EUA querem abrigar submarinos nucleares numa caverna na Noruega. Região teme reação da Rússia

Uma antiga base naval do Ártico da época da Guerra Fria nos arredores de Tromso, na Noruega, pode em breve hospedar submarinos nucleares dos Estados Unidos.

De acordo com a Norwegian State Broadcasting Corporation, a base de Olavsvern foi fechada em 2009, depois de Oslo ter considerado que já não servia o seu propósito uma vez que as relações com a Rússia tinham melhorado e as tensões eram menores do que durante o conflito anterior entre os Estados Unidos e a URSS.

Porém, depois da pressão da Marinha dos Estados Unidos, um acordo sobre a reabertura do Olavsvern através de um contrato de arrendamento pode estar pronto em breve.

Altos funcionários dos Estados Unidos visitaram a antiga base várias vezes. Em 9 de outubro, ocorreu uma reunião “do mais alto nível” no Ministério da Defesa da Noruega, na qual foi aprovado um pacto que permite aos militares noruegueses e, portanto, os seus países aliados – incluindo os Estados Unidos — usar as instalações.

Em 2013, a empresa do Grupo Olavsvern comprou a base e outra empresa, chamada WilNor, tem um acordo de opção para adquirir dois terços da empresa proprietária a partir do novo ano. É justamente WilNor – que colabora com o Exército norueguês – quem negocia o regresso das Forças Armadas a Olavsvern.

Frank Bakke-Jensen, ministro da Defesa norueguês, explicou que existe um acordo para que navios movidos a reatores nucleares possam usar o porto de Grotsund, cidade localizada ao norte de Tromso, detalhando que essa decisão “foi tomada após consulta às autoridades norte-americanas.

Embora a maioria no conselho municipal de Tromso se oponha ao uso do cais Grotsundet pelos Estados Unidos, Bakke-Jensen disse que o Governo tem o direito de anular o município num caso como este, garantindo que a chegada de navios norte-americanos à área não prejudicará as relações com a vizinha Rússia.

A Marinha dos Estados Unidos quer ter acesso a Olavsvern e ao cais de Grotsundet porque este permite que um submarino de ataque se faça ao mar rapidamente em caso de emergência.

Esta vasta área assistiu a uma grande quantidade de atividade militar tanto do lado russo como da NATO, nos últimos anos. As autoridades norueguesas acusaram as forças russas de realizar ataques simulados no seu território, incluindo ataques simulados a uma instalação secreta de radar em Vardo.

Dependendo de como as discussões entre as autoridades norte-americanas e norueguesas correrem a partir de agora, os submarinos dos Estados Unidospodem tornar-se uma nova adição à equação estratégica nesta região.

ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Sou dos que pensam que a correlação de forças, neste início do século XXI, são diametralmente opostas às que foram vividas no tempo da guerra fria.
    A força/poder militar de muitos países não amigos do Ocidente, cresceu de forma exponencial.
    Hoje, já não se trata de uma correlação de forças apenas entre os Estados Unidos e a Rússia, porque a situação estratégica e militar mudou muito, entretanto.
    De salientar que, no que toca ao crescimento da força nuclear, tem sido muito maior o desenvolvimento de países amigos (?) da Rússia, do que países amigos dos Estados Unidos.
    Coreia do Norte, China, Irão, Paquistão e Cuba, entre outros, reforçaram e aperfeiçoaram a sua força nuclear, tendo capacidade para atingir os Estados Unidos. Sendo esta a realidade, não me parece uma política acertada, insistir no inimigo russo.
    Penso que EU e Rússia, terão de procurar pontos de convergência comuns, ainda que isso custe muito a concretizar. Num suposto conflito militar, tendo a China ou a Coreia do Norte, o poder que hoje têm, não vislumbro como poderão os Estados Unidos retaliar com sucesso, porque todos estes estariam do lado da Rússia.
    Os tempos mudam e me parece que os EU não estarão a conseguir acompanhar o ímpeto chinês e russo demitindo-se, nos fóruns internacionais, de marcar pela positiva a sua presença nesses mesmos fóruns, incluindo a ONU e a NATO.
    E parece até que os tempos em que os EU por si só, podiam resolver tudo, estará prestes a chegar ao fim. Outros países emergiram e a China, não parece estar movida de intenções pacíficas, principalmente no que toca aos EU e a todas as fricções que têm ocorrido ultimamente. Ter um inimigo poderoso, é uma coisa. Ter vários inimigos poderosos e estrategicamente inteligentes, muda por completo o “pano de fundo”.

    • Cuba não tem armas nucleares.
      Militantemente falando os EUA não tem qualquer rival e, a China, embora tenha progredido muito nos últimos anos, ainda está muito longe da capacidade militar dos EUA – ou mesmo da Europa – que, curiosamente, não foi referida no teu texto!…
      Convém relembrar que a França e o RU são potências nucleares.
      O Paquistão sempre foi “amigo” dos EUA – só se tem afastado com a aproximação dos EUA à Índia – que também é uma potência nuclear!
      De qualquer modo, achei esta movimentação dos EUA algo estanha, se bem que, lá em cima, a Noruega é o único país “aliado” porque a Suécia e a Finlândia não são membros da NATO.

RESPONDER

Da "política do filho único" a incentivos à natalidade: como a China tem mudado a sua estratégia populacional

A China está a planear incluir novas medidas para estimular a taxa de natalidade do país e lidar com o rápido envelhecimento da população. A estratégia passa pelo “plano de cinco anos” que deverá estar …

Vacinação será “grande prioridade” de presidência portuguesa da UE

O primeiro-ministro português, António Costa, referiu hoje que a vacinação contra a covid-19 deverá ser uma das “grandes prioridades” da presidência portuguesa do Conselho da União Europeia (UE), após um encontro com o presidente do …

No Cambodja, os aldeões usam "espantalhos mágicos" para afastar a covid-19

Os aldeões do Cambodja têm evitado a pandemia de covid-19 sem máscaras nem distanciamento social, mas sim com "espantalhos mágicos" que espantam o vírus mortal. Os dois espantalhos de Ek Chan, um aldeão de 64 anos, …

O Arecibo desabou. É o fim de uma era à procura de vida extraterrestre

O Observatório de Arecibo, em Porto Rico, morreu. Três semanas depois de um dos principais cabos de sustentação da sua cúpula ter desabado, danificado irremediavelmente o radiotelescópio, o icónico caçador de vida extraterrestre antecipou-se à …

O maior elevador panorâmico do mundo tem vista para os cenários de Avatar

Com o recente lançamento de fotografias subaquáticas dos bastidores do Avatar 2 e a notícia de que Avatar 3 está quase a terminar as filmagens, não há melhor momento para revisitar o parque nacional que …

Pandemia tirou comida da mesa, mas deu asas a startup que transforma plástico do mar em máscaras

A startup portuguesa Skizo transformou a pandemia numa oportunidade de crescimento. Quando faltava comida nalgumas mesas, a empresa de produção de sapatilhas e bolsas passou a fazer máscaras a partir de plástico retirado dos oceanos …

Na Irlanda, o Pai Natal é considerado um "trabalhador essencial"

A Irlanda fez esta semana um anúncio especialmente dedicado às crianças, afirmando que o Pai Natal é considerado um trabalhador essencial no país e, por isso, não terá as suas deslocações restringidas no período natalício. …

Mais 2400 novos casos. Portugal ultrapassa os 300 mil desde o início da pandemia

Portugal ultrapassou hoje a barreira dos 300 mil casos de covid-19 desde o início da pandemia no país, em março, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). Portugal registou mais 2.401 novos casos, tendo passado a contabilizar …

Medidas para o Natal conhecidas no sábado. Passagem de ano com todas as restrições

O primeiro-ministro, António Costa, adiantou hoje que no sábado anunciará as medidas para o Natal “com as melhores condições possíveis”, mas avisou desde já que “a passagem do ano vai ter todas as restrições”. “O Governo …

Os assentos do meio da Delta Air Lines vão continuar vazios

A companhia norte-americana Delta Air Lines anunciou esta semana que continuará a manter os assentos do meio vazios, mantendo a política de distanciamento social decretada por causa da pandemia de covid-19. A bloqueio destes lugares intermediários …