Agora só há dois níveis de combate aos incêndios: permanente e reforçado

Paulo Cunha / Lusa

As cinco fases de combate aos incêndios foram substituídas por dois níveis: o “permanente” e o “reforçado”. O reforço de meios vai ser maior em todos os períodos do ano, especialmente em meses de menor risco como junho e outubro.

Segundo a Renascença, a tradicional divisão do ano em cinco fases de combate aos incêndios, identificadas pelo alfabeto fonético, foi substituída por dois níveis: o “permanente” e o “reforçado”.

Na Diretiva Operacional da Proteção Civil para 2018, a que esta rádio teve acesso, destaca-se também o prometido reforço de meios, em todos os períodos do ano, nomeadamente nos meses de menor risco – junho e outubro – mas precisamente aqueles em que ocorreram as duas tragédias do ano passado.

Antes, o mês de junho estava incluído no período da chamada fase Bravo. Agora, vai-se passar a chamar nível “Reforçado III” e o aumento de meios é significativo: mais quase 1.600 operacionais no terreno, num total de 8.200, mais 340 viaturas e mais oito meios aéreos nos primeiros 15 dias do mês e mais 16 na segunda quinzena.

Se estas alterações se vierem a concretizar, escreve a Renascença, na segunda metade de junho, a Proteção Civil terá 48 meios aéreos, tantos quantos costuma ter na fase mais critica dos meses de verão.

Por sua vez, outubro, que nos últimos dez anos foi conhecido como fase Delta, também passa a chamar-se nível “Reforçado”. Terá mais quase três mil operacionais, mais 450 viaturas e mais 12 meios aéreos.

Relativamente à fase mais crítica, que tinha o nome de fase Charlie – julho, agosto e setembro -, chama-se agora nível “Reforçado IV” e também vai contar, como seria de esperar, com reforço de meios.

De acordo com a rádio, são mais mil operacionais, num total de 10.800, mais 240 viaturas, num total de 2.300, e mais sete meios aéreos, num total de 55, um número que é dos maiores de sempre mas convém lembrar que, da frota de dez helicópteros da Proteção Civil, apenas três estão operacionais.

Esta sexta-feira, o primeiro-ministro dirige-se à sede da Proteção Civil para reunir com a estrutura operacional e conhecer como está a ser preparado o combate aos incêndios.

Em junho de 2017, o incêndio que começou em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, provocou, pelo menos, 66 mortos e mais de 200 feridos. Em outubro do mesmo ano, uma nova vaga de incêndios matou 48 pessoas.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Mexia não vai deixar que chineses interfiram no plano estratégico da EDP

O presidente da EDP, António Mexia, garantiu que não vai deixar que nenhum acionista impeça o desenvolvimento do plano estratégico da empresa, deixando o aviso à China Three Gorges. Em entrevista concedida ao Jornal Económico, António …

Impostos indiretos subiram com Governo de Costa e são já 55% da carga fiscal

Os impostos indiretos têm vindo a aumentar em Portugal. Dados da Direção-Geral do Orçamento mostram que o peso da tributação indireta no total da receita fiscal do subsector Estado, em 2018, ascendeu a 55,4%, o …

Espanha pode ficar isenta de cumprir caudais do rio Tejo por causa da falta de chuva

Os caudais do Tejo podem ficar ainda mais baixos dentro de semanas. Com a falta de chuva, Espanha deverá invocar a exceção prevista na Convenção de Albufeira para não libertar os valores mínimos de água …

Haaland tem cinco namoradas e meio mundo atrás dele (mas pode seguir o caminho da Red Bull)

Apesar do interesse de grandes clubes do futebol mundial, Haaland pode seguir o trilho da Red Bull e transferir-se para do Salzburg para o Leipzig. O norueguês é uma das maiores jovens promessas da atualidade. Erling …

PSD pondera propor fim dos debates quinzenais e torná-los mensais

O PSD está a ponderar apresentar uma proposta para acabar com os debates quinzenais com o primeiro-ministro e torná-los mensais. A proposta passa também pela substituição de um desses "duelos" atuais por um debate temático …

Segunda vítima mortal nos protestos de Hong Kong. Xi Jinping condena manifestações

O quarto dia consecutivo de protestos ficou marcado pela morte de um homem de 70 anos. Esta é a segunda vítima mortal desde o início das manifestações em Hong Kong. De acordo com a imprensa internacional, …

Governo prepara dois novos escalões de IRS para a classe média

O primeiro-ministro afirmou esta quinta-feira que o objetivo do Governo no próximo Orçamento é dar “um primeiro passo” para conferir uma maior progressividade no IRS e diminuir o peso deste imposto sobre os vencimentos da …

Dois procuradores do caso Tancos vão sair do DCIAP

Os procuradores Vítor Magalhães e João Valente, da equipa que investigou o caso Tancos, vão sair do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) no âmbito do movimento de magistrados do Ministério Público (MP), …

Cerca de 40% dos hospitais têm ruturas diárias de medicamentos

Os preços "excessivamente baixos dos medicamentos genéricos" são a causa mais importante identificada pelos hospitais para as ruturas de fornecimento. Quase 40% dos hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) indicam ter diariamente ruturas no fornecimento …

Secretário de Estado: despenalizações como a que absolveu o Benfica vão terminar. "Será inapelável"

João Paulo Rebelo assegurou que a entrada em vigor da lei de combate à violência no desporto evitará situações como a que levou à recente anulação do castigo imposto ao Benfica. O secretário de Estado da …