Economia cresceu 0,4% no primeiro trimestre

SXC

A economia portuguesa cresceu 1,4% no primeiro trimestre deste ano em termos homólogos e 0,4% face ao trimestre anterior, segundo a estimativa rápida das Contas Nacionais Trimestrais, divulgada esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

Os dados do INE estão em linha com os valores mais baixos apresentados pelos analistas, que oscilavam entre uma recuperação de 1,4% e 1,7% em termos homólogos, no caso do BPI e do Montepio, enquanto o Núcleo de Estudos sobre a Conjuntura da Economia Portuguesa (NECEP) da Universidade Católica previa uma melhoria de 2,1%.

Estes analistas do BPI e do Montepio tinham igualmente antecipando um crescimento económico em cadeia entre 0,4% e os 0,5%, ao contrário dos analistas do BBVA e do NECEP que previam um crescimento mais expressivo, entre os 0,9% e o 1%.

O INE justifica que a aceleração de 1,4% em volume do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre de 2015, em termos homólogos, “esteve associada ao aumento do contributo da procura externa líquida”, em resultado do “abrandamento das importações de bens e serviços e da aceleração das exportações de bens e serviços”.

O crescimento de 1,4% compara com a variação de 0,6% atingida no quarto trimestre de 2014.

O INE explica ainda que o aumento de 0,4% em termos reais no primeiro trimestre, face ao anterior, reflete o contributo positivo da procura interna e lembra que esta variação foi idêntica à verificada nos últimos três meses de 2014, face ao trimestre precedente.

“Esta estimativa rápida tem implícito um ganho de termos de troca superior ao observado no trimestre anterior, sendo o deflator das importações significativamente negativo, refletindo nomeadamente a redução dos preços dos bens energéticos”, lê-se no documento.

O gabinete de estatísticas reforça que a procura interna apresentou “um contributo positivo menos significativo” no primeiro trimestre, em termos homólogos, devido “ao acentuado contributo negativo da variação de existências”, mas destaca que face ao trimestre anterior, o crescimento do PIB “traduziu o contributo positivo da procura interna”.

Esta estimativa rápida, detalha o INE, incorpora revisões na informação de base utilizada, nomeadamente decorrentes da utilização dos dados mais recentes do comércio internacional de bens, com revisões em termos nominais e ao nível dos deflatores para o quarto trimestre de 2014.

Além disso, inclui a revisão para o ano de 2014 dos indicadores de curto prazo, informação nova que implicou uma revisão em baixa de 0,1 pontos percentuais nas taxas de variação homóloga e em cadeia do PIB para o quarto trimestre de 2014, explica.

Os resultados correntes das Contas Nacionais Trimestrais do primeiro trimestre de 2015 serão divulgados no próximo dia 29 de maio de 2015, diz o INE.

O Eurostat apresenta também hoje os dados referentes à evolução do PIB dos países da União Europeia.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

34 anos depois, dados da Voyager 2 revelam mais um segredo de Urano

Mais de 30 anos depois, os dados da Voyager 2, que sobrevoou o planeta em 1986, permitiram aos cientistas da NASA desvendar mais um segredo de Urano. Em janeiro de 1986, a Voyager 2 sobrevoou Urano. …

Está a nevar em Plutão

Em julho de 2015, a sonda New Horizons da NASA concluiu uma longa e árdua jornada pelo Sistema Solar, viajando a 36.000 mph durante nove anos e meio. Toda a missão focava-se em mapear a …

Cientistas dão um importante passo na criação de uma Internet quântica segura

Uma nova investigação da Universidade de Harvard e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos, revelou o elo que faltava para termos uma Internet quântica funcional e prática: uma forma de corrigir os …

Os pedregulhos de Bennu brilham como faróis para a Osiris-Rex da NASA

Este verão, a sonda OSIRIS-REx empreenderá a primeira tentativa da NASA de tocar a superfície de um asteroide, recolher uma amostra e recuar em segurança. Mas, desde que chegou ao asteroide Bennu há mais de …

Cidades subterrâneas podem ser um bom refúgio para futuros desastres

Especialistas ouvidos pelo portal One Zero acreditam que cidades subterrâneas podem ser um bom refúgio para populações que possam vir a enfrentar desastres naturais no futuro potenciados pelas alterações climáticas. À medida que os desastres naturais …

Descobertas três novas espécies de pterossauro em Marrocos

Cientistas encontraram três novas espécies de pterossauro, que viveram no deserto do Sahara, há 100 milhões de anos, em Marrocos. De acordo com o site EurekAlert!, estas três novas espécies de pterossauro faziam parte de um …

Texto português do século XVI mostra eficácia da quarentena

Um especialista australiano descobriu num texto português do século XVI uma prova de que a quarentena ou o isolamento podem impedir a globalização de uma doença como a covid-19, que já provocou mais de 30 …

Coronavírus. Mercados chineses continuam a vender morcegos

Nem com a pandemia de covid-19 a China abre mão dos seus velhos hábitos. Embora o novo coronavírus tenha tido origem num mercado de animais exóticos, em Wuhan, muitos destes sítios continuam a funcionar normalmente …

No Twitter, o discurso de ódio contra chineses cresceu 900%

A L1ght, uma empresa que mede a toxicidade das plataformas digitais, partilhou recentemente um relatório no qual revela que o discurso de ódio contra a China e contra os chineses teve um crescimento de 900%. Donald …

Há mais pessoas em quarentena do que vivas durante a 2ª Guerra Mundial

Um terço da população mundial - 2,6 mil milhões de pessoas - está em quarentena. São mais seres humanos em isolamento do que aqueles que estavam vivos para testemunhar a 2ª Guerra Mundial. Na terça-feira, o …