Em apenas dois dias, duas mulheres “dalit” morreram vítimas de violação na Índia

Sanjay Baid / EPA

Protestos na Índia, depois de mais uma jovem dalit morrer vítima de violação

De acordo com a polícia local, uma segunda mulher dalit morreu na Índia após ter sido violada por dois homens. Outro caso semelhante aconteceu esta semana, depois de uma jovem de 19 anos, do mesmo grupo social, também ter morrido depois de ter sido violentada.

O segundo caso diz respeito a uma jovem de 22 anos, que foi violada na terça-feira por dois homens, acabando depois por morreu a caminho do hospital no Estado de Uttar Pradesh. Em declarações à NDTV, a mãe da vítima explicou que “Ela foi deixada em frente a nossa casa. A minha filha mal se conseguia levantar ou falar”.

A jovem pertencia ao grupo social dalit, que anteriormente eram chamados de “intocáveis”. Este grupo está à margem do rígido sistema de castas da Índia, sendo normalmente uma comunidade bastante desfavorecida e com graves problemas socioeconómicos.

O ataque à jovem de 22 anos ocorreu no distrito de Balrampur, em Uttar Pradesh. Segundo a polícia local, os dois suspeitos foram presos e acusados de violação coletiva e homicídio. As autoridades indicaram que a investigação ainda está em curso, e que os suspeitos poderão ser julgados por um tribunal especial.

Contudo, esta semana já tinha ocorrido um crime do mesmo género. A cerca de 500 quilómetros de Balrampur, outra jovem da comunidade dalit foi violada em setembro – alegadamente por quatro homens de castas superiores – acabando também por não resistir aos ferimentos e morrer esta terça-feira no hospital onde se encontrava internada.

A morte da jovem indiana gerou uma onde de protestos em Nova Deli, e em várias cidades de Uttar Pradesh.

A deputada Priyanka Chaturvedi recordou, através de uma publicação no Twitter, que “a morte de uma rapariga de 19 anos por causa de uma violação é mais uma lembrança das falhas da lei, e no sistema em Uttar Pradesh. Durante quanto tempo vão as mulheres continuar a enfrentar um ambiente inseguro sem apoio do sistema?”.

Estes novos casos de violação ocorrem após a execução, a 20 de março, de quatro homens que violaram em grupo e assassinaram uma estudante num autocarro em Nova Deli, em dezembro de 2012 – um crime que se tornou um símbolo da violência sexual contra as mulheres na Índia.

Os cerca de 200 milhões de dalit indianos sofrem agressões e discriminação há muito tempo, mas de acordo com os seus defensores, as agressões aumentaram durante a pandemia causada pelo novo coronavírus.

Em 2019, uma média de 87 violações diárias foi registada na Índia e os crimes contra as mulheres aumentaram em mais de 7% por ano, de acordo com dados oficiais divulgados na terça-feira.

No entanto, este número poderá ser muito superior, uma vez que muitas das violações não são denunciadas.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Chamar aos “dalit” intocáveis não é nenhum privilégio. (eu sei que não foi isso que os jornalistas disseram, vá lá, não fiquem já ofendidos) É que na Índia existem seres humanos que em nome de uma Religião são considerados os restos. Ou seja são seres quase não humanos, são considerados nojentos e por isso não se podem tocar, são intocáveis. Algumas pessoas nem sabem a sorte que têm por terem nascido cristãs.

  2. Como se pode chamar “a maior democracia do mundo” a esse país com uma sociedade de castas sendo que a igualdade é um dos pilares da democracia? O que faz a propaganda!…

RESPONDER

Luzes cintilantes mostram potencial como novo tratamento para o Alzheimer

Uma equipa de investigadores usou som e luzes cintilantes para tratar ratos com a doença de Alzheimer, obtendo alguns resultados positivos. Agora, os cientistas testaram o mesmo tratamento em humanos, conseguindo mais uma vez resultados …

Planeta Terra passa a ter (oficialmente) cinco oceanos

A National Geographic Society fez o primeiro mapeamento dos oceanos em mais de 100 anos e, desta vez, reconhece que a Terra possui cinco oceanos. Definir as fronteiras dos oceanos da Terra não é uma tarefa …

O misterioso escurecimento da Betelgeuse foi oficialmente desvendado

A causa da misteriosa perda de brilho da estrela foi causada por uma nuvem gigante de poeira, expelida pela própria supergigante vermelha. O "Grande Escurecimento da Betelgeuse", como passou a ser conhecido, foi um fenómeno que …

Entre cursos de água e "kahns", a Alemanha ainda alberga uma minoria étnica de língua eslava

As nações europeias nasceram e desvaneceram ao longo do tempo, mas há uma minoria étnica de língua eslava que permanece dentro da Alemanha. Lehde é uma pacata vila, com cerca 150 habitantes, de ilhas pantanosas interligadas …

Itália 3-0 Suíça | Squadra Azzurra volta a ganhar e a encantar

A Itália tornou-se hoje a primeira seleção a garantir o apuramento para os oitavos de final do Euro2020 de futebol, ao vencer a Suíça por 3-0, em encontro da segunda jornada do Grupo A, disputado …

Sony apresenta o seu primeiro drone, o Airpeak S1

Há algum tempo que a Sony planeava lançar um drone, agora, é oficial. A empresa de tecnologia apresentou um drone chamado Airpeak S1 que será, muito provavelmente, o primeiro de muitos. A Sony anunciou oficialmente o …

Candidaturas a astronauta da Agência Espacial Europeia encerram na sexta-feira

Os candidatos têm de ter, pelo menos, um mestrado e experiência profissional, serem fluentes em inglês e ter mais de 1,30 metros.  O prazo para apresentação de candidaturas a vagas para novos astronautas da Agência Espacial …

Dois meses no escuro. Valentina Miozzo passou a quarentena sozinha no Ártico

A pandemia de covid-19 foi um duro golpe de solidão forçada para a maioria das pessoas, mas para a italiana Valentina Miozzo foi a oportunidade perfeita para usufruir de alguns momentos a sós. A meio da …

Pedras misteriosas provocam "corrida aos diamantes" na África do Sul

Uma verdadeira "febre de diamantes" assolou a vila de KwaHlathi, na província de KwaZulu-Natal, litoral da África do Sul. Centenas de pessoas, com utensílios caseiros a servir de engenhos de mineração, ocuparam um terreno à …

Designer cria um "terceiro olho" para quem vive agarrado ao telemóvel

Um designer industrial sul-coreano criou, recentemente, um “terceiro olho” para ajudar aqueles que, mesmo em andamento, não conseguem tirar os olhos do telemóvel. O designer industrial Minwook Paeng criou recentemente o The Third Eye ('terceiro olho' …