Empresa tecnológica diz ter encontrado Atlântida (outra vez)

DaakSM / Deviant Art

Conceito artístico da Atlântida de Platão

Desde o final do século XIX, vários cientistas têm desenvolvido inúmeras teorias sobre a localização de Atlântida, a mítica ilha descrita por Platão em 360 a.C. Desde então, vários lugares foram sendo apontados como Antártida, Bolívia, a Turquia, Alemanha, Malta e Caraíbas.

Agora, numa nova investigação, a empresa tecnológica Merlin Burrows afirma ter localizado a misteriosa ilha depois de estudar os textos de Platão, bem como dados históricos e satélites, relata o portal de ciência Live Science.

A empresa acredita Atlântida está localizada no oeste da Andaluzia, a sul de Espanha. A Merlin Burrows descreve-se como uma uma empresa que procura sítios arqueológicos em terra e no mar, sendo especializada em encontrar coisas “esquecidas ou escondidas”.

Sediada no condado de Yorkshir, no Reino Unido, a empresa recorreu às imagens dos satélites comerciais Landsat 5 e Landsat 8, que fornecem dados para o Google Earth, para  descobrir o paradeiro da mítica Atlântida.

Especificamente, Atlântida, que é “maior do que a Líbia e a Ásia juntas”, tal como é descrito por Platão nas suas obras, foi localizada no local onde hoje encontramos o Parque Nacional de Doñana, no estuário do rio Guadalquivir, em Espanha.

De acordo com o relato da empresa britânica, foram encontradas amostras concretas no local: a equipa da Merlin Burrows descobriu os vestígios de grandes círculos que podem ter servido de base para as colunas do Templo de Poseidon, o deus dos mares, assim como resto de uma pátina verde-azulada.

A equipe encontrou ainda vestígios de um longo muro oceânico, bem como sinais de tsunami – que pode ser uma prova do evento catastrófico que ditou o fim da olha. Platão descreveu que os deuses destruíram a Atlântida há 9.000 anos um desastre cataclísmico.

Os investigadores chegaram mesmo a levar a cabo uma análise aos vestígios encontrados no espaço natural de Andaluzia que, segundo os mesmos, é fruto de uma obra criada pelo Homem. O material é datado de há 10.000 e 12.000 anos, disseram.

Apesar de fascinante, a descoberta foi recebida com muito ceticismo pela comunidade científica. Antes do mais, porque não foi publicado qualquer estudo com os resultados da investigação – ou seja, não houve qualquer revisão dos pares. A empresa limitou-se a divulgar um comunicado de imprensa e a lançar um documentário. E, por isto, são necessário dados adicionais para confirmar os resultados.

Além disso, os britânicos não são os primeiros que se atrevem apontar a localização da mítica Atlântica. Estudos anteriores davam já conta que o Parque Nacional e Natural de Doñana, considerado como uma jóia na paisagem do estuário do Guadalquivir, poderia abrigar a mítica civilização perdida.

Depois das “várias” Atlântidas já anunciadas – que vão desde da Tanzânia até à Alemanha -, a mítica ilha de Platão parece continuar com a sua localização em segredo.

ZAP // RT

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Há aqui alguma contra-informação jornalística. Não podemos acreditar em tudo o que lemos sem investigar primeiro… e investigar é um (maiores) deveres jornalísticos.
    Quando Platão diz que Atlântida é “maior do que a Líbia e a Ásia juntas”:
    1) Como é óbvio não estava a designar os locais que hoje conhecemos por esses nomes (até porque não fazia sentido juntar um país e um continente gigante numa comparação…);
    2) Ele escreve esta frase em grego. A palavra “Ásia” para os antigos Gregos referia-se à atual Turquia (ou para alguns historiadores apenas uma pequena parte da Turquia);
    3) Igualmente, a palavra Líbia referia-se a algo diferente da atual Líbia. Não fica certo o quê, até porque os historiados têm várias hipóteses possíveis, mas possivelmente seria uma pequena zona a oeste do delta do Nilo;
    4) Na antiga Grécia, quando esse texto de Platão é escrito, o “tamanho” dos territórios não era a contabilização da área do mesmo (tal como hoje fazemos) mas sim a medida da linha de costa (na verdade este tipo de medição manteve-se até aos Descobrimentos). Isto põe Atlanta mais ou menos do mesmo cumprimento que a costa da Sardenha apenas.
    5) Mas há mais… em Grego essa frase usa o adjetivo “meizon” que pode ser traduzido por “maior que”, mas não é consensual entre os historiadores. Há outras traduções possíveis. No entanto muitos historiadores estão em crer que se tratou de um erro de cópia, e que nos textos originais o adjetivo seria “mezon”. Diferença de um “i” apenas, mas que significa “a meio caminho”. Neste caso seria “Atlanta é a meio caminho entre a Líbia (oeste do delta do Nilo) e a Asia (Turquia).

RESPONDER

Jackson Martínez recorda penálti falhado: "Adeptos do Benfica pensam que me vendi"

Os adeptos do Benfica não esquecem o penálti falhado por Jackson Martínez frente ao FC Porto, esta temporada. O golo teria colocado o Portimonense na frente do marcador. Em entrevista ao jornal Record, o avançado do …

"Solidariedade não é dar dinheiro." Holanda finca o pé e até critica Itália por "internar os mais velhos"

Há um novo braço-de-ferro na União Europeia (UE) entre os países do Norte e do Sul. Tudo por causa dos famigerados "coronabonds", instrumentos de dívida comum que países como Portugal, Espanha e Itália defendem para …

Vaga de doentes graves nas urgências poderá deixar SNS "inacessível"

Uma vaga de doentes graves às urgências, a juntar a cirurgias e consultas reagendadas, pode vir a deixar o SNS "inacessível" no futuro, alerta o presidente da Associação de Administradores Hospitalares. As idas à urgência nas …

CDS quer cheque de emergência para empresas encerradas

Uma das medidas, apresentadas por Francisco Rodrigues dos Santos, é a atribuição, às pequenas e médias empresas “encerradas ou com a actividade suspensa, um cheque de emergência no valor máximo de 15 mil euros”. O CDS …

Espanha regista 832 mortos nas últimas 24 horas. É o dia mais mortífero no país

A Espanha registou, nas últimas 24 horas, 832 mortos com o novo coronavírus, o maior número de vítimas mortais num só dia, elevando o balanço total para 5.690, de acordo com a última atualização das …

"O Brasil não pode parar". Bolsonaro compra campanha contra o isolamento social

Jair Bolsonaro gastou cerca de 800 mil euros numa campanha contra o isolamento social com o mote "O Brasil Não Pode Parar". O presidente brasileiro tem desvalorizado a pandemia de covid-19. Face à pandemia de covid-19, …

Crise leva Costa a reforçar intenções de voto. Ventura chega ao quarto lugar

Na mais recente sondagem às intenções de voto, os portugueses mostram estar de confiança reforçada em António Costa. O Chega ganha força e chega ao quarto lugar. Numa sondagem que apenas capta os primeiros dias do …

Descoberta criatura que pode ser o antepassado de quase todos os animais

Cientistas podem ter descoberto um dos primeiros ancestrais da árvore genealógica: uma criatura semelhante a um verme chamado Ikaria wariootia. Segundo a revista Newsweek, a minúscula criatura, parecida com um verme, é o exemplar mais antigo …

Bombardeamento israelita em Gaza em plena crise do novo coronavírus

O exército israelita bombardeou hoje postos do movimento radical Hamas em Gaza, em represália contra o disparo de um míssil, no primeiro confronto registado no enclave palestiniano em pleno surto do novo coronavírus, noticiou a …

Avião com material médico vindo da China chegou sem ventiladores e reagentes

O avião da Hi Fly que aterrou esta sexta-feira em Lisboa com material médico para ajudar Portugal a mitigar a pandemia de covid-19 chegou apenas com 24 das 35 toneladas previstas, faltando os reagentes para …