EUA retiram-se do Conselho dos Direitos Humanos da ONU

Justin Lane / EPA

Nikki Haley, embaixadora dos EUA na Organização das Nações Unidas

A embaixadora norte-americana na Organização das Nações Unidas (ONU), Nikki Haley, disse hoje que os EUA vão sair do Conselho dos Direitos Humanos da ONU, considerando que “não faz jus ao seu nome”.

Há um ano, Nikki Haley disse que os EUA só se iriam manter se a organização fizesse “reformas essenciais”, e agora considerou que está claro que esses apelos para mudanças não foram ouvidos.

Falando ao lado do secretário de Estado, Mike Pompeo, Haley criticou a presença no órgão de países como China, Cuba e Venezuela, que são eles próprios acusados de violação dos Direitos Humanos, acrescentando que o Conselho tem um “preconceito crónico contra Israel”.

Se o Conselho mudar, os EUA “regressarão com satisfação”, garantiu Haley.

O porta-voz da ONU, Stéphane Dujarric, interrogado antes da divulgação desta posição dos EUA, recordou que “o secretário-geral António Guterres é um adepto fervoroso da arquitetura dos direitos do Homem na ONU e na participação ativa de todos os Estados nesta arquitetura”.

Salvatore Di Nolfi / EPA

As cadeiras dos EUA no Conselho dos Direitos Humanos da ONU ficaram vazias

A organização de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch criticou a decisão norte-americana, considerando, em comunicado, que o Conselho dos Direitos do Homem da ONU tinha “desempenhado um papel importante em países como Coreia do Norte, Síria, Birmânia ou Sudão do Sul”.

Mas, deplorou, “Donald Trump só está interessado na defesa de Israel”.

Há mais de um ano que os EUA ameaçam abandonar o Conselho dos Direitos do Homem da ONU. Em meados de 2017, Haley apelou a uma reforma profunda do órgão principal do sistema da ONU em matéria de Direitos do Homem, criado em 2006 para substituir a Comissão homónima.

Desde então, está em curso uma reforma, mas mais para racionalizar o trabalho do Conselho do que para tratar de questões políticas. Os EUA, cujo mandato no Conselho acabaria em 2019, tinham reclamado que a exclusão de Estados membros que cometem graves violações dos Direitos do Homem fosse votada por maioria simples, e não por dois terços.

Também pretendiam um reforço do processo de seleção dos Estados membros. Os EUA queriam também que a questão dos “direitos do Homem na Palestina” não esteja sistematicamente na ordem do dia do Conselho.

Washington tem denunciado desde sempre o facto de Israel ser o único país do mundo com um ponto fixo dedicado na ordem de trabalhos de cada reunião, o ponto 7, o que acontece três vezes por ano.

Esta não é primeira vez que os EUA se ausentam do Conselho. Sob a presidência do republicano George W. Bush, boicotaram o Conselho desde a sua criação, antes de regressarem durante a presidência do democrata Barack Obama.

Desde a chegada de Donald Trump à Casa Branca, no início de 2017, os EUA retiraram- se da UNESCO, cortaram vários financiamentos a órgãos da ONU e anunciaram a sua saída do Acordo de Paris de combate às alterações climáticas e do acordo nuclear com o Irão apoiado pela ONU

// Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Concordo que saiam…
    Aliás se houvesse justiça deviam ser expulsos…
    Quando se mantem pessoas presas à quase anos sem acusação e sem direito a defesa que respeito à pelos direitos humanos?
    Quando se faz ataques/raides aéreos com o argumento de terrorismo e mata-se mulheres e crianças que respeito à pelos Direitos Humanos?

    • O grande sabichão sobre a “organização dos direitos dos MANOS!!!” e do Terrorismo!!!!! Claro os terroristas só matam Homens, as mulheres e crianças estão protegidas pela obra do espírito santo. Acorda pa….. de palermices está o mundo cheio….. A ONU ultimamente vem defendendo criminosos…. pelo menos pelas atitudes tomadas e “não tomadas”.

  2. Acho muito bem!!
    Finalmente os EUA tomaram uma atitude coincidente com a sua politica – se não querem saber dos direitos humanos, não faz sentido estar no Conselho dos Direitos Humanos da ONU!
    Agora, com este presidente, muito menos…
    Foi o TPI, a UNESCO, o acordo de Paris; agora são os direitos humanos… qualquer dia estão nível de países coma Arábia Saudita – que, só por acaso, faz parte da Conselho dos Direitos Humanos da ONU e nunca se ouviu uma palavra dos EUA contra isso… por que será?!
    E, claro que Israel é um exemplo na defesa dos direitos humanos!…

RESPONDER

Ruas de Águeda entre as "mais bonitas do mundo" para a CNN

As ruas do centro de Águeda, no distrito de Aveiro, decoradas com guarda-chuvas estão entre as 21 mais bonitas de mundo para a emissora norte-americana CNN. A distinção é avançada pelo jornal Público, que dá …

Hospitais vão poder pagar mais a médicos para garantir urgências no Natal

Os hospitais vão poder contratar médicos prestadores de serviço, vulgo tarefeiros, por valores superiores aos de referência durante o Natal e o Ano Novo. De acordo com o presidente da Federação Nacional dos Médicos, Noel Carrilho, …

Jovem que abandonou bebé no lixo esteve 13 anos institucionalizada em Cabo Verde

A jovem que abandonou o filho recém-nascido no lixo, em Lisboa, esteve institucionalizada durante 13 anos em Cabo Verde. A sua mãe está agora a lutar pela guarda da criança. Numa entrevista ao programa Sexta às …

Último debate. Boris defendeu o Brexit e Corbyn falou da Saúde (pelo menos 15 vezes cada um)

No debate televisivo, transmitido pela BBC, o último antes das eleições da próxima quinta-feira, Boris Johnson defendeu que é o melhor preparado para concretizar o Brexit e terminar com o impasse no processo, prometendo ainda …

No São José, há um doente numa cama 9 meses depois de ter alta. Não tem para onde ir

O Centro Hospitalar Lisboa Central tem diariamente uma média de 70 camas ocupadas com doentes que já deviam ter saído do hospital e há atualmente um caso que espera há nove meses por uma solução. Em …

Rio diz ser preocupante "notória desvalorização" que PS faz do ministro das Finanças

O líder do PSD disse, esta sexta-feira, ser preocupante a "notória desvalorização" que o Governo tem feito do ministro da Finanças, apontando como exemplo as novas regras de contratação nas PPP. "Temos assistido nos últimos dias …

Morreu a indiana que foi queimada quando ia a caminho do tribunal

A suposta vítima de violação, que foi incendiada a caminho de uma audiência de tribunal, morreu, esta sexta-feira, num hospital de Nova Deli. A mulher foi atacada por um grupo de homens na cidade de Unnao, no …

André Ventura avança com castração química para quem abusa de menores

André Ventura, líder e deputado único do partido Chega, entregou esta sexta-feira na Assembleia da República um projeto de lei que cria a pena acessória de castração química, agravando a moldura penal para os abusadores …

Centeno com apoios de peso para recandidatura ao Eurogrupo

Ao que tudo indica, o ministro das Finanças não deverá ter grande oposição em Bruxelas caso queira um segundo mandato como presidente do Eurogrupo. De Bruxelas chegam notícias de que Mário Centeno já terá apoios para …

Bruno Lage: "Respeito as opiniões, mas sou eu o treinador"

O Benfica venceu com uma goleada, esta sexta-feira, no terreno do Boavista (4-1) e aumentou provisoriamente para cinco pontos a vantagem sobre o FC Porto na liderança do campeonato. No final do jogo, o treinador do …