EUA travam guerra secreta contra rebeldes do Iémen

Forças especiais dos EUA estão a ajudar a Arábia Saudita na guerra que o reino árabe trava com rebeldes muçulmanos xiitas, na fronteira com o Iémen. Uma intervenção que se desenrola com o maior dos secretismos, conforme revela o jornal The New York Times.

O Pentágono tem insistido que a intervenção militar, no âmbito da guerra entre a Arábia Saudita e os rebeldes hutis, se limita a operações de logística e de abastecimento de aeronaves, e a partilha de informações. Mas o The New York Times assegura que forças especiais dos EUA estão a ajudar os sauditas nos combates.

Estes militares norte-americanos não estão a actuar directamente no Iémen, estando localizados na fronteira daquele país com a Arábia Saudita. O seu papel é “ajudar a localizar e a destruir esconderijos de mísseis balísticos” usados pelos rebeldes para atacar Riade, a capital saudita, e outras cidades do Reino, conforme nota o NYT.

O jornal sublinha que estes rebeldes “não representam ameaça directa para os Estados Unidos” e lembra que “durante anos, o exército americano procurou distanciar-se de uma brutal guerra civil no Iémen”, que decorre desde 2014.

Naquele ano, as milícias hutis invadiram a capital do Iémen, Saná, derrubando o presidente Abdrabbuh Mansour Hadi que tinha chegado ao poder com o apoio da ONU e que era visto pelos EUA como um aliado na luta contra o terrorismo.

Estes rebeldes muçulmanos seguem uma corrente do islamismo que é conhecida por zaidismo e que impera entre um terço da população do Iémen. Eles assumiram o controlo de vários territórios do país, mantendo confrontos com as forças do Governo, mas também com outros grupos tribais e com militantes da Al-Qaeda.

Acredita-se que os hutis sejam financiados pelo Irão, o grande rival da Arábia Saudita e dos EUA na região.

Os sauditas estão em guerra aberta com os hutis desde 2015, e a sua intervenção no Iémen chegou a ser criticada pela administração de Barack Obama que impôs mesmo a interdição da venda de armas dos EUA aos sauditas.

Mas a chegada de Donald Trump à Casa Branca ditou uma reaproximação entre os EUA e a Arábia Saudita. Basta lembrar que a primeira visita oficial de Trump ao estrangeiro, após ter sido eleito presidente, foi precisamente a Riade.

Em Março passado, após um encontro entre o Príncipe regente Mohammed e Trump, o Departamento de Estado norte-americano aprovou a venda aos sauditas de 670 milhões de euros (mais de 559 milhões de euros) em material militar, incluindo mísseis anti-tanque e helicópteros.

SV, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Pela primeira vez, uma astronauta corrige página da Wikipédia a partir do Espaço

Pela primeira vez na história da Humanidade, a astronauta norte-americana Christina H. Koch fez a edição de uma página da Wikipedia na Internet a partir da Estação Espacial Internacional (EEI), enquanto orbitava o planeta Terra. A …

Rover Mars 2020 vai procurar fósseis microscópicos

Cientistas do rover Mars 2020 da NASA descobriram o que poderá ser um dos melhores locais para procurar sinais de vida antiga na Cratera Jezero, onde o veículo vai pousar no dia 18 de fevereiro …

MP quer passar a ouvir todas as crianças expostas a violência doméstica

A procuradora-geral da República quer que os magistrados do Ministério Público peçam sempre ao juiz de instrução criminal que as crianças expostas a violência doméstica sejam ouvidas em tribunal para memória futura. A procuradora-geral da República, …

Greta Thunberg no Parlamento entre final do mês e início de dezembro

A ativista sueca aceitou participar numa sessão na Assembleia da República, em Lisboa, promovida pela comissão parlamentar de Ambiente, Energia e Ordenamento do Território, que se realizará entre o final deste mês e início de …

Phineas Fisher. O "hacker fantoche" que está a pagar para piratearem bancos e petrolíferas

Phineas Fisher é um hackers mais infames do mundo e procura agora renovar esse estatuto ao oferecer 100 mil dólares a quem piratear instituições capitalistas, como bancos e empresas petrolíferas. O hacker ficou conhecido após ter …

Conselho Superior da Magistratura arquiva processo disciplinar a Carlos Alexandre

O Conselho Superior da Magistratura decidiu arquivar o processo disciplinar relativo ao juiz do Tribunal de Instrução Criminal por declarações sobre o sorteio da fase de instrução do processo Operação Marquês. "O plenário de hoje do …

Jardins e complexo de estufas descobertos num dos bunker de Hitler

Um grupo de especialistas descobriu jardins e um complexo de estufas, que serviu para cultivar legumes e frutas, num dos maiores quartéis generais de Adolf Hitler durante a II Guerra Mundial, o bunker conhecido como …

Ataque a Alcochete. Advogados pedem impugnação do auto de notícia da GNR

Uma discrepância nas datas de elaboração e de assinatura do auto de notícia que relata a invasão à academia do Sporting motivou, esta terça-feira, a apresentação de um requerimento de impugnação subscrito por vários advogados. No …

Japão diz que é seguro libertar água radioativa de Fukushima no Pacífico

O Ministério da Economia, Comércio e Indústria do Japão afirmou esta segunda-feira que é seguro libertar água contaminada de Fukushima no Oceano Pacífico, de acordo com o jornal local Japan Today. A central nuclear, recorde-se, sofreu …

Dez autarcas e quatro clubes entre os 68 acusados na operação Ajuste Secreto

O Ministério Público da Feira deduziu acusação contra 68 arguidos, incluindo dez autarcas e ex-autarcas, quatro clubes desportivos e os seus respetivos presidentes, no âmbito da operação "Ajuste Secreto". Numa nota publicada no seu site oficial, …