Encontrados misteriosos “vasos da morte” numa floresta remota do Laos

Investigadores descobriram 15 locais no país do Laos, no Sudeste Asiático, que continham mais de cem enormes jarros de pedra de há cerca de mil anos. Acredita-se que os potes tenham sido usados ​​para armazenar os mortos.

Foram encontrados milhares de jarros semelhante em todos os vales e colinas do planalto central de Xiangkhoang, mas as suas origens e propósitos têm intrigado os arqueólogos há muito tempo. Uma teoria propõe que os corpos foram colocados dentro durante um conjunto complexo de práticas funerárias.

A última descoberta indica que os frascos foram espalhados por uma área maior do que se pensava anteriormente, de acordo com uma equipa de arqueólogos da Universidade Nacional Australiana. No total, identificaram 137 frascos individuais numa área florestal remota e montanhosa com a ajuda de autoridades do governo do Laos.

“Os novos sítios foram visitados apenas por caçadores de tigres ocasionais. Agora redescobrimos, esperamos construir uma imagem clara sobre a cultura e como se livrava dos seus mortos”, disse Nicholas Skopal, um dos membros da ANU em comunicado.

Outro membro da equipa da ANU, Dougald O’Reilly, diz que a distribuição mais ampla pode significar que as práticas funerárias associadas também eram mais comuns do que os especialistas supunham.

“É evidente que os potes, alguns a pesar várias toneladas, foram esculpidos em pedreiras e de alguma forma transportados, muitas vezes vários quilómetros até aos seus locais atuais”, disse O’Reilly. “Mas a razão pela qual estes locais foram escolhidos como o local de descanso final para os jarros ainda é um mistério. Além disso, não temos evidências de ocupação nesta região.”

Ao lado dos potes, os arqueólogos também encontraram discos esculpidos, que podem ter funcionado como algum tipo de marcador de enterro. Curiosamente, o lado dos discos que continham as esculturas elaboradas foi encontrado virado para baixo. Entre as esculturas, a equipa identificou círculos concêntricos, figuras humanas e criaturas. “O entalhe decorativo é relativamente raro nos locais dos jarros e não sabemos por que alguns discos têm imagens de animais e outros têm desenhos geométricos”, disse O’Reilly.

Além disso, os locais também estavam cheios de outros artefactos, incluindo cerâmicas, contas de vidro, ferramentas de ferro, jóias, equipamentos de fabricação de panos e vários frascos em miniatura.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Esse método de utilizar vasos como “caixões” é comum em antigas culturas indigenas da América do Sul. Contudo aqui os vasos eram confeccionados em cerâmica. Nesses enormes vasos eram depositados os mortos com os joelhos flexionados e bastante compactos.

RESPONDER

Luís Filipe Vieira pediu informações sobre Keylor Navas em Madrid

O presidente do Benfica aproveitou a visita a Madrid para saber mais pormenores sobre a situação do guarda-redes dos merengues. O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, dirigiu-se na passada segunda-feira a Madrid para ultimar os …

Jovens que acusaram Harry de “traição da raça” condenados com pena de prisão

O caso remonta a dezembro de 2018, quando surgiram as primeiras notícias de uma investigação da BBC que envolvia a família real britânica. Um grupo neonazi era responsável por uma propaganda online onde sugeriam que o …

UEFA confirma três jogos de suspensão para Neymar

A UEFA anunciou, esta quarta-feira, que rejeitou o recurso do Paris Saint-Germain e manteve os três jogos de suspensão a Neymar, na sequência de insultos aos árbitros na partida com o Manchester United, da Liga …

Transportes estão cada vez mais cheios. Carris vai comprar 100 novos autocarros

A Carris vai lançar dois concursos para a aquisição de 100 novos autocarros, 70 dos quais a gás natural e 30 elétricos, anunciou o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina. Falando na apresentação da …

Apenas 59% dos habitantes da Europa ocidental confiam na vacinação. França é o país com mais dúvidas

Na Europa oriental, apenas metade da população olha para as vacinas como uma forma segura de prevenção de saúde. No caso da zona ocidental, o número sobe para os 59%, mas fica ainda distante dos …

César Peixoto é o novo treinador da Académica

O antigo futebolista é o novo treinador da Académica, sucedendo a João Alves no comando técnico dos estudantes, anunciou o clube que integra a II Liga portuguesa. César Peixoto vai ser apresentado às 17h00, em conferência …

Tribunal diz que ausência de resistência de vítima de violação é "desejo de sobreviver"

Quando as vítimas não resistem, revelam "o desejo de sobreviver a uma situação cujo controlo não detêm", adotando um comportamento de preservação, diz o Tribunal da Relação de Lisboa. O Tribunal da Relação de Lisboa considerou …

Draghi abre a porta a cortes nas taxas de juro

Mario Draghi afirmou esta terça-feira que se o objetivo de ficar abaixo dos 2% de inflação estiver ameaçado, "estímulos adicionais serão necessários". O presidente do BCE admitiu mesmo uma descida das taxas. O presidente do BCE, Mario …

SNS dá “sinais de cansaço” e tem sistema “que não é amigo do cidadão”

A Convenção Nacional da Saúde concluiu esta terça-feira que o SNS “dá sinais de cansaço” e avisa que os portugueses “não podem ter listas de espera de anos” por consultas ou cirurgias, nem ter “enormes …

Violência doméstica: sobe para 16 o número de mulheres mortas em 2019

O número de mulheres mortas desde o início do ano em contexto de violência doméstica subiu para 16, segundo a contabilidade feita pelo Público com base nas notícias publicadas sobre o assunto. O número exclui …