EUA querem abrigar submarinos nucleares numa caverna na Noruega. Região teme reação da Rússia

Uma antiga base naval do Ártico da época da Guerra Fria nos arredores de Tromso, na Noruega, pode em breve hospedar submarinos nucleares dos Estados Unidos.

De acordo com a Norwegian State Broadcasting Corporation, a base de Olavsvern foi fechada em 2009, depois de Oslo ter considerado que já não servia o seu propósito uma vez que as relações com a Rússia tinham melhorado e as tensões eram menores do que durante o conflito anterior entre os Estados Unidos e a URSS.

Porém, depois da pressão da Marinha dos Estados Unidos, um acordo sobre a reabertura do Olavsvern através de um contrato de arrendamento pode estar pronto em breve.

Altos funcionários dos Estados Unidos visitaram a antiga base várias vezes. Em 9 de outubro, ocorreu uma reunião “do mais alto nível” no Ministério da Defesa da Noruega, na qual foi aprovado um pacto que permite aos militares noruegueses e, portanto, os seus países aliados – incluindo os Estados Unidos — usar as instalações.

Em 2013, a empresa do Grupo Olavsvern comprou a base e outra empresa, chamada WilNor, tem um acordo de opção para adquirir dois terços da empresa proprietária a partir do novo ano. É justamente WilNor – que colabora com o Exército norueguês – quem negocia o regresso das Forças Armadas a Olavsvern.

Frank Bakke-Jensen, ministro da Defesa norueguês, explicou que existe um acordo para que navios movidos a reatores nucleares possam usar o porto de Grotsund, cidade localizada ao norte de Tromso, detalhando que essa decisão “foi tomada após consulta às autoridades norte-americanas.

Embora a maioria no conselho municipal de Tromso se oponha ao uso do cais Grotsundet pelos Estados Unidos, Bakke-Jensen disse que o Governo tem o direito de anular o município num caso como este, garantindo que a chegada de navios norte-americanos à área não prejudicará as relações com a vizinha Rússia.

A Marinha dos Estados Unidos quer ter acesso a Olavsvern e ao cais de Grotsundet porque este permite que um submarino de ataque se faça ao mar rapidamente em caso de emergência.

Esta vasta área assistiu a uma grande quantidade de atividade militar tanto do lado russo como da NATO, nos últimos anos. As autoridades norueguesas acusaram as forças russas de realizar ataques simulados no seu território, incluindo ataques simulados a uma instalação secreta de radar em Vardo.

Dependendo de como as discussões entre as autoridades norte-americanas e norueguesas correrem a partir de agora, os submarinos dos Estados Unidospodem tornar-se uma nova adição à equação estratégica nesta região.

ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Sou dos que pensam que a correlação de forças, neste início do século XXI, são diametralmente opostas às que foram vividas no tempo da guerra fria.
    A força/poder militar de muitos países não amigos do Ocidente, cresceu de forma exponencial.
    Hoje, já não se trata de uma correlação de forças apenas entre os Estados Unidos e a Rússia, porque a situação estratégica e militar mudou muito, entretanto.
    De salientar que, no que toca ao crescimento da força nuclear, tem sido muito maior o desenvolvimento de países amigos (?) da Rússia, do que países amigos dos Estados Unidos.
    Coreia do Norte, China, Irão, Paquistão e Cuba, entre outros, reforçaram e aperfeiçoaram a sua força nuclear, tendo capacidade para atingir os Estados Unidos. Sendo esta a realidade, não me parece uma política acertada, insistir no inimigo russo.
    Penso que EU e Rússia, terão de procurar pontos de convergência comuns, ainda que isso custe muito a concretizar. Num suposto conflito militar, tendo a China ou a Coreia do Norte, o poder que hoje têm, não vislumbro como poderão os Estados Unidos retaliar com sucesso, porque todos estes estariam do lado da Rússia.
    Os tempos mudam e me parece que os EU não estarão a conseguir acompanhar o ímpeto chinês e russo demitindo-se, nos fóruns internacionais, de marcar pela positiva a sua presença nesses mesmos fóruns, incluindo a ONU e a NATO.
    E parece até que os tempos em que os EU por si só, podiam resolver tudo, estará prestes a chegar ao fim. Outros países emergiram e a China, não parece estar movida de intenções pacíficas, principalmente no que toca aos EU e a todas as fricções que têm ocorrido ultimamente. Ter um inimigo poderoso, é uma coisa. Ter vários inimigos poderosos e estrategicamente inteligentes, muda por completo o “pano de fundo”.

    • Cuba não tem armas nucleares.
      Militantemente falando os EUA não tem qualquer rival e, a China, embora tenha progredido muito nos últimos anos, ainda está muito longe da capacidade militar dos EUA – ou mesmo da Europa – que, curiosamente, não foi referida no teu texto!…
      Convém relembrar que a França e o RU são potências nucleares.
      O Paquistão sempre foi “amigo” dos EUA – só se tem afastado com a aproximação dos EUA à Índia – que também é uma potência nuclear!
      De qualquer modo, achei esta movimentação dos EUA algo estanha, se bem que, lá em cima, a Noruega é o único país “aliado” porque a Suécia e a Finlândia não são membros da NATO.

RESPONDER

Investigadores "voltam atrás no tempo" para calcular idade e local de explosão de supernova

Os astrónomos estão a "voltar atrás no tempo" num remanescente de supernova. Usando o Telescópio Espacial Hubble da NASA, refizeram o percurso dos estilhaços velozes da explosão a fim de calcular uma estimativa mais precisa …

Cientista dos EUA acredita que o monstro do Lago Ness pode ser uma antiga tartaruga marinha

Um importante cientista dos Estados Unidos acredita que desvendou o mistério do Monstro de Lago Ness e pensa que a criatura é uma espécie ancestral de tartaruga marinha. Henry Bauer, professor aposentado de Química e Estudos …

Biden quer banir uma palavra das leis de imigração dos Estados Unidos

Se o projeto de lei proposto por Joe Biden, recém-eleito Presidente dos Estados Unidos, for aprovado, a palavra alien ("estrangeiro") vai desaparecer das leis de imigração norte-americanas, sendo substituída pelo termo noncitizen ("não cidadão"). A …

“As pessoas são mortas na mesquita, na rua e no trabalho". Em Cabul, reina o medo

Os assassínios seletivos de jornalistas, políticos e defensores dos direitos humanos são cada vez mais frequentes no país, com Cabul e várias províncias a registarem um aumento da violência nos últimos meses. O medo está …

"Fiquem em casa". Enfermeiros deixam "grito de alerta desesperado" aos portugueses

A Ordem dos Enfermeiros lançou esta sexta-feira uma campanha de sensibilização a apelar aos portugueses para ficarem em casa, afirmando que é “um grito de alerta desesperado face à situação de catástrofe que se vive …

Senado francês aprovou lei que protege os sons e cheiros do campo

O Senado francês aprovou a lei, esta quinta-feira, que protege o "património sensorial" das áreas rurais do país, depois de várias queixas sobre os ruídos e cheiros típicos do campo. De acordo com o canal televisivo …

Identificado em Portugal o primeiro caso da variante da África do Sul

O primeiro caso de covid-19 associado à variante genética da África do Sul foi identificado esta sexta-feira em Portugal pelo Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA), adiantou à agência Lusa a instituição. O caso identificado …

Está a nascer o primeiro comboio português a hidrogénio (e vai substituir o Vouguinha)

Já arrancou o projecto para o desenvolvimento do primeiro comboio português a hidrogénio. A iniciativa visa transformar as automotoras a gasóleo que circulam na Linha do Vouga - o comboio chamado Vouguinha - por células …

Guardiola diz que Bernardo Silva "sempre foi importante" para City

O treinador Pep Guardiola disse esta sexta-feira que o português Bernardo Silva “está de volta” ao melhor nível e que “sempre foi importante" para o Manchester City, depois de ter "sentido" dificuldades na temporada passada. “Ele …

Fauci fala de "sentimento libertador" após saída de Trump da Casa Branca

O infeciologista Anthony Fauci, o principal rosto da Casa Branca no combate à pandemia de covid-19, admitiu um sentimento "libertador" após a saída da administração de Donald Trump e afirmou que poderá agora falar sobre …