo com um protocolo que será assinado, esta segunda-feira, entre o Estado e a indústria da panificação e pastelaria. Segundo …

Falsos recibos verdes podem enfrentar "aumento de impostos desumano" em 2018

"Um aumento de impostos desumano", é o que antecipa o fiscalista Mendes da Silva sobre as mudanças no regime simplificado dos trabalhadores independentes, os chamados recibos verdes, que estão previstas no Orçamento de Estado para …

Bancos obrigados a comunicar mais cedo transferências para offshores

Os bancos serão obrigados a comunicar mais cedo à administração tributária a lista das transferências realizadas para contas sediadas em paraísos fiscais sempre que as movimentações ultrapassem os 15 mil euros. As declarações deveriam ser feitas …