Dívidas às Finanças somam mais de 6,5 mil milhões (e metade nunca será cobrada)

Existem 218 contribuintes individuais com dívidas superiores a um milhão de euros às Finanças – menos 18 pessoas do que no final de 2014. Do total de mais de 6,5 milhões em dívidas, é provável que metade deste valor nunca chegue a ser cobrado.

De acordo com Domingues de Azevedo, bastonário da Ordem dos Contabilistas Certificados (OCC), a lista de devedores ao fisco conta, no total, com cerca de 28 mil pessoas com dívidas superiores a 7.500 euros.

Muitas delas são empresários em nome individual e sócios-gerentes que respondem pelas dívidas das respectivas empresas – a prova, de acordo com o bastonário, de que quem entra na lista negra das Finanças dificilmente sai. “As taxas aplicadas aos rendimentos de um empresário em nome individual é de 48%, enquanto uma sociedade tributa 21%. Há já quatro anos, pelo menos, que não compensa” ser empresário em nome individual. “Estas pessoas estão na lista há muitos anos”, afirma ao Diário de Notícias.

“As dívidas de valor elevado são difíceis de cobrar e não vejo alterações fundamentais na atividade económica que justifiquem a redução”, explica Domingues de Azevedo. A quebra nos números em relação ao ano passado justifica-se, possivelmente, “ou pela abertura de falência ou pela prescrição das dívidas”, afirma.

De acordo com o DN, 53% dos devedores – 15 mil pessoas – encontram-se no patamar mais baixo da lista negra das Finanças, onde se concentram dívidas entre 7.500 e 25 mil euros.

Na fasquia seguinte, entre 25 mil e 50 mil euros, encontram-se à volta de seis mil pessoas; entre 50 mil e 100 mil são mais 3.700 contribuintes e entre 100 mil e 250 mil euros quase 2.400. A Autoridade Tributária contabiliza ainda mais de 1.100 pessoas com dívidas entre 250 mil e um milhão de euros.

Ao todo, entre empresas e contribuintes singulares, as dívidas às Finanças somam mais de 6,5 mil milhões de euros – qualquer coisa como 3,5% do PIB.

O bastonário dos contabilistas alerta que a forma mais rápida de sair da lista acaba por ser mesmo através da prescrição do prazo de pagamento. “Não se reconhece socialmente uma mudança notória da economia para que haja lugar a pagamentos desta dimensão”, afirma ao DN, assumindo que num futuro próximo o cenário deverá manter-se inalterado.

O mesmo vale para empresas com dívidas elevadas – eram 13 com valores superiores a cinco milhões. “Uma empresa que chega a este ponto já está numa situação de descontrolo. A sua viabilidade está comprometida e para que os pagamentos aconteçam é preciso que se encontre uma perspetiva de retoma do fluxo financeiro”, afirma o bastonário.

Assim, os programas especiais que permitem pagamento de dívidas em atraso dão algum incentivo, mas não são suficientes por si só. “Há um grande oceano de empresas e pessoas em grandes dificuldades. Por isso é que metade da dívida de seis mil milhões de euros nunca será cobrada“.

O bastonário ironiza ainda: “Já vale a pena pedir um crédito ao banco para pagar uma dívida ao fisco. É que os juros rondam os 2% a 3% e a Autoridade Tributária cobra cerca de 6%.”

ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

A Volocopter apresenta o seu táxi voador mais potente (e já andou no ar)

https://vimeo.com/355573555 Desde 2013 a Volocopter tem vindo a aprimorar o seu projeto de táxi voador. Desta vez, o design é mais redondo, mais simples e mais potente. O Volocopter é uma aeronave 100% elétrica que os criadores …

Israel desenvolve terapia à base de ecstasy para tratar stress pós-traumático

O Ministério da Saúde israelita desenvolveu uma terapia à base de MDMA - o componente ativo da metanfetamina popularmente conhecida como 'ecstasy' - para tratar pessoas que sofrem de stress pós-traumático resistente. Num entrevista sobre a …

Quaresma de saída do Besiktas. "Presidente não me quer na equipa"

Revelação feita pelo jogador, no Instagram: "Acabei de ser informado pelo presidente do clube que ele não quer que eu continue a jogar na equipa. Estou a tentar encontrar solução para o meu futuro". O internacional …

O Dr. House português diz que 90% dos médicos só fazem "fantochadas"

É conhecido como o Dr. House português, numa referência à série televisiva norte-americana, pela forma como faz diagnósticos certeiros. E Vítor Brotas que trabalha no Hospital dos Capuchos, em Lisboa, admite que é "um médico …

Homem morre após ataque de vespas asiáticas. É a segunda morte por picadas de insecto em 2 dias

Um homem de 79 anos de idade morreu nesta sexta-feira em Oliveira do Bairro, Aveiro, após ter sido atacado por vespas asiáticas. Dois dias antes, outro homem de 50 anos faleceu na região da Beira …

Polícia antimotim dispersa manifestantes em Hong Kong com gás lacrimogéneo

A polícia antimotim de Hong Kong carregou hoje com gás lacrimogéneo sobre manifestantes que tinham erigido uma barricada no bairro de Kwun Tong, no Este da antiga colónia britânica. Embora os protestos tenham decorrido de forma …

Eleições. CDU vai manter campanha clássica, mas dispensa o "lombo assado"

O chefe do maior partido da Coligação Democrática Unitária (CDU), que junta comunistas e ecologistas, assumiu enfado com carne assada nas jornadas e ações de esclarecimento pelo país, mas garante uma campanha eleitoral nos cânones …

Bloco quer mais funcionários públicos e quotas por raça nas universidades

O BE afirma, no programa eleitoral disponibilizado hoje na íntegra, que "é o partido que quer e pode impedir uma maioria absoluta", um resultado nas eleições legislativas que faria Portugal "voltar ao passado da arrogância …

Balas com defeito que encravam armas. PSP confirma, mas diz que não é um problema

A Polícia de Segurança Pública (PSP) confirma que estão a ser utilizadas algumas balas com defeito que até encravam as armas, nos treinos dos candidatos a agentes na Escola Prática de Polícia. Mas garante que …

Espírito Santo escondeu 30 milhões de euros na Suíça com 'barriga de aluguer'

O Banque Privée Espírito Santo (BPES), banco do Grupo Espírito Santo (GES) na Suíça que está em fase de liquidação, terá ocultado 30 milhões de euros das autoridades através de uma 'barriga de aluguer'. Esse dinheiro …