Éric Zemmour, candidato presidencial francês de extrema-direita, agredido em ação de campanha

1

Christophe Petit Tesson / EPA

Candidato presidencial francês Éric Zemmour

O candidato presidencial francês de extrema-direita Eric Zemmour lançou a sua campanha presidencial em frente a milhares de apoiantes num evento em Paris, marcado por episódios violentos. 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Eric Zemmour anunciou, na semana passada, que iria concorrer à Presidência do país, juntando-se ao grupo de pessoas que procuram destituir Emmanuel Macron.

A sua campanha presidencial foi lançada no sábado, num centro de exposições num subúrbio de Paris, onde milhares aplaudiram todas as sua iniciativas, nomeadamente as referentes à imigração.

“A aposta é enorme: se eu ganhar, será o início da reconquista do mais belo país do mundo”, disse o candidato, citado pelo Al Jazeera.

A ação de campanha foi, contudo, marcada por confrontos violentos, que terão visado manifestantes anti-racistas. Várias cadeiras foram atiradas aos ativistas quando estes se levantaram com a mensagem “Não ao Racismo” escrita nas t-shirts.

O momento da abordagem agressiva ao candidato foi captado em vídeo. Nas imagens, é possível observar um homem a agarrar bruscamente o candidato pelos dois braços, antes de ser afastado pelos seguranças.

À AFP, fonte oficial da campanha revelou que o candidato presidencial pelo Reconquista (direita radical) ficou magoado num pulso e está a ponderar apresentar queixa.

A principal bandeira da candidatura de Zemmour é a luta contra a imigração. O candidato prometeu tornar “mais difícil” a naturalização, assim como “expulsar os desempregados estrangeiros que não consigam trabalho num período de seis meses”. As suas declarações polémicas sobre este tema terão suscitado muitas críticas.

O líder do Reconquista anunciou também que quer diminuir os custos com os trabalhadores para as empresas, de forma a dar um 13.º mês a quem recebe o salário mínimo, diminuir os custos de produção, abrir os concursos públicos apenas a empresas francesas, acabar com os impostos sobre as heranças e sair do comando militar da NATO.

As sondagens mostram que os eleitores acreditam que Marine Le Pen, líder veterana do partido de extrema-direita National Rally, seria uma Presidente mais competente do que Zemmour.

Os últimos estudos de opinião sugerem que o candidato seria eliminado na primeira volta se as eleições se realizassem agora, mas os analistas advertem que o resultado permanece altamente incerto.

  ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.