Estado vai comparticipar primeiro medicamento à base de canábis

O Infarmed aprovou a comparticipação do primeiro medicamento à base de cannabis em Portugal, com o Estado a suportar 37% do preço por embalagem. O Sativex está aprovado para o alívio da espasticidade (aumento involuntário da contração muscular) moderada a grave associada à esclerose múltipla.

A farmacêutica Almirall – empresa responsável pela comercialização do fármaco na Europa – estima que o medicamento esteja no mercado português em setembro, revelou esta sexta-feira o Público.

Além deste medicamento, o Infarmed está a avaliar um pedido de autorização de colocação no mercado de um produto feito à base da planta. A lei da cannabis medicinal entrou em vigor a 01 de fevereiro deste ano.

O processo de aprovação da comparticipação ficou concluído há mais de um mês. O Infarmed esclareceu que o Sativex “inclui-se no grupo dos analgésicos e antipiréticos e é comparticipado pelo escalão C – 37%”, podendo ser vendido nas farmácias de rua.

O fármaco está autorizado em Portugal desde 2012, mas até agora a empresa não tinha avançado com o processo para comercialização. Ainda assim, podia ser adquirido através de um pedido de autorização especial. Entre 2016 e 2017, o Centro Hospitalar Lisboa Central dispensou 21 unidades deste medicamento.

HowToGrowWeedExtreme.com / wikimedia

Atualmente o custo por embalagem é de 475 euros, mas é expetável que tenha sido negociada uma descida do preço. “Na avaliação económica, os valores custo-efetividade incrementais associados à introdução do medicamento Sativex no arsenal terapêutico, assim como os resultados do impacto orçamental, foram considerados aceitáveis, depois de negociadas melhores condições para o SNS, tendo em atenção as características específicas do medicamento e da doença em causa”, lê-se no relatório público de avaliação de comparticipação.

Nem o Infarmed nem Almirall adiantaram o valor acordado para venda. O fármaco é propriedade da empresa britânica GW Pharma.

Fonte da Almirall disse ao Público que “espera estar a comercializar o medicamento em Portugal em setembro”. Sobre o processo negocial, adiantou que “são processos que levam o seu tempo, em todos os países”. “Mas todos os intervenientes – nós e o Governo – querem a mesma coisa: o melhor para os doentes e o medicamento no mercado”.

A mesma fonte referiu que o medicamento “está à venda em 20 países no mundo” e assegurou que “é seguro e eficaz”, que “passou por extensos ensaios clínicos”. Quanto a eventuais receios por ser um medicamento produzido à base de cannabis, disse que a forma como é produzido inibe os efeitos psicoativos associados ao consumo da substância.

Para Luís Pinto, presidente da TEM – associação de doentes com esclerose múltipla, “toda a medicação para a esclerose múltipla e para os seus sintomas é bem-vinda”. Embora admita que estes novos produtos ainda “geram alguma relutância”, afirmou que os “médicos acompanham a evidência científica e querem o melhor para os doentes”. Disse ainda que teve indicação de um doente de Coimbra a quem foi prescrito o Sativex recentemente.

Produto em avaliação

Além deste medicamento, a lei da cannabis medicinal permite também a venda de produtos e substâncias à base da planta. Para estes casos, as empresas têm de fazer um pedido de autorização de colocação no mercado.

“Até à data foi recebido pelo Infarmed um pedido relativo a uma preparação à base da planta da cannabis para fins medicinais, que se encontra em fase de avaliação”, adiantou a autoridade do medicamento.

“Esta preparação, caso venha a ser aprovada, poderá ser utilizada de acordo com a regulamentação aprovada (Lei n.º 33/2018, de 18 de Julho), nos casos em que os tratamentos convencionais não produziram os efeitos esperados ou provocam efeitos adversos relevantes e de acordo com as indicações terapêuticas aprovadas pelo Infarmed”, adiantou igualmente.

PhotoXpress

“Caberá ao médico assistente fazer a avaliação da situação do doente, devendo comunicar ao doente todas as instruções necessárias à correcta utilização do produto”, acrescentou.

Recentemente, o Bloco de Esquerda questionou o Ministério da Saúde sobre suplementos alimentares à base de óleo de sementes de cânhamo que estão a ser comercializados como sendo óleo de cannabis, gerando confusão nos doentes.

O Infarmed explicou ao Público que “os produtos que têm sido anunciados como contendo na sua composição cannabis ou seus derivados não se encontram abrangidos pela nova legislação, porquanto não se destinam a fins medicinais, cabendo a sua fiscalização à Autoridade de Segurança Alimentar e económica (ASAE)”. A fiscalização dos casos de publicidade enganosa de suplementos alimentares cabe também à ASAE.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Há 127 concelhos que vão manter os limites no fim de semana. Saiba quais

Os concelhos que mantém risco muito elevado e extremamente elevado terão de manter até dia 23 deste mês as atuais restrições, incluindo de limitação de circulação ao fim de semana. Houve 27 concelhos que saíram …

Piscina mais profunda do mundo inaugurada na Polónia

Com 45 metros de profundidade, a piscina Deepspot foi recentemente inaugurada na Polónia. Vai servir de zona de treino para mergulhadores, bombeiros e forças armadas. A piscina mais profunda do mundo foi inaugurada esta semana em …

Mais 6087 novos casos de covid-19 em Portugal. Este é o maior número da semana

Portugal registou este sábado 6087 novos casos e 73 mortes por covid-19. No total, mais de 318 mil pessoas já foram infetadas com o novo coronavírus e 4876 morreram. Nas últimas 24 horas, mais 6165 …

Sedada e com um capuz sobre os olhos, a girafa Asiwa foi resgatada de uma ilha no Quénia

Conservacionistas, autoridades do Governo e membros da comunidade local uniram-se para resgatar oito girafas numa ilha no Quénia. A população de girafas em África tem diminuído nas últimas décadas devido à perda de habitat e à …

Governo mantém restrições. Exceções no Natal, mas no Ano Novo volta a ser proibida a circulação entre concelhos

António Costa falou hoje ao país para anunciar as novas medidas para a quadra festiva. O primeiro-ministro revelou que no Natal as medidas serão aliviadas, como já se esperava, porém voltam a apertar no Ano …

Joe Biden está a planear uma tomada de posse em versão reduzida. Trump pode não marcar presença

A pouco mais de um mês de tomar posse como Presidente dos EUA, Joe Biden anunciou que está a planear reduzir a dimensão da cerimónia para garantir a segurança devido à pandemia. Segundo o Público, Joe …

O Peru enfrenta o maior desafio político desde a ditadura de Fujimori. A responsabilidade está nas mãos de Sagasti

O novo presidente do Peru assumiu o cargo em 17 de novembro em circunstâncias nada desejáveis. O país, que até ao ano passado vinha a ser apontado como um exemplo na área económica, enfrenta agora …

Três anti-histamínicos mostram eficácia a inibir infeção pelo coronavírus

Três medicamentos anti-histamínicos mostraram alguma eficácia a inibir a infeção de células pelo novo coronavírus responsável pela covid-19, segundo os resultados preliminares de um estudo da Universidade da Florida divulgado na sexta-feira. As descobertas sobre os …

"Criminoso, cruel e traiçoeiro”. Sobrinha de Donald Trump diz que tio devia ser preso

A sobrinha do atual Presidente dos Estados Unidos, o republicano Donald Trump, referiu que o tio é “criminoso, cruel e traiçoeiro”, por isso, deveria enfrentar a justiça norte-americana, depois de todos os escândalos que o …

FC Porto arrisca sanção da UEFA por incidentes nos jogos contra o City

A UEFA pode vir a sancionar o FC Porto devido a episódios que aconteceram no âmbito dos jogos da Liga dos Campeões contra o Manchester City. Em causa estão, nomeadamente, alegados insultos dirigidos por elementos …