EUA retiram-se do Conselho dos Direitos Humanos da ONU

Justin Lane / EPA

Nikki Haley, embaixadora dos EUA na Organização das Nações Unidas

A embaixadora norte-americana na Organização das Nações Unidas (ONU), Nikki Haley, disse hoje que os EUA vão sair do Conselho dos Direitos Humanos da ONU, considerando que “não faz jus ao seu nome”.

Há um ano, Nikki Haley disse que os EUA só se iriam manter se a organização fizesse “reformas essenciais”, e agora considerou que está claro que esses apelos para mudanças não foram ouvidos.

Falando ao lado do secretário de Estado, Mike Pompeo, Haley criticou a presença no órgão de países como China, Cuba e Venezuela, que são eles próprios acusados de violação dos Direitos Humanos, acrescentando que o Conselho tem um “preconceito crónico contra Israel”.

Se o Conselho mudar, os EUA “regressarão com satisfação”, garantiu Haley.

O porta-voz da ONU, Stéphane Dujarric, interrogado antes da divulgação desta posição dos EUA, recordou que “o secretário-geral António Guterres é um adepto fervoroso da arquitetura dos direitos do Homem na ONU e na participação ativa de todos os Estados nesta arquitetura”.

Salvatore Di Nolfi / EPA

As cadeiras dos EUA no Conselho dos Direitos Humanos da ONU ficaram vazias

A organização de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch criticou a decisão norte-americana, considerando, em comunicado, que o Conselho dos Direitos do Homem da ONU tinha “desempenhado um papel importante em países como Coreia do Norte, Síria, Birmânia ou Sudão do Sul”.

Mas, deplorou, “Donald Trump só está interessado na defesa de Israel”.

Há mais de um ano que os EUA ameaçam abandonar o Conselho dos Direitos do Homem da ONU. Em meados de 2017, Haley apelou a uma reforma profunda do órgão principal do sistema da ONU em matéria de Direitos do Homem, criado em 2006 para substituir a Comissão homónima.

Desde então, está em curso uma reforma, mas mais para racionalizar o trabalho do Conselho do que para tratar de questões políticas. Os EUA, cujo mandato no Conselho acabaria em 2019, tinham reclamado que a exclusão de Estados membros que cometem graves violações dos Direitos do Homem fosse votada por maioria simples, e não por dois terços.

Também pretendiam um reforço do processo de seleção dos Estados membros. Os EUA queriam também que a questão dos “direitos do Homem na Palestina” não esteja sistematicamente na ordem do dia do Conselho.

Washington tem denunciado desde sempre o facto de Israel ser o único país do mundo com um ponto fixo dedicado na ordem de trabalhos de cada reunião, o ponto 7, o que acontece três vezes por ano.

Esta não é primeira vez que os EUA se ausentam do Conselho. Sob a presidência do republicano George W. Bush, boicotaram o Conselho desde a sua criação, antes de regressarem durante a presidência do democrata Barack Obama.

Desde a chegada de Donald Trump à Casa Branca, no início de 2017, os EUA retiraram- se da UNESCO, cortaram vários financiamentos a órgãos da ONU e anunciaram a sua saída do Acordo de Paris de combate às alterações climáticas e do acordo nuclear com o Irão apoiado pela ONU

// Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Concordo que saiam…
    Aliás se houvesse justiça deviam ser expulsos…
    Quando se mantem pessoas presas à quase anos sem acusação e sem direito a defesa que respeito à pelos direitos humanos?
    Quando se faz ataques/raides aéreos com o argumento de terrorismo e mata-se mulheres e crianças que respeito à pelos Direitos Humanos?

    • O grande sabichão sobre a “organização dos direitos dos MANOS!!!” e do Terrorismo!!!!! Claro os terroristas só matam Homens, as mulheres e crianças estão protegidas pela obra do espírito santo. Acorda pa….. de palermices está o mundo cheio….. A ONU ultimamente vem defendendo criminosos…. pelo menos pelas atitudes tomadas e “não tomadas”.

  2. Acho muito bem!!
    Finalmente os EUA tomaram uma atitude coincidente com a sua politica – se não querem saber dos direitos humanos, não faz sentido estar no Conselho dos Direitos Humanos da ONU!
    Agora, com este presidente, muito menos…
    Foi o TPI, a UNESCO, o acordo de Paris; agora são os direitos humanos… qualquer dia estão nível de países coma Arábia Saudita – que, só por acaso, faz parte da Conselho dos Direitos Humanos da ONU e nunca se ouviu uma palavra dos EUA contra isso… por que será?!
    E, claro que Israel é um exemplo na defesa dos direitos humanos!…

RESPONDER

Imposto sobre refrigerantes reduziu o seu consumo

O imposto especial sobre as bebidas com maior teor de açúcar levou mais de 40% dos inquiridos num estudo da Universidade Católica esta sexta-feira divulgado a reduzir o seu consumo, comportamento que adotariam também com …

Uma só teoria da conspiração sobre a covid-19 matou 800 pessoas. 60 ficaram totalmente cegas

Pelo menos 800 pessoas morreram e 60 ficaram cegas na sequência de uma teoria da conspiração sobre a covid-19, concluiu um novo estudo. A investigação, cujos resultados foram esta semana publicados na revista científica American Journal …

Apple e Google removem das suas lojas de aplicações um dos jogos mais populares do mundo

As gigantes tecnológicas Apple e Google removeram esta semana das suas lojas de aplicações, a App Store e a Google Play Store, respetivamente, o Fortnite, um dos jogos mais populares de todo o mundo. As …

Encontrado tesouro de artefactos nazis no "Covil do Lobo", o quartel-general ultrassecreto de Hitler

Quando os nazis se prepararam para invadir a União Soviética, em 1941, construíram um quartel-general militar secreto na floresta Masúria, na Polónia, ao qual chamaram "Wolfsschanze" ou "Covil do Lobo". Desde a sua descoberta após a …

Itália vai construir um túnel submarino para unir Sicília ao continente

Itália está a planear construir um túnel para ligar a região insular da Sicília ao continente italiano. O projeto de cinco mil milhões de euros vai ser pago com a parte do Fundo de Recuperação …

Point Roberts tinha um pé nos EUA e outro no Canadá (mas agora não "pertence" a nenhum)

Point Roberts, em Washington, está numa posição única. Localizada na ponta da Península de Tsawwassen, a cidade fica totalmente abaixo do paralelo 49, a linha que separa o Canadá dos Estados Unidos. Agora, a cidade …

Milhares de processadores quebraram um trilião de chaves para resgatar um Zip com bitcoins

Um misterioso homem perdeu o acesso a um ficheiro Zip onde estavam encriptadas as suas chaves privadas de bitcoins. Os 300 mil dólares foram resgatados por dois especialistas em criptografia — e por muitos milhares …

Reino Unido com mais de mil novas infeções pelo quarto dia consecutivo

O Reino Unido registou mais 11 mortos e 1.441 infeções de covid-19 nas últimas 24 horas, anunciou o Ministério da Saúde britânico, que manteve restrições sobre a área metropolitana de Manchester e parte do norte …

Governo não pondera (para já) proibição de fumar ao ar livre

O Governo não está a ponderar, neste momento, proibir fumar ao ar livre como foi decretado em Espanha, mas há “muitos aspetos em aberto” que serão acompanhados, disse esta sexta-feira a ministra da Saúde, Marta …

Lotação do Avante reduzida a um terço. Visitantes terão uma "área superior à que está estabelecida para as praias"

O PCP anunciou que vai limitar a entrada na sua anual Festa do "Avante!" a um terço da capacidade total, em virtude do contexto de pandemia de covid-19. O espaço de 30 hectares das Quinta da …