Uma mentalidade futurista que facilita a governação. A Estónia é uma “república digital”

Os cidadãos da Estónia podem votar online, em qualquer lugar do mundo, desde 2005. Esta solução tecnológica protegeu os eleitores contra fraudes e outras manipulações de votação remota que causam receio a muitos eleitores norte-americanos nas eleições de 2020.

Votar online é apenas a ponta do icebergue, uma vez que a Estónia oferece vários serviços governamentais online aos seus cidadãos e é detentora do título de “república digital”. Não é por acaso: segundo o The Conversation, o país digitalizou 99% dos seus serviços públicos e atingiu uma das mais altas classificações de confiança no governo da União Europeia.

De acordo com o Governo, a digitalização dos serviços públicos economiza mais de 1.400 anos de tempo de trabalho e 2% do PIB anualmente.

A Estónia sempre teve em mente desenvolver um Estado com cidadãos tecnologicamente alfabetizados onde a governação seria sem papel, descentralizada, transparente, eficiente e equitativa. Para isso, o jovem governo pós-soviético decidiu abandonar todas as tecnologias legadas da era comunista e a estrutura ineficiente de serviço público.

O Governo decidiu então abraçar as tecnologias ocidentais. Em 1997, lançou um projeto chamado Tiigrihüpe (Tiger Leap), no qual investiu no desenvolvimento e expansão de redes de internet e conhecimento de informática. Um ano após o início da iniciativa, quase todas (97%) das escolas tinham acesso à Internet e, em 2000, a Estónia foi o primeiro país a aprovar uma legislação que declarava o acesso à Internet um direito humano básico.

Começaram a ser construídos hotspots de wi-fi gratuitos em 2001 e, atualmente, cobrem quase todas as áreas populosas do país.

O governo também entendeu que, para criar uma sociedade baseada no conhecimento, as informações precisam ser partilhadas de forma eficiente. Em 2001, a Estónia criou um sistema de armazenamento e partilha de dados, chamado X-Road, através do qual as organizações públicas e privadas podem compartilhar dados com segurança, mantendo a privacidade através de criptografia.

Em 2012, tornou-se o primeiro país a usar a tecnologia blockchain na governação. A implantação desta tecnologia não só garante a proteção contra quaisquer ataques, mas traz também muitos outros benefícios para os cidadãos.

Enquanto que na maioria dos países os cidadãos têm de preencher vários formulários diferentes com as mesmas informações pessoais (nome, morada, contacto) quando precisam de aceder a serviços públicos, os estónios só precisam de inserir as informações pessoais uma vez: o sistema blockchain permite que os dados sejam imediatamente acessíveis ao departamento em questão.

Esta mentalidade futurista pode assustar as pessoas preocupadas com a privacidade dos dados, mas, na Estónia, os cidadãos são os proprietários dos seus dados pessoais, dado que possuem uma carteira de identidade digital e aprovam que informações podem ser reutilizadas.

Além disso, os estónios sabem que os funcionários do Governo não podem aceder aos seus dados pessoais além do que é aprovado por eles mesmo. Qualquer tentativa não autorizada de acesso aos dados pessoais será identificada como inválida: na verdade, é crime que os funcionários obtenham acesso não autorizado aos dados pessoais.

  ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Otamendi e Vertonghen disputam a bola com Lewandowski

Benfica 0-4 Bayern | Primeiro a ilusão, depois o rolo bávaro

A ilusão durou 70 minutos. Ao longo de toda a partida, o Bayern foi melhor, criou inúmeros lances de golo, viu dois anulados, acertou no ferro, Vlachodimos fez defesas importantes, mas o Benfica deu luta, …

China quer punir pais de crianças mal-educadas

O regime chinês está a analisar um projeto de lei que prevê que os pais possam ser punidos se os seus filhos exibirem um mau comportamento ou cometerem crimes. De acordo com a agência Reuters, o …

Rui Moreira com Francisco Rodrigues dos Santos e Carlos Moedas

Rui Moreira promete manter a "identidade do Porto" e concluir os projetos que a pandemia atrasou

O presidente da Câmara Municipal do Porto tomou posse, esta quarta-feira, e comprometeu-se a "tudo fazer" para manter a identidade do Porto e a concluir os projetos que a pandemia atrasou. "Quero concluir os projetos que …

Já há um medicamento para tratar a covid-19 em casa (e vários países assinaram acordos de compra)

Países asiáticos já estão na luta pelo novo comprimido antiviral, cujo uso ainda nem sequer foi autorizado, contra a covid-19. Países da região asiática estão já a fazer encomendas da mais recente arma contra a covid-19: …

A Facebook vai implementar uma nova estratégia e o nome vai ser das primeiras coisas a mudar

As últimas semanas têm sido tumultuosas para a empresa de Mark Zuckerberg, que se viu confrontada com os testemunhos de antigos trabalhadores no Senado norte-americano. As notícias da última semana que resultaram do testemunho, no Senado …

Cadetes da Escola Naval investigados por alegados comportamentos abusivos

A Marinha está a investigar uma denúncia sobre alegados comportamentos abusivos entre cadetes da Escola Naval. "A Marinha informa que hoje, 19 de outubro, teve conhecimento de uma denúncia sobre alegados comportamentos abusivos praticados entre cadetes …

Índia. "Montanha de lixo" que garante sobrevivência de pobres será substituída por estação de tratamento

As "montanhas de lixo" das cidades da Índia em breve serão substituídas por estações de tratamento de detritos. A maior de todas — equivalente a um prédio de 18 andares — garante a sobrevivência de …

Candidatura de Nuno Melo acusa direção de não facultar cadernos eleitorais e de sanear senadores

A candidatura de Nuno Melo à liderança do CDS-PP acusou, esta quarta-feira, os opositores de não facultarem os cadernos eleitorais nem possibilitarem a fiscalização da eleição de delegados ao congresso, apontando também a substituição de …

Bolsonaro acusado de nove crimes pela comissão de inquérito sobre gestão da pandemia

O relatório apresentado, esta quarta-feira, na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado brasileiro pede o indiciamento do Presidente por nove crimes durante a pandemia de covid-19. No texto, com mais de 1200 páginas, pede-se que …

Duas vendedoras num mercado japonês

Da noite para o dia, Japão tornou-se uma história "covidiana" de sucesso

Em meados de agosto, o Japão atingiu o pico de 6.000 casos diários de covid-19. Quase do dia para a noite, o país asiático observou, espantosa e inesperadamente, uma queda acentuada no número de infeções. …