Economista suspeito de terrorismo por escrever equações matemáticas no avião

Penn University

Guido Menzio, professor de Economia na Penn University

Guido Menzio, professor de Economia na Penn University

O italiano Guido Menzio, professor de Economia da Universidade de Pensilvânia (EUA), acabou por ser o motivo do atraso de um voo depois de a passageira ao seu lado o ter confundido com um terrorista ao vê-lo a trabalhar numa equação matemática.

De acordo com o Washington Post, Guido Menzio voava este sábado para a Universidade Queens, no Canadá, onde daria uma palestra, tendo embarcado num voo de ligação da American Airlines proveniente de Filadélfia (Pensilvânia) para Syracuse (Nova Iorque).

A passageira que estava sentada ao seu lado no avião tentou iniciar uma conversa, mas Menzio não mostrou muito interesse e voltou às suas anotações.

Um pouco depois, a mulher chamou uma hospedeira de bordo e passou-lhe uma nota. Enquanto os passageiros esperavam que o avião descolasse, a funcionária dirigiu-se novamente à vizinha de Menzio e, perguntando se se sentia bem, acompanhou-a até à porta do avião.

O economista italiano foi então retirado do avião para ser interrogado por suspeita de ser terrorista.

O que se passou? A passageira viu Guido Menzio a resolver equações diferenciais no seu caderno e, preocupada, alertou a tripulação, supondo que o investigador poderia ser um terrorista.

“Eles disseram-se que ela pensou que eu era um terrorista porque estava a escrever coisas estranhas no meu caderno. Ri-me e voltamos para o avião. Tive que mostrar as minhas equações matemáticas”, escreveu Menzio na sua página no Facebook.

O italiano acabou por voltar ao voo, que partiu com mais de duas horas de atraso.

“Tem uma certa piada, mas é um pouco preocupante”, afirmou Menzio. “A mulher olhou para mim, viu-me a escrever uma fórmula misteriosa e concluiu que eu tinha más intenções. Por causa disso, um voo inteiro atrasou”, relatou.

Ele disse à agência AP que a tripulação deveria ter feito verificações adicionais antes de decidir suspender a partida. “Se decidirmos não investigar um pouco mais um alerta de ‘atividade suspeita’ iremos criar muitos problemas, especialmente se considerarmos que estão a surgir cada vez mais atitudes xenófobas.”

A American Airline, cuja parceira regional Air Wisconsin estava a operar o voo em questão, disse que a tripulação obedeceu as normas protocolares ao cuidar de um passageiro doente e, então, investigar suas alegações – que, concluiu-se, não tinham fundamento.

A mulher, cuja identidade continua anónima, foi transferida para um voo que partiria mais tarde naquela mesma noite.

ZAP / SN / BBC

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. “O italiano Guido Menzio, professor de Economia da Universidade de Pensilvânia (EUA), acabou por ser o motivo do atraso de um voo” – não, não foi o italiano o motivo do atraso
    ” a passageira ao seu lado o ter confundido com um terrorista ao vê-lo a trabalhar numa equação matemática. (…) O economista italiano foi então retirado do avião para ser interrogado por suspeita de ser terrorista.” – esta é que foi o motivo do atraso.
    Já vai em altura de a comunicação social começar a escrever factos, não insinuações

RESPONDER

OE2021 ainda não foi votado, mas já se espera um aumento da despesa em mais de 300 milhões

Entre a entrega da proposta e a votação, o Governo voltou a negociar com os partidos, mostrando abertura para medidas na especialidade que deverão custar pelo menos mais 300 milhões de euros. O Orçamento do Estado …

Portugal é dos 10 países com melhores políticas de integração de migrantes

Portugal está no grupo dos dez países com melhores políticas de integração de migrantes, segundo uma avaliação de 52 estados que destaca o combate à discriminação ou a reunificação familiar como pontos fortes. Segundo o Índice …

Lukashenko classifica grevistas e manifestantes como terroristas. Mais de 600 pessoas foram detidas

O Presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, comparou com terrorismo a atitude de manifestantes e grevistas que participaram na greve nacional convocada pela oposição e nos protestos de cidadãos para exigir a sua renúncia. "Estamos a começar …

"Não acredito que cumpra as nossas leis". Trump diz que voto por correspondência é "inapropriado"

O Presidente dos Estados Unidos (EUA) disse que é "inapropriado" os estados levarem vários dias a contar os votos por correspondência, defendendo que o vencedor deve ser declarado na noite das eleições. "Seria muito, muito apropriado …

Reservas de sangue O+ e A+ com níveis críticos. Federação apela à dádiva

A Federação Portuguesa de Dadores Benévolos de Sangue (FEPODABES) alertou, esta terça-feira, que as reservas nacionais estão com níveis críticos dos tipos O+ e A+, apelando aos portugueses para darem sangue. Em comunicado, a FEPODABES refere …

Madeira quer visitantes infetados a ajudar nas despesas da estadia. "É aquilo que é justo"

O presidente do Governo madeirense anunciou esta terça-feira que decorrem diligências para encontrar mais uma unidade hoteleira para acolher doentes com covid-19, defendendo que os visitantes infetados devem ajudar a custear as despesas da sua …

Filhos de pais separados não podem circular entre concelhos no fim-de-semana

Os filhos de pais separados não poderão deslocar-se entre concelhos para efetuar trocas de residência entre os progenitores entre 30 de outubro a 3 de novembro, o próximo fim-de-semana que abrange o Dia de Todos …

Receita fiscal cai 2.822,7 milhões arrastada pela quebra do IVA e IRC

A receita fiscal do subsetor Estado registou uma redução de 2.822,7 milhões de euros até setembro, recuando 8,3% face ao mesmo período de 2019, refletindo os efeitos da pandemia, segundo a Síntese de Execução Orçamental. “No …

Novo Banco põe à venda carteiras de malparado (e têm nomes de jogadores de râguebi)

Depois de ter cancelado o projeto “Nata 3”, com crédito malparado no valor de 1,2 mil milhões de euros, o Novo Banco prepara agora a venda de carteiras de dimensões mais reduzidas. A revelação foi feita …

"Racismo cultural". Com França e Turquia em rota de colisão, Charlie Hebdo publica caricatura de Erdogan

Numa altura em que França e Turquia estão em rota de colisão, a publicação satírica Charlie Hebdo colocou o presidente turco Recep Tayyip Erdogan na capa a levantar as vestes de uma mulher. De acordo com …