Encontrado o dinossauro com mais problemas de saúde do mundo

Eduard Solà / Wikimedia

Fóssil de Dilophosaurus em exibição no Royal Ontario Museum, Canadá

Fóssil de Dilophosaurus em exibição no Royal Ontario Museum, Canadá

Foi recentemente identificado o dinossauro do Jurássico que bate todos os recordes de problemas de saúde. O resiliente terápode sobreviveu a oito graves feridas, enfermidades e deformações.

O dinossauro com mais inconvenientes de saúde de sempre foi recentemente identificado. No momento da sua morte, este terápode Dilophosaurus tinha nada menos do que oito lesões, enfermidades e deformações graves, revela um estudo publicado esta quarta-feira na PLOS One.

O dinossauro com mais contrariedades conhecido até agora era Sue, uma Tiranossauris Rex que se encontra exposta no Museu de História Natural de Chicago. A infeliz Sue tem quatro ossos fracturados nas patas dianteiras.

“Não nos limitámos a bater o recorde de lesões de Sue, duplicámos esse recorde”, diz o paleontólogo Phil Senter, professor de Biologia na Fayetteville State University da Carolina do Norte, e co-autor do estudo, citado pela Live Science.

Os Dilophosaurus eram bípedes carnívoros do Jurássico, pesavam até 500 quilogramas e mediam cerca de seis metros de comprimento.

Este infeliz exemplar, em particular, foi encontrado no Arizona, em 1942. Ninguém lhe tinha prestado atenção, até que Phil Senter e Sara Juengst, antropóloga e arqueóloga da Apalachian State University, em Boone, nos Estados Unidos, se interessaram pelos restos do animal.

Os investigadores descobriram, em primeiro lugar, que o dinossauro tinha uma fractura curada na omoplata esquerda.

Além disso, o seu cúbito esquerdo apresentava sinais de uma osteomielite – uma inflamação óssea, habitualmente causada por uma infecção bacteriana ou fúngica.

Ao contrários dos mamíferos, os dinossauros e as aves não conseguem regenerar o tecido ósseo depois de uma inflamação.

P.Senter, S.L.Juengst / PLOS One

O Dilophosaurus encontrado por Phil Senter e Sara L. Juengst tinha oito lesões, enfermidades e deformações graves

O Dilophosaurus encontrado por Phil Senter e Sara Juengst tinha oito lesões, enfermidades e deformações graves

O lado direito do corpo do Dilophosaurus estava longe de estar intacto. Os investigadores descobriram nada menos que 3 sarcomas osteogénicos – tumores ósseos malignos – que afligiam o terápode.

E como se não bastasse, o animal sofria de osteodisplasia, uma perturbação do desenvolvimento ósseo no decurso do seu desenvolvimento, que numa das patas lhe provocou uma deformação de dois dos três dedos que caracterizam os terápodes.

“É como se o indivíduo estivesse sempre a mostrar o dedo aos outros num gesto obsceno”, diz Senter.

Este não é apenas o dinossauro mais doente do mundo. É também o mais malcriado.

P.Senter, S.L.Juengst / PLOS One

O Dilophosaurus sofria de Osteodisplasia

O Dilophosaurus sofria de Osteodisplasia

AJB, ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

Depois do "selo Brexit", os correios da Áustria emitem o "selo corona" impresso em papel higiénico

O serviço postal da Áustria uniu dois pontos da pandemia do novo coronavírus ao criar um selo impresso em papel higiénico que, segundo os correios, as pessoas também podem, a qualquer momento, usar para ajudar …

A Moog celebra os 100 anos do Theremin com um novo instrumento: o Claravox Centennial

Este ano marca o 100º aniversário do Theremin - um dos primeiros instrumentos musicais completamente eletrónicos, controlado sem qualquer contacto físico pelo músico. Para celebrar vai ser lançado o Claravox Centennial. Foi em 1920 que Leon Theremin, …

Depósito inexplorado na Sibéria tem uma das maiores reservas de ouro do mundo

O maior produtor de ouro da Rússia, PJSC Polyus, anunciou esta semana que o seu depósito inexplorado em Sukhoi Log, na região siberiana de Irkutsk, possui uma das maiores reservas mundiais deste metal preciosos. De …

Os novos iPhones não trazem carregador. Apple poupa muito nos custos, mas não no ambiente

A Apple decidiu vender os seus novos iPhones sem carregador ou auscultadores, alegando que a alteração tem em conta o ambiente, uma vez que serão utilizados menos produtos na embalagem dos telemóveis, mas os especialistas …

Caça ao tesouro secular. Lendária ilha pode esconder Santo Graal, manuscritos de Shakespeare e jóias reais

Perto da Nova Escócia, no Canadá, há uma lendária ilha com misteriosos túneis e estranho artefactos. Há quem acredite que esconde o Santo Graal, os manuscritos de Shakespeare e um tesouro de um capitão. Porém, …

Aprender "baleiês" pode evitar choque de navios com o animal

Uma equipa de cientistas da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, tem uma nova ideia para salvar as baleias-azuis em migração das colisões com navios. Durante a época de migração das baleias-azuis, os animais enfrentam sérios …

Afinal, os carros elétricos não são a melhor resposta para combater as alterações climáticas

Os carros elétricos, surgem como alternativas mais sustentáveis aos veículos a gasolina ou gasóleo, podem não ser a melhor forma de combater as alterações climáticas no âmbito dos transportes, de acordo com um novo estudo. …

Seria Jesus um mágico? Há arte romana que parece sugerir que sim

Em alguma arte antiga, Jesus é retratado a fazer milagres com algo na mão que parece ser uma varinha. Investigadores sugerem que se trata de um cajado, que era usado como símbolo de poder. Segundo a …

Nem todos os clubes estão a afundar – alguns estão a prosperar durante a pandemia

Nem todos os clubes estão a sofrer às mãos desta pandemia de covid-19. Alguns deles têm conseguido bons resultados financeiros apesar da crise. A covid-19 provou ser um adversário devastador para o desporto profissional em todo …

Kibus: o aparelho que vai revolucionar a forma como os nossos cães se alimentam

Ter cães como melhores amigos pode ser muito benéfico, mas também traz a sua dose de trabalho e responsabilidades. Levar ao veterinário, dar banho, levar a passear, brincar, dar de comer... No fundo é como …