Dívidas às Finanças somam mais de 6,5 mil milhões (e metade nunca será cobrada)

Existem 218 contribuintes individuais com dívidas superiores a um milhão de euros às Finanças – menos 18 pessoas do que no final de 2014. Do total de mais de 6,5 milhões em dívidas, é provável que metade deste valor nunca chegue a ser cobrado.

De acordo com Domingues de Azevedo, bastonário da Ordem dos Contabilistas Certificados (OCC), a lista de devedores ao fisco conta, no total, com cerca de 28 mil pessoas com dívidas superiores a 7.500 euros.

Muitas delas são empresários em nome individual e sócios-gerentes que respondem pelas dívidas das respectivas empresas – a prova, de acordo com o bastonário, de que quem entra na lista negra das Finanças dificilmente sai. “As taxas aplicadas aos rendimentos de um empresário em nome individual é de 48%, enquanto uma sociedade tributa 21%. Há já quatro anos, pelo menos, que não compensa” ser empresário em nome individual. “Estas pessoas estão na lista há muitos anos”, afirma ao Diário de Notícias.

“As dívidas de valor elevado são difíceis de cobrar e não vejo alterações fundamentais na atividade económica que justifiquem a redução”, explica Domingues de Azevedo. A quebra nos números em relação ao ano passado justifica-se, possivelmente, “ou pela abertura de falência ou pela prescrição das dívidas”, afirma.

De acordo com o DN, 53% dos devedores – 15 mil pessoas – encontram-se no patamar mais baixo da lista negra das Finanças, onde se concentram dívidas entre 7.500 e 25 mil euros.

Na fasquia seguinte, entre 25 mil e 50 mil euros, encontram-se à volta de seis mil pessoas; entre 50 mil e 100 mil são mais 3.700 contribuintes e entre 100 mil e 250 mil euros quase 2.400. A Autoridade Tributária contabiliza ainda mais de 1.100 pessoas com dívidas entre 250 mil e um milhão de euros.

Ao todo, entre empresas e contribuintes singulares, as dívidas às Finanças somam mais de 6,5 mil milhões de euros – qualquer coisa como 3,5% do PIB.

O bastonário dos contabilistas alerta que a forma mais rápida de sair da lista acaba por ser mesmo através da prescrição do prazo de pagamento. “Não se reconhece socialmente uma mudança notória da economia para que haja lugar a pagamentos desta dimensão”, afirma ao DN, assumindo que num futuro próximo o cenário deverá manter-se inalterado.

O mesmo vale para empresas com dívidas elevadas – eram 13 com valores superiores a cinco milhões. “Uma empresa que chega a este ponto já está numa situação de descontrolo. A sua viabilidade está comprometida e para que os pagamentos aconteçam é preciso que se encontre uma perspetiva de retoma do fluxo financeiro”, afirma o bastonário.

Assim, os programas especiais que permitem pagamento de dívidas em atraso dão algum incentivo, mas não são suficientes por si só. “Há um grande oceano de empresas e pessoas em grandes dificuldades. Por isso é que metade da dívida de seis mil milhões de euros nunca será cobrada“.

O bastonário ironiza ainda: “Já vale a pena pedir um crédito ao banco para pagar uma dívida ao fisco. É que os juros rondam os 2% a 3% e a Autoridade Tributária cobra cerca de 6%.”

ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

Se chover durante a estadia, esta ilha italiana reembolsa os turistas

Há uma ilha italiana que reembolsa os turistas em aso de chuva. A iniciativa desafia as unidades hoteleiras a reembolsarem os clientes se chover mais de duras horas durante o dia. Se é daquelas pessoas que …

Prada deixa de usar peles a partir de fevereiro de 2020

A marca italiana dirigida por Miuccia Prada anunciou o fim da utilização de peles de animais a partir do próximo ano. A coleção apresentada em fevereiro de 2020, correspondente ao outono-inverno 2020/21, será a primeira …

Líderes falam em abstenção e apelam ao voto. Está "um dia maravilhoso para votar"

Cerca de 10,7 milhões de eleitores vão eleger os 21 deputados ao Parlamento Europeu. À boca das urnas, foram vários os líderes políticos que exerceram o seu direito de voto apelando à participação dos portugueses. A …

Se o mundo vivesse como os portugueses os recursos naturais acabavam hoje

Os recursos naturais da Terra chegavam este domingo ao fim se todas as pessoas do planeta consumissem como os portugueses. Na União Europeia, a Estónia e a Dinamarca já esgotaram os recursos em março passado.  Os …

Até às 16 horas, só votaram 23,37% dos eleitores

As eleições para o Parlamento Europeu, que decorrem desde as 08h00 deste domingo em Portugal, registaram uma afluência às urnas de 23,37% até às 16:00, segundo dados da Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna. A percentagem …

Cientistas analisaram vómito de tubarão e descobriram algo inesperado

Um estudo divulgado na terça-feira revelou que o tubarão-tigre também se alimenta de pássaros terrestres, para surpresa dos cientistas. Os tubarões são bastante ecléticos no que toca a comia. As presas vão desde peixes a invertebrados, …

ADN reúne irmãos de países diferentes fruto de uma história de amor da 2ª Guerra Mundial

André Gantois, um francês de 73 anos que passou décadas a tentar descobrir quem era o seu pai, nunca imaginou que a busca chegaria ao fim graças a uma feliz e inesperada coincidência e que …

Foram encontrados ossos de crocodilo no deserto de Israel (mas ninguém sabe como foram lá parar)

Uma equipa de arqueólogos ficou perplexa ao encontrar ossos de crocodilo no deserto de Israel. A incrível descoberta foi feita por cientistas da Universidade de Haifa, na região de Neguev – uma área desértica no …

Empréstimo da CGD a Isabel dos Santos passou por Malta, um dos paraísos fiscais europeus

Uma investigação jornalística descobriu que Isabel dos Santos controlava 13 sociedades em Malta. Uma dessas sociedades serviu para fazer o negócio com a Caixa Geral de Depósitos para a entrada na ZON. Segundo o Expresso, a …

Sérgio Conceição recusou cumprimentar Frederico Varandas. "São formas de estar diferentes"

Sérgio Conceição recusou cumprimentar Frederico Varandas quando este lhe estendeu a mão na tribuna presidencial do Estádio do Jamor. O presidente do Sporting fala em "formas de estar diferentes". Depois de ter perdido a Taça de …