Estudo conclui que dizer palavrões é sinal de honestidade

Um estudo publicado recentemente concluiu que as pessoas que dizem palavrões são mais honestas do que aquelas que não usam esse tipo de vocabulário.

A investigação foi realizada por cientistas da Universidade de Maastricht, da Universidade de Ciência e Tecnologia de Hong Kong, da Universidade de Stanford e da Universidade de Cambridge.

Segundo os especialistas, há uma razão para esta ligação entre a sinceridade e os palavrões: quem apresenta esta característica não usa filtros de linguagem e diz o que pensa de um modo genuíno.

O estudo publicado na revista Social Psychological and Personality Science revela que procurar palavras mais simpáticas é um caminho para uma menor honestidade, mesmo que não haja má intenção.

A investigação foi dividida em três partes. A primeira envolveu um grupo de 307 pessoas, e cada participante recebeu várias de perguntas sobre o uso de palavrões, e sobre o seu comportamento – como por exemplo “se garantir que vai fazer alguma coisa, mantém a promessa, independentemente da inconveniência que possa causar?”

Os cientistas compararam a lista de promessas de cada participante com as suas respostas e concluíram que os indivíduos que afirmaram utilizar palavrões com mais frequência eram mais honestos nas respostas.

Numa segunda parte do estudo foram analisadas 74 mil pessoas através do Facebook, e aqueles que utilizavam mais palavrões apresentavam histórias com maior rigor e com sinais de veracidade evidentes.

Na terceira parte da investigação, os cientistas estudaram o modo como a sociedade vê os indivíduos que usam esse vocabulário.

Os especialistas organizaram os participantes norte-americano por Estados e, com recurso a um programa de computador para analisar os dados da Investigação de Integridade do Estado de 2012, concluíram que os Estados que tiveram a maior percentagem de palavrões também tiveram um maior índice de integridade.

Esta não é a primeira vez que o facto de alguém dizer asneiras revela algo positivo. Um estudo realizado em 2015 concluiu que as pessoas inteligentes tendem a usar mais palavrões.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Não há dúvida que estes estudos são o que são e valem o que valem.
    Segundo este estudos as pessoas que não dizem palavrões são menos honestas do que as que dizem palavrões.
    Tenho uma opinião completamente diferente e nada têm a ver com estudos mas sim com realidade.
    A honestidade nada têm a ver com o facto de dizer ou não palavrões, (os palavrões estão relacionadas com, educação, ambiente familiar, meio em que se está inserido, profissão, etc…. há ou não há.
    Num bar de alterne a linguagem é diferente de uma igreja e não será por essa razão que as pessoas que vão À Igreja sejam menos ou mais honestas.

    • É um facto e concordo com o que refere. Penso, no entanto, que o estudo se reportará mais ao espontaneo de dizer um palavrão. Qualquer um de nós, já os disse, sem um intuito ofensivo mas como um desabafo e, consequentemente honesto, daquilo que verdadeiramente lhe vai na alma.

Mais seis mortes, 325 novos casos e 237 recuperados

Portugal regista esta quinta-fira mais seis mortes por covid-19, 325 novos casos de infeção e mais 237 pessoas dadas como recuperadas em relação a quarta-feira, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo …

"Filme fantástico". Novo livro revela cartas entre Kim Jong-un e Donald Trump

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, qualificou o seu relacionamento com o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, como um “filme fantástico”, segundo os editores de um livro a ser publicado, que revela a correspondência entre …

Grupo avisa Bruxelas que Portugal pode tornar-se ilha ferroviária na Europa

Um grupo de portugueses ligados ao setor ferroviário alertou a comissária europeia dos Transportes para a possibilidade de Portugal se tornar uma ilha ferroviária na Europa devido ao atraso em adotar "a bitola europeia" nas …

China encontra traços do coronavírus em asas de frango importadas do Brasil

Traços do novo coronavírus foram encontrados em asas de frango importadas do Brasil, na cidade de Shenzhen, no sul da China, noticiou, esta quinta-feira, um jornal oficial do Partido Comunista Chinês (PCC). Os traços foram detetados …

Denúncia de Rui Pinto leva a congelamento de conta bancária da Doyen

Oito milhões de euros que estavam numa conta bancária do fundo de investimento Doyen foram congelados pelas autoridades portuguesas. Uma denúncia do whistleblower português Rui Pinto levou o fundo a ser investigado por suspeitas de fraude …

Preocupado com a Bielorrúsia, Macron ligou a Putin (e aproveitaram para falar da vacina russa)

O Presidente francês, Emmanuel Macron, manifestou esta quarta-feira ao seu homólogo russo, Vladimir Putin, "uma preocupação muito grande" quanto à situação na Bielorrússia após a reeleição do chefe de Estado autoritário bielorrusso, Alexander Lukashenko. Segundo indicou …

Obras do Hospital Militar de Belém custaram mais do triplo do valor estimado

As obras no Hospital Militar de Belém, em Lisboa, custaram mais do valor inicialmente estimado, avançou o Diário de Notícias esta quarta-feira. De acordo com o jornal, estava inicialmente previsto que a reabilitação de três …

Autópsia a Valentina revela descolamento do crânio

A autópsia a Valentina, a menina de 9 anos encontrada morta na serra D’el Rei, em Peniche, distrito de Leiria, em meados de maio, revela descolamento do crânio, avança esta quinta-feira o Correio da Manhã. …

Rio pede "coerência" na lotação do Avante e faz comparação com estádios

O líder do PSD pronunciou-se sobre a lotação da festa do Avante, lembrando que, se for reduzida para metade, isso é o mesmo que os estádios do FC Porto ou do Sporting estarem cheios. Na sua …

Juiz Carlos Alexandre desiste de queixa contra Rui Pinto

A proposta do Ministério Público (MP) para que o pirata informático não continuasse a ser investigado dependia da autorização do "super-juiz", avança o Correio da Manhã. De acordo com o Correio da Manhã, o juiz Carlos …