/

“Estratégia suicida”. Discussões sobre corrupção geram “bastante incómodo” dentro do PS

1

ascenso.simoes / Facebook

Ascenso Simões, deputado do PS

Ascenso Simões foi um dos deputados do PS que não gostou das declarações de Constança Urbano de Sousa sobre João Cravinho, tendo em conta o tema da corrupção.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Em entrevista ao Polígrafo SIC esta segunda-feira, o ex-ministro das Obras Públicas João Cravinho, que criou um Plano Anticorrupção em 2006, garantiu que este só não avançou porque o então primeiro-ministro José Sócrates não quis.

Entretanto, a vice-presidente da bancada do PS, Constança Urbano de Sousa, veio contrariar as declarações do antigo governante. A deputada socialista argumenta que o pacote Cravinho “foi praticamente todo concretizado” e o PS não tem de ter vergonha nem medo, mas antes “muito orgulho” de falar sobre corrupção.

Ora, as críticas da bancada parlamentar socialista a João Cravinho geraram alguma indignação dentro do próprio partido. O deputado Ascenso Simões disparou contra a “estratégia suicida” dos socialistas, escreve o Observador.

Ascenso enviou uma série de e-mails aos colegas, nos quais critica o que considera ser uma “estratégia suicida no argumentário” e uma “falta de sentido estratégico” que pode mesmo levar a um “processo de autodestruição”.

“Não tivesse bastado uma intervenção infeliz e temos um novo capítulo no ataque a João Cravinho”, lamenta o deputado, questionando: “Não conseguiremos encontrar o ponto certo que importa? (…) Que interesse tem a contabilidade de propostas aprovadas e rejeitadas e que eram da autoria de Cravinho? Que interesse tem fecharmos os olhos ao que a sociedade portuguesa tem por adquirido? Esta estratégia suicida no argumentário leva-nos a que saída?”.

“O confronto no grupo parlamentar não é uma coisa boa de fazer. Em boa verdade tentamos ser uma família. Mas a falta de sentido estratégico a que se assiste é profundamente danosa para o futuro”, lê-se ainda num dos emails ao qual o Observador teve acesso.

Contactado pelo jornal online, o deputado recusou comentar, limitando-se a dizer: “As coisas que digo ao Grupo Parlamentar ficam no grupo parlamentar. Tenho pena que alguém difunda correio pessoal”.

Ascenso Simões não será o único incomodado com o ataque do PS a Cravinho. Vários parlamentares relataram existir “bastante incómodo” com as declarações de Constança Urbano de Sousa.

A direção da bancada tentou, na reunião desta quinta-feira, acertar o tom, apontando para a “injustiça” das declarações de Cravinho, escreve ainda o Observador.

  Daniel Costa, ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.