Nove medalhas depois – e Usain Bolt já é imortal

Usain Bolt conseguiu no Rio 2016 o que nunca ninguém antes fizera no atletismo olímpico, uma tripla vitória em 200 metros, depois de já se ter sagrado tricampeão nos 100 metros, e agora no percurso da estafeta de 4×100 metros pela equipa da Jamaica.

Já se esperava e, este sábado, no Rio de Janeiro, confirmou-se plenamente: o jamaicano reparte com o nadador norte-americano Michael Phelps a primeira linha dos destaques do Rio 2016.

Usain Bolt, a um dia de completar 30 anos de idade, conquistou a famosa  “tripla tripla” no estádio do Engenhão, Rio de Janeiro.

Depois de já se ter sagrado tricampeão nos 100 metros, o atleta jamaicano juntou-lhe o mesmo título nos 200 metros e agora, juntamente com Asafa Powell, Yohan Blake e Nickel Ashmeade, conquistou o ouro pela terceira vez consecutiva no percurso da estafeta de 4×100 metros em 37,27 segundos.

A prata ficou com a equipa japonesa e os norte-americanos chegaram em terceiro lugar mas acabaram por ser desclassificados por invadirem a pista adversária e o bronze sobrou para a equipa do Canadá.

Para Usain Bolt, terá sido o último passo para conquistar a “imortalidade olímpica”, naquela que será a sua ultima prestação numa edição dos Jogos Olímpicos.

“Estou aliviado e orgulhoso, pois tudo se tornou realidade. Sou o maior da história“, atirou o jamaicano depois da corrida.

A vitória nos 200 metros, em 19,78 segundos, fica razoavelmente longe do que Bolt queria e publicamente assumiu: o ataque à marca recorde de 19,19.

Mas o facto é que estas olimpíadas deram três vezes a Bolt o pretexto para fazer o seu célebre “raio” com os braços.

Sem o norte-americano Justin Gatlin na final, nem os seus companheiros de equipa Yohan Blake e Nickel Ashmeade, o favoritismo de ‘lightning’ Bolt ficou reforçado e, com uma partida excelente, o campeão já estava na frente à passagem da curva.

Para os 100 metros finais, inesperadamente não dilatou o avanço, incapaz de correr para recorde, assegurando bem o avanço para quem vinha mais atrás.

Os melhores ‘mortais’, com prata e bronze, foram o canadiano Andre de Grasse (já medalhado nos 100 metros) e o francês Christophe Lemaitre, que assim consegue o resultado da sua carreira.

Na ausência de Gatlin, a ‘honra’ dos Estados Unidos foi defendida por LaShawn Merrit, que fez o que pôde, mas só foi sexto, ainda batido pelo britânico Adam Gemili e o holandês Churandy Martina.

Nação com mais tradições nos 100 e 200 metros nos Jogos Olímpicos, os Estados Unidos nunca ficaram tão subalternizados na velocidade como este ano, muito por culpa do avassalador ‘efeito-Bolt’.

As outras disciplinas do atletismo é que não se mostraram afetadas com isso e os Estados Unidos ‘mandaram’ no decatlo, no lançamento do peso e nas barreiras baixas.

Apostar em Ashton Eaton, recordista mundial e vencedor de todas as grandes provas de decatlo desde 2012, era fácil, sabendo-se que estava em forma. Ganhou no somatório de pontos das 10 provas, com um novo recorde olímpico de 8.893 pontos.

A sua ‘guarda de honra’ no pódio fica entregue ao francês Kavin Mayer, inesperada prata com o recorde nacional de 8.834, e ao canadiano Damian Warner, bronze com 8.666.

Depois de alguns anos menos bons, em que perderam nos Jogos Olímpicos e em Mundiais, os Estados Unidos regressam como primeira potência mundial do lançamento do peso, ‘coroando’ no Rio 2016 um atleta menos esperado da equipa, Ryan Crouser.

A marca conseguida, de 22,52 metros, é de grande nível e constitui novo recorde olímpico, relegando para segundo no pódio Joe Kovacs, apontado como o melhor dos norte-americanos, mas a ficar-se pelos 21,70.

Thomas Walsh, da Nova Zelândia, fechou o pódio, com 21,36, à frente das revelações de ‘nações emergentes’ na especialidade, como o são o congolês Franck Elemba e o brasileiro Darlan Romani.

O campeão olímpico da há quatro anos, o polaco Tomas Majewski, de 35 anos, ainda conseguiu ser sexto e a grande desilusão, em sétimo, foi o alemão David Storl, que era vice-campeão olímpico e bicampeão do mundo.

Kerron Clement, o vice-campeão de 2008, chegou finalmente ao topo do pódio dos 400 metros barreiras, à frente do queniano Boniface Tumuti e do turco Yasmani Copello. O campeão mundial do ano passado, o queniano Nicholas Bett, foi desclassificado nas séries.

Nas barreiras baixas para mulheres, numa prova em que o ‘trono’ estava vago pela exclusão da Rússia, Dalila Moahamad consegue o seu primeiro grande sucesso como sénior, derrotando a dinamarquesa Sarah Slott Petersen e a sua compatriota Ashley Spencer, a negar à checa Zuzana Hejnova novo pódio.

No dardo, confirmou-se o declínio da recordista do Mundo, a checa Barbara Spotaková, de 35 anos, que era dupla campeã e agora não passou do terceiro lugar, com 64,80.

A croata Sara Kolak, apenas no seu segundo ano de sénior, surpreendeu tudo e todos e com um recorde nacional a 66,18 arrebatou a medalha de ouro.

Com a prata ficou a sul-africana Sunette Viljoen, (64,92) confirmando-se como uma presença habitual nos top-5 mas a quem falta ainda um grande sucesso.

Na competição masculina do triatlo, em que Portugal esteve bastante bem, graças ao quinto lugar de João Pereira, assistiu-se a mais um ‘round’ da icónica disputa entre os gémeos Brownlee, com a vitória a sorrir de novo Alistair Brownlee e Jonathan a ficar com a prata, ele que fora bronze há quatro anos.

No terceiro lugar chegou o sul-africano Henri Schoeman.

No boxe, Cuba prosseguiu o seu tradicional domínio na modalidade, com Julio Cesar La Cruz a vencer na final de meios-pesados o cazaque Adilbek Niyazymbetov. A Cuba só faltou um título, nesta edição dos Jogos.

Destaque ainda para os triunfos da Argentina na final de hóquei, sobre a Bélgica – uma estreia – e do Japão sobre a Dinamarca, na final de duplas de badminton, por tangenciais 2-1.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Agência europeia de aviação prepara-se para autorizar regresso do Boeing 737 MAX

A Agência Europeia para Segurança da Aviação (EASA) manifestou hoje intenção de aprovar o regresso da aeronave Boeing 737 MAX aos céus da União Europeia (UE), mas apenas se forem cumpridos requisitos técnicos e de …

Xi Jinping dá os parabéns a Joe Biden pela vitória nas eleições

O Presidente chinês deu os parabéns pela vitória ao Presidente eleito dos Estados Unidos, esta quarta-feira, expressando esperança num espírito de cooperação entre os dois países, para que todos fiquem a ganhar. A China foi uma …

Cristiano Ronaldo é o único português nomeado para os prémios "The Best"

O avançado da Juventus é o único português nomeado para os prémios "The Best", inserido na lista de 11 candidatos na categoria de melhor futebolista de 2020, divulgada hoje pela FIFA. Cristiano Ronaldo reparte a nomeação …

Máscaras descartáveis são de plástico e ameaçam flagelo ambiental. Governo lança campanha de sensibilização

Em plena Semana Europeia de Prevenção de Resíduos, o Ministério do Ambiente e da Ação Climática lançou a campanha “Não Deixes Cair a Máscara”. Por mês, são usadas no país 150 milhões de máscaras. De acordo …

Football Leaks. Julgamento suspenso por 14 dias devido a caso de covid-19

O julgamento do processo Football Leaks foi suspenso por 14 dias, esta quarta-feira, devido à confirmação de um teste com resultado positivo ao novo coronavírus de um familiar de um dos juízes do coletivo. Cerca de …

Morreu El Pibe, Diego Armando Maradona

O antigo internacional argentino Diego Armando Maradona morreu esta quarta-feira aos 60 anos de idade. Foi vítima de uma paragem cardiorrespiratória, avança a imprensa argentina. O estado de saúde do ex-futebolista estava debilitado e, segundo relatos do …

Empresas deixam de estar obrigadas a pôr o código QR nas faturas

A obrigatoriedade de as empresas incorporarem nas faturas o código QR e o código único de documento “traria custos adicionais para as micro pequenas e médias empresas, particularmente na adaptação de sistemas informáticos”. A obrigatoriedade de as …

Bolieiro cita Sá Carneiro e reconhece "exigente missão"

O novo presidente do Governo dos Açores, José Manuel Bolieiro, tomou esta terça-feira posse na Assembleia Legislativa Regional e, citando Sá Carneiro, reconheceu a "exigente missão" que tem pela frente. "Medimos os desafios a enfrentar e …

Escócia é o primeiro país a tornar os produtos menstruais gratuitos

Os produtos de higiene íntima feminina vão passar a ser gratuitos na Escócia. A primeira medida do género em todo o mundo entrará em vigor em janeiro e tem o objetivo de combater a “pobreza …

Fenprof diz que a falta de docentes em algumas escolas se resolvia com oferta de horários completos

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) estima que milhares de alunos continuem sem ter todas as aulas por falta de docentes, um problema que acredita que se resolvia com medidas como completar os horários vagos …