Durão garante que Sampaio sabia da Cimeira das Lajes

europaportalen / Flickr

José Manuel Durão Barroso

José Manuel Durão Barroso

O ex-primeiro-ministro garantiu que informou o antigo Presidente sobre a realização da Cimeira das Lajes, nos Açores, “quase imediatamente” após receber um pedido nesse sentido do então chefe do Governo espanhol.

Numa declaração escrita à agência Lusa, Durão Barroso considera “absolutamente falso” o argumento de que o antigo Presidente da República foi “o último a saber” da Cimeira das Lajes, realizada em 16 de março de 2003, e que viria a abrir caminho à intervenção militar no Iraque e posterior deposição do regime de Saddam Hussein.

“O meu contacto com o Presidente da República deu-se quase imediatamente, por telefone, após telefonema que recebi de Aznar [chefe de Governo espanhol], solicitando-me que se realizasse em Portugal a reunião com o Presidente dos EUA [George W. Bush] e o primeiro-ministro do Reino Unido [Tony Blair]”, assegurou ex-presidente da Comissão Europeia, na mesma declaração enviada à Lusa.

“O então Presidente, Jorge Sampaio, não só não foi o último a saber, foi na realidade a primeira a pessoa a saber e mesmo a única entidade que eu consultei antes da decisão tomada”, relatou.

Durão Barroso rejeita assim o argumento inscrito no segundo volume da biografia de Jorge Sampaio. No livro, o autor José Pedro Castanheira dá mesmo o título de “Sampaio é o último a saber” a uma das secções do capítulo dedicado à chamada Cimeira das Lajes.

E sustenta a ideia, recorrendo a uma declaração do então assessor diplomático do Presidente da República Bernardo Futscher Pereira: “O Presidente foi avisado de que ia haver uma cimeira em território nacional duas ou três horas antes de ser anunciada oficialmente. Fiquei furioso!”.

José Pedro Castanheira escreve que Jorge Sampaio recebeu um telefonema de Durão Barroso ao início da manhã de sexta-feira, 14 de março de 2003, manifestando “absoluta urgência” em falar-lhe, embora não ao telefone.

Combinaram então um “encontro imediato” no Palácio de Belém, no qual o então primeiro-ministro comunicou ao Presidente que dois dias depois, em 16 de março, iria ter lugar em território nacional aquela que viria a ficar conhecida como Cimeira das Lajes.

“Eu não tinha que autorizar ou deixar de autorizar, dado os poderes que o Presidente tem em política externa. Desde setembro que ele sabia a minha opinião. Respondi-lhe: ‘Se me diz que é uma derradeira e essencial tentativa para a paz e evitar a guerra no Iraque, nada a opor”.

Relativamente ao assentimento presidencial, ambos concordam e Durão Barroso voltou a sublinhar este ponto na declaração que fez esta segunda-feira à Lusa.

“A cimeira não poderia aliás ter tido lugar se o Presidente da República, que é também Comandante Supremo das Forças Armadas, não tivesse concordado com a sua realização dado que a base das Lajes, ainda que cedida temporariamente aos EUA, é uma base militar portuguesa. Seria obviamente impensável realizar-se lá evento político diplomático tão relevante sem o consentimento do Chefe de Estado português”, salientou.

O ex-primeiro-ministro salientou: “o Presidente Jorge Sampaio foi a primeira pessoa a quem referi a hipótese da Cimeira das Lajes e a única por mim consultada a esse respeito”.

Deu o seu acordo quanto à sua realização. Pode naturalmente mudar-se de opinião quanto a essa opção. Mas não pode agora alterar-se aquilo que realmente aconteceu”, afirmou.

Em maio de 2016, o antigo líder do PSD e atual presidente do conselho de administração do banco Goldman Sachs já abordara a concordância prévia de Sampaio. E o ex-Presidente, em artigo de jornal, invocou os mesmos argumentos, designadamente de que “não cabe ao Presidente autorizar ou deixar de autorizar atos de política externa” e de que “nada teria a opor” à cimeira, verificando-se os pressupostos de se tratar de “uma derradeira e essencial tentativa para a paz e evitar a guerra no Iraque”.

Continua por esclarecer se o antigo Presidente foi “o último a saber”, como refere o jornalista José Pedro Castanheira, ou se soube logo após a solicitação espanhola para a realização da cimeira, como assegura Durão Barroso.

A agência Lusa pediu um comentário ao gabinete do ex-Presidente da República sobre as declarações do ex-primeiro-ministro, o que não foi possível até ao início da tarde.

// Lusa

RESPONDER

Bacterias Gram-negativas de Legionella pneumophila

Vítimas do surto de Legionella vão processar o Estado

A associação de apoio às vítimas do surto de legionella de Vila Franca de Xira está inconformada com a acusação do Ministério Público e vai requerer a abertura de instrução e avançar com uma ação …

The Big Bend

Nova Iorque vai ter um incrível arranha-céus em forma de U

O horizonte de Nova Iorque está prestes a receber um dos prédios mais inovadores do mundo. Planos para a construção do primeiro arranha-céu em forma de U do mundo foram oficialmente revelados, e serão um …

O Sol, observado pelo Solar Dynamics Observatory, da NASA, nos dias 27 de Fevereiro e 20 de Março

O Sol está há 3 semanas sem manchas solares

O nosso Sol pode parecer um ponto perfeito de luz intensa, mas raras vezes o é... como tem acontecido nas últimas semanas, em que não têm sido visíveis quaisquer manchas solares. A nossa estrela é bastante …

-

Biquínis enfeitiçados: marca cria coleção inspirada nas princesas da Disney

Com o verão a chegar, a Enchanted acaba de lançar uma nova linha de roupa de banho. A nova colecção de biquínis é inspirada nas princesas da Disney.  A loja e marca de roupa de banho …

Marine Le Pen em comício da Frente Nacional durante a campanha para as presidenciais francesas

Marine Le Pen diz que se ganhar as eleições a União Europeia vai morrer

A candidata da extrema-direita francesa Marine Le Pen afirmou este domingo que se for eleita presidente da França a União Europeia (UE) "vai morrer", porque "as pessoas já não a querem". As afirmações da candidata presidencial …

-

Trump não para de mexer em coisas nas reuniões (entre outras desordens mentais)

O estado mental do novo presidente dos Estados Unidos tornou-se um agitado tema de discussão nas redes sociais, nos meios de comunicação - e até no seio da comunidade científica norte-americana. "Eu não sei o que …

-

Bloco quer preparar com urgência o país para a saída do Euro

A coordenadora do Bloco de Esquerda defendeu hoje a urgência de preparar o país para a saída do euro, rejeitando que Portugal fique "no pelotão da frente" de uma Europa que "caminha para o abismo". Em …

O que poderá ser o novo super-carro McLaren BP23, tal como imaginado pela Autocar

Novo McLaren BP23 vai custar 2,3 milhões de euros

Apesar do seu preço exorbitante, todos os 106 unidades que serão produzidas estão já reservadas por clientes que, além de um sinal de cinco dígitos, tem de já ter hoje em casa, pelo menos, um …

-

Tribunal egípcio condena 56 pessoas por naufrágio que vitimou emigrantes

O Tribunal Penal de Rashid, no Egito, condenou hoje 56 pessoas a penas de dois a 13 anos de prisão pelo naufrágio de um barco que provocou a morte de 203 emigrantes em setembro passado, …

-

Físicos provam que é impossível arrefecer um objecto a zero absoluto

Os físicos Lluís Masanes e Jonathan Oppenheim, da Universidade College London, no Reino Unido, derivaram a terceira lei da termodinâmica a partir dos primeiros princípios. Em janeiro, físicos do Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia dos EUA …