Duterte encoraja polícia a “matar todos” os suspeitos de tráfico de droga

King Rodriguez, Presidential Communications / Wikimedia

O presidente das Filipinas, Rodrigo Roa Duterte

O presidente das Filipinas encorajou o novo chefe da polícia da cidade de Bacolod, no centro do país, a matar todos os suspeitos de tráfico de droga.

“Tens permissão para matar todos”, disse esta quinta-feira Rodrigo Duterte ao tenente-coronel Jovie Espenido, durante uma cerimónia oficial em Manila.

Espenido é conhecido no arquipélago por ter liderado operações nas províncias de Leyte e Misamis Ocidental, no auge da guerra contra as drogas de Duterte, campanha que as organizações não-governamentais estimaram já ter matado quase 30 mil pessoas. Algumas destas operações resultaram na morte de políticos locais, alegadamente implicados no tráfico de drogas.

“Bacolod está atualmente muito mal e por isso escolhi Espenido, que é um oficial muito temido. Já lhe disse que podia matar todos”, disse Duterte, que já encorajara noutras ocasiões as autoridades a matar suspeitos de tráfico de droga. Em janeiro, Duterte destituiu o chefe da polícia e quatro agentes por alegado envolvimento naquele tráfico.

Na segunda-feira, o responsável máximo da polícia das Filipinas, Oscar Albayalde, anunciou a demissão, após suspeitas de ter encoberto, em 2013, agentes policiais suspeitos de venderem grandes quantidades de drogas apreendidas, conhecidos no país como “polícias ninja”. Apesar de ter apresentado a demissão, Oscar Albayalde insistiu na inocência, afirmando nunca ter sido acusado criminalmente ou administrativamente por esta alegada irregularidade. “Consigo ser mais malvado do que vocês”, advertiu Duterte na mesma ocasião, numa advertência aos chamados “polícias ninja”.

Em julho passado, o Conselho de Direitos Humanos da ONU aprovou uma resolução para investigar as supostas execuções extra-judiciais em operações de anti-droga e encarregou a alta comissária Michelle Bachelet de preparar um relatório sobre o assunto, a ser apresentado no próximo ano.

O Governo filipino descreveu a resolução como “desrespeitosa e com motivos políticos” e chamou de “falsos amigos” os países que votaram a favor, como Espanha, Itália, Reino Unido, Argentina, México, Peru, Uruguai e Islândia.

A guerra contra as drogas tem sido uma das bandeiras políticas do Presidente das Filipinas.

Apesar da campanha reunir o apoio de uma boa parte da opinião pública filipina, esta tem merecido a condenação da comunidade internacional na sequência de relatos de assassínios, cometidos pelas forças policiais (e por agentes à paisana) e da existência de atiradores contratados. Segundo as autoridades filipinas, 5.300 pessoas foram mortas pela polícia ao abrigo desta campanha, mas as organizações de defesa dos direitos humanos indicaram que este número ronda as 30 mil.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Filho de Trump lança um livro contra a esquerda e é vaiado pela extrema-direita

Donald Trump Jr., o filho mais velho do atual Presidente norte-americano, é conhecido pela agressividade com que ataca os adversários políticos do pai, e a esquerda em geral. Mas desta vez a principal oposição não …

Rui Rio considera que “silenciar” deputados únicos contraria valores da democracia

Recorrendo ao Twitter, o presidente do PSD, Rui Rio, defendeu esta terça-feira um “estatuto diferente” para os deputados únicos em relação aos grupos parlamentares, mas manifestou-se contra “silenciar completamente a sua voz”. No dia em que …

Ataque com químico corrosivo em infantário chinês deixa 54 feridos

Um total de 51 crianças e três educadores ficaram feridos, entre os quais dois em estado grave, após um ataque com soda cáustica num infantário em Kaiyuan, no sul da China, informaram hoje as autoridades. Um …

PSP alerta para o aumento do número de burlas com o MB WAY

A PSP alertou, esta segunda-feira, para o facto de as burlas relacionadas com a aplicação de pagamentos MB WAY estarem a aumentar. De acordo com a publicação feita na sua página oficial do Facebook, a Polícia …

Rui Moreira admite fazer projetos "de renda acessível" no Porto. Mas Estado tem que financiar 50%

O presidente da Câmara do Porto admitiu na segunda-feira que se o Estado comparticipar com 50% o fundo de investimento para habitação social e renda acessível, a autarquia fará "todos os projetos públicos de renda …

Lalanda e Castro terá "lavado" 70 milhões de euros em sete anos

Paulo Lalanda e Castro, o principal arguido do caso Máfia do Sangue e ex-administrador em Portugal da farmacêutica Octapharma, continua a ser investigado pelas autoridades por suspeitas de fraude fiscal. Segundo avançou o Correio da Manhã, …

Embrulhos com cocaína dão à costa desde outubro no sudoeste de França

Desde outubro, dezenas de embrulhos com cocaína têm dado à costa nas praias do oeste de França, tendo já sido recuperados pelo menos 760 quilogramas desde a região de Saint-Nazaire ao País Basco. Apesar das fortes …

Há uma nova doença a atacar os castanheiros em Portugal

Um investigador da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) alertou esta terça-feira para a podridão da castanha, uma “nova doença” que está a atacar os castanheiros e que atingiu “especial evidência” este ano em …

Descoberta a causa das 39 mortes após uso de cigarros eletrónicos nos EUA

O acetato de vitamina E foi identificado como a causa provável das 39 mortes devido à utilização de cigarros eletrónicos nos EUA, na passada sexta-feira. O uso deste substituto do tabaco também já fez mais de …

Polícia francesa retira manifestantes catalães da autoestrada na fronteira

Manifestantes catalães bloquearam a AP-7, autoestrada que liga Espanha e França, esta segunda-feira, em protesto contra a condenação judicial de vários independentistas.  Segundo o Observador, que cita o jornal espanhol El País, a polícia francesa já …