Encontrados misteriosos “vasos da morte” numa floresta remota do Laos

Investigadores descobriram 15 locais no país do Laos, no Sudeste Asiático, que continham mais de cem enormes jarros de pedra de há cerca de mil anos. Acredita-se que os potes tenham sido usados ​​para armazenar os mortos.

Foram encontrados milhares de jarros semelhante em todos os vales e colinas do planalto central de Xiangkhoang, mas as suas origens e propósitos têm intrigado os arqueólogos há muito tempo. Uma teoria propõe que os corpos foram colocados dentro durante um conjunto complexo de práticas funerárias.

A última descoberta indica que os frascos foram espalhados por uma área maior do que se pensava anteriormente, de acordo com uma equipa de arqueólogos da Universidade Nacional Australiana. No total, identificaram 137 frascos individuais numa área florestal remota e montanhosa com a ajuda de autoridades do governo do Laos.

“Os novos sítios foram visitados apenas por caçadores de tigres ocasionais. Agora redescobrimos, esperamos construir uma imagem clara sobre a cultura e como se livrava dos seus mortos”, disse Nicholas Skopal, um dos membros da ANU em comunicado.

Outro membro da equipa da ANU, Dougald O’Reilly, diz que a distribuição mais ampla pode significar que as práticas funerárias associadas também eram mais comuns do que os especialistas supunham.

“É evidente que os potes, alguns a pesar várias toneladas, foram esculpidos em pedreiras e de alguma forma transportados, muitas vezes vários quilómetros até aos seus locais atuais”, disse O’Reilly. “Mas a razão pela qual estes locais foram escolhidos como o local de descanso final para os jarros ainda é um mistério. Além disso, não temos evidências de ocupação nesta região.”

Ao lado dos potes, os arqueólogos também encontraram discos esculpidos, que podem ter funcionado como algum tipo de marcador de enterro. Curiosamente, o lado dos discos que continham as esculturas elaboradas foi encontrado virado para baixo. Entre as esculturas, a equipa identificou círculos concêntricos, figuras humanas e criaturas. “O entalhe decorativo é relativamente raro nos locais dos jarros e não sabemos por que alguns discos têm imagens de animais e outros têm desenhos geométricos”, disse O’Reilly.

Além disso, os locais também estavam cheios de outros artefactos, incluindo cerâmicas, contas de vidro, ferramentas de ferro, jóias, equipamentos de fabricação de panos e vários frascos em miniatura.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Esse método de utilizar vasos como “caixões” é comum em antigas culturas indigenas da América do Sul. Contudo aqui os vasos eram confeccionados em cerâmica. Nesses enormes vasos eram depositados os mortos com os joelhos flexionados e bastante compactos.

RESPONDER

Bancos querem passar a cobrar por grandes depósitos. Particulares escapam

BCP, Novo Banco e Caixa Geral de Depósitos defendem que é preciso cobrar aos grandes clientes por depósitos de grande dimensão. Particulares e pequenas e médias empresas escapariam desta medida. A ideia foi lançada pelo …

Filho de Bolsonaro já não vai ser embaixador em Washington

O deputado Eduardo Bolsonaro, filho do Presidente do Brasil, anunciou na terça-feira, na Câmara dos Deputados, que desistiu da sua indicação para embaixador do país em Washington, nos Estados Unidos (EUA). Na véspera, Jair Bolsonaro, que …

OE2020. Catarina Martins critica chantagem da Comissão Europeia a cada ano

A coordenadora do Bloco de Esquerda criticou esta terça-feira a chantagem da Comissão Europeia em relação a Portugal repetida a cada legislatura e a cada ano, reiterando a disponibilidade "para negociar um Orçamento do Estado …

Maior parte das escolas não cumprem lei de 2009 sobre a educação sexual

Grande parte das escolas não está a cumprir a lei de 2009 que define como deve ser dada a educação sexual no ensino obrigatório, do 1.º ao 12.º ano de escolaridade. A conclusão surge num relatório …

Pouco poder, mas algum. Deputados únicos podem desencadear revisão da Constituição

Os deputados únicos não têm poder para pedir a votação do programa de Governo, ao contrário dos grupos parlamentares, nem podem sozinhos censurar o Executivo, mas podem desencadear, como qualquer parlamentar, um processo de revisão …

Funcionários públicos esperam entre 100 e 280 dias para se poderem reformar. Processo pode ser acompanhado online

A atribuição das novas pensões de reforma aos funcionários públicos está a demorar, em média, entre 100 a 280 dias - ou seja, entre três e mais de nove meses. A revelação foi feita esta terça-feira, …

"Onde está o Varandas?". Claques não faltaram à vitória do Sporting em hóquei em patins

Apesar das quebras de protocolos, Juventude Leonina e Diretivo Ultras XXI marcaram presença no jogo desta terça-feira de hóquei em patins entre o Sporting e a Oliveirense. Na noite desta terça-feira, o Pavilhão João Rocha foi …

Do azedume às contas do passado. Críticos internos atacam Rio

Depois de Rui Rio ter anunciado esta segunda-feira que se recandidata à liderança do PSD, os críticos internos vieram a público. Acusam-no de querer dividir o partido e ajustar contas com o passado e esperam …

"Acho ridículo que sejam feitas obras, portas ou não", diz Ventura

O CDS que não quer o líder do Chega no meio dos seus deputados e a solução pode mesmo passar por abrir uma porta especial para o deputado. "Acho ridículo", comenta André Ventura. Na última conferência …

Duas vitórias em 14 jogos. Benfica quer travar o calvário da Champions

O Benfica recebe esta quarta-feira o Lyon, estando praticamente obrigado a ganhar para seguir em frente na competição milionária. Apesar de reconhecer a dificuldade, Rúben Dias acredita os encarnados vão voltar aos bons resultados. A …