/

Evergrande vende parte da participação em banco comercial a grupo estatal

Alex Plavevski / EPA

A construtora chinesa Evergrande anunciou, esta quarta-feira, a venda de 19,93% das ações do banco comercial Shengjing Bank a um conglomerado estatal, por 9993 milhões de yuans (1322 milhões de euros), numa altura em que regista falta de liquidez.

Em comunicado, enviado à Bolsa de Valores de Hong Kong, a Evergrande indicou que, após a transação, a sua participação no Shengjing Bank caiu de 34,5% para 14,57%.

A empresa chinesa vai transferir 1753 milhões de ações um preço unitário de 5,7 yuans (75 cêntimos de euro).

O dinheiro provavelmente não vai para a tesouraria da construtora, já que o Shengjing Bank exigiu que o lucro líquido que a Evergrande obtiver com esta operação pague as dívidas que tem com o banco.

O conglomerado que adquiriu a participação é identificado no documento como Shenyang Shengjing Finance Investment Group, um grupo estatal, formado por diferentes instituições da cidade de Shenyang – onde o banco tem sede – e da província de Liaoning.

O motivo dado para a transação são os “problemas de liquidez” da Evergrande, que “afetaram material e adversamente o Shengjing Bank”.

Em maio, o portal de notícias económicas Caixin informou que os reguladores bancários chineses estavam a investigar mais de 100 mil milhões de yuans (13.227 mil milhões de euros) em transações entre a Evergrande e o Shengjing Bank, que detém “grande quantia” de títulos da, até agora, sua principal acionista.

Embora a Evergrande tenha assegurado que todas as operações com o Banco Shengjing cumpriram os regulamentos estabelecidos, o vice-presidente da câmara de Shenyang pediu às empresas públicas da região que aumentassem “gradualmente” a sua participação na entidade, para “acelerar a sua conversão para um bom banco”.

No comunicado emitido esta manhã, a construtora garantiu que a entrada do grupo estatal vai “ajudar a estabilizar as operações do banco” e “aumentar e manter o valor” da participação que a imobiliária manteve.

A notícia foi bem recebida pelos investidores na Bolsa de Valores de Hong Kong, com as ações da Evergrande a subirem mais de 13,1%, na sessão da manhã.

A Evergrande, com um passivo total de cerca de 256 mil milhões de euros, tem de enfrentar hoje o pagamento de 47,5 milhões de dólares (40,6 milhões de euros) de juros sobre obrigações emitidas fora da China.

Na passada quinta-feira, terminou o prazo para o pagamento de 84 milhões de dólares (cerca de 71 milhões de euros) de obrigações também emitidas no estrangeiro.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

  // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.