ERC condena TVI pela violência da “Casa dos Segredos” de 2012

CV Youtube

Teresa Guilherme a apresentar o reality show da TVI "casa dos Segredos"

Teresa Guilherme a apresentar o reality show da TVI “casa dos Segredos”

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) decidiu, neste mês de Dezembro, condenar a TVI a uma multa de 20 mil euros pela violência da terceira edição do reality show “Casa dos Segredos” que foi exibido em 2012.

Quatro anos depois da transmissão do programa, o organismo delibera que a TVI violou os limites à liberdade de programação fruto das “ameaças, insultos” e do “ambiente que rodeou uma agressão física” na “Casa dos Segredos 3”, transmitida pelo canal em 2012, conforme divulga o Diário de Notícias.

Esta condenação surge numa altura em que a TVI exibe a edição 6 do reality show, continuando a haver muitas queixas contra o programa, nomeadamente por causa da linguagem ofensiva e violenta utilizada pelos concorrentes.

A associação SOS Racismo já apresentou queixa contra a “Casa dos Segredos 6”, acusando a TVI de difundir e de promover “discursos e comportamentos discriminatórios”.

Na deliberação agora tomada, a propósito da “Casa dos Segredos 3”, a ERC condena a TVI por exibir “em prime time ameaças, insultos e o ambiente que rodeou uma agressão física”.

Em causa está em particular, um episódio que envolveu o concorrente Wilson que acabou expulso por agredir fisicamente um colega de programa.

“Os concorrentes utilizam uma linguagem vernacular, o que é referido em diferentes queixas dirigidas à ERC”, salienta ainda o órgão, realçando que analisou a “linguagem e violência verbal”, a “violência conjugal”, a “violência e ameaças à integridade física” e a “sexualidade e nudez” do programa de 2012.

O DN nota que a ERC recebeu “149 queixas sobre conteúdos e 243 participações sobre a alegada manipulação de resultados das votações do público” no âmbito do reality show de há quatro anos.

SV, ZAP

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. Tanta pressa para quê; será que os factos já estão bem apurados ? Para mim mais uns cinco anos e a sentença não seria tão precipitada como agora.

  2. Com a liberdade de expressão tudo é válido, são programas onde tudo pode acontecer já que psicologicamente quem entra num programa deste está exposto a uma grande pressão, e muitas vezes os concorrentes não se conseguem conter em certas atitudes.
    As criticas, as denuncias, são feitas por pessoas que ao fazerem as mesmas, acabam por ser ridículas, porque quem não gosta, não vê, muda simplesmente de canal, se Vê é porque gosta, então não deve criticar, já que é uma minoria, e a sua opinião pouco vale, apenas para dar trabalho.
    Sobre a ERC, 4 anos para analisar e resolver um problema, e fazer uma condenação de 20 mil euros, apenas de dizer que é condenável estar tanto tempo para o fazer.

    • “Tudo é válido”, ora aqui está a expressão mais perigosa que li nos últimos tempos, baseando o seu argumentário.
      Se tivermos em conta que liberdade de expressão é como o nome indica, a possibilidade das pessoas se poderem expressarem das mais diversas formas em toda a sua plenitude sem controlo e sem medos, então tudo o que lhe desejo é que alguma vez sinta na pele a enormidade que preconiza. O homicídio sem castigo, o abuso sexual sem castigo, o roubo, a injúria e tantas outras formas de expressão que o cérebro humano consegue criar e pôr em prática.
      Conhece a expressão, por acaso também muito usada “senso comum”?
      Já pensou porque razão porque razão estes programas são criados? Acredita mesmo que são de entretenimento? Pense, mas com tino, para ser engolido pela voragem das suas próprias afirmações.

    • Infelizmente há realmente muita gente que vê e gosta deste tipo de programa, o que certamente é o seu caso JM.
      Digo infelizmente, pois apenas concebo a ideia de ver estes programas a quem a nível da moral e da inteligencia fica a dever muito, e isto dá más perspectivas do potencial de desenvolvimento do nosso país…
      É triste!

  3. O programa é tão baixo que nem percebo como é possível uma estação de televisão apresentá-lo e não ter vergonha. Uma tristeza. Só contribui para deseducar o povo, estimular a violência que se quer combater, incentivar a ordinarice, a bimbice, a porcaria generalizada, o histerismo, e explorar aquela gente que se presta a protagonizar papéis que apenas servem para a chacota nacional. Uma vergonha!
    Geralmente só consigo ver minutos e fico cada vez mais embasbacada! Um pavor! Por amor de Deus, acabem com aquela bodega e afirmem-se pela positiva. Devíamos demonstrar que no nosso país temos mais nível do que aquilo!

  4. Caro “EU”, a sua opinião a mim nada me diz, quando diz que: “o que certamente é o seu caso”, não lhe vou responder, nem vai ter uma resposta minha á sua insinuação, apenas lhe tenho a dizer que o “EU” para mim é mais um daqueles “Ridículos” que comenta, critica, e acaba por ver, insinuando depois e acusando os outros de o fazerem, porque para criticarem o que se passa, tem de ver, por isso são piores do que todos aqueles que veem, por isso caro(a) “EU” se não entendeu a minha critica, não seja ridículo…

  5. No meu caso, a tvi perdeu um espectador…programas de treta, sem conteúdo de jeito com insultos e palavroes, ou seja, nada que preste…a tvi neste momento é um canal que só interessa para os cuscovilheiros e para aprender coisas que não interessam aprender.

  6. A verdade é nua e crua, muita gente critica, mas n faltam audiências para esses programas que na minha opinião são um atentado à inteligência das pessoas

RESPONDER

Aposta no Parlamento. 10% dos deputados são candidatos às autárquicas

De acordo com as contas do semanário Expresso, 23 deputados da Assembleia da República, ou seja, 10% dos 230 que compõem o hemiciclo, são candidatos às eleições autárquicas do outono. Na quinta-feira, foi aprovado na generalidade …

Relógio japonês parado pelo terramoto de 2011 volta a funcionar novamente (graças a outro sismo)

Um relógio japonês com 100 anos de idade que deixou de funcionar depois do devastador terramoto de 2011 voltou a trabalhar após um novo sismo este ano. De acordo com o jornal Maunichi Shumbun, o relógio, …

Ventura tem "receio" que partido seja ilegalizado

Este domingo, o Chega vai organizar uma manifestação contra a ilegalização do partido. André Ventura admitiu ter um "receio muito significativo". O Observador avança que a manifestação tem início no Príncipe Real, passa pelo Tribunal Constitucional …

Três mortos e 441 novos casos em Portugal

Este domingo, Portugal regista mais três mortes e 441 novos casos de infeção, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da Direção-Geral da Saúde, o país …

Grande Crise do Ketchup. A pandemia atacou um mercado improvável (e já há um mercado negro para o molho)

Os problemas da cadeia de suprimentos estão a chegar a um canto distante do universo empresarial: os pacotes de ketchup. O ketchup é o molho de mesa mais consumido nos restaurantes dos Estados Unidos, com cerca …

Autoridades brasileiras ilibam João Loureiro

João Loureiro já não é suspeito no processo que envolve a apreensão de um avião com 500 quilos de cocaína, segundo as autoridades brasileiras. As autoridades brasileiras descartaram, este sábado, qualquer ligação do advogado português João …

No Canadá, há dois rios que se encontram (mas não se misturam)

Em Nunavut, no Canadá, há dois rios que se encontram, mas não perdem a sua aparência individual enquanto se movem sinuosamente pela tundra. O Back River flui para o norte em direção ao Oceano Ártico. Ao …

Russos acusados de explosão na República Checa são suspeitos de envenenar Skripal

Os dois suspeitos russos, envolvidos na explosão que matou duas pessoas em 2014 na República Checa, têm os mesmos passaportes que os dois homens acusados de envenenar, com o agente nervoso novichok, o espião Sergei …

Numa cidade na Nova Zelândia, a Páscoa resume-se a exterminar coelhos

Em Alexandra, na região de Otago, os coelhos são considerados pragas, uma espécie que ameaça a biodiversidade do país e a agricultura. Elle Hunt, correspondente do The Guardian em Auckland, na Nova Zelândia, escreveu um artigo …

Reavaliação de barragens da EDP ficou por fazer, depois de Governo ter recuado na decisão

No início do ano passado, o ministério do Ambiente considerou ser necessário reavaliar as barragens da EDP, mas a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e a Parpública disseram não ter competências para fazer a avaliação …