Diretor do Polígrafo era sócio de empresa de consultoria envolvida no caso Máfia do Sangue

(dr) Wook

O jornalista Fernando Esteves, diretor do Polígrafo

Fernando Esteves, diretor do jornal Polígrafo, que acumulou a função de jornalista e editor de política na Sábado, entre 2005 e abril de 2017, manteve ao mesmo tempo uma participação na Alter Ego, empresa de serviços de consultoria em comunicação, revelou esta terça-feira a revista em questão.

Essa informação, divulgada pela Sábado, faz parte da acusação do Ministério Público no processo Máfia do Sangue, no qual consta que a Alter Ego trabalhou para a Octapharma e para Paulo Lalanda e Castro, o principal arguido. Acontece que as profissões de jornalista e de assessor são incompatíveis.

De acordo com aquele órgão de comunicação, Lalanda e Castro, ex-diretor da Octapharma em Portugal, e o médico Luís Cunha Ribeiro contrataram a Alter Ego tratar da sua assessoria, através de um contrato feito com o sócio de Fernando Esteves, Pedro Coelho dos Santos.

Segundo os registos comerciais da empresa, referidos pela Sábado, Fernando Esteves foi sócio da Alter Ego até 2018. Contactado, apenas admitiu àquele órgão de comunicação ter sido “negligente” no acompanhamento das contas da empresa. Afirmou ainda que desconhecia os clientes do seu sócio Pedro Coelho dos Santos.

Na passada semana, o médico Luís Cunha Ribeiro foi acusado pelo Ministério Público, ex-presidente do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e da Administração Regional de Saúde (ARS) de Lisboa e Vale do Tejo, de um crime de corrupção passiva e de mais outros dez ilícitos de falsificação, abuso de poder e branqueamento de capitais. Paulo Lalanda e Castro foi acusado de 21 crimes, incluindo três de corrupção ativa.

Acusadas de um crime de corrupção passiva foram ainda uma médica imuno-hemoterapeuta, que trabalha no Hospital de São João, no Porto, e uma farmacêutica, que fazia parte da Associação Portuguesa de Hemofilia. O advogado Paulo Farinha Alves foi acusado de falsificação na forma tentada e de branqueamento de capitais. A irmã de Lalanda e Castro está acusada de três de falsificação e dois de branqueamento.

ZAP //

PARTILHAR

13 COMENTÁRIOS

  1. Que credibilidade pode ter esse tal programa da SIC com o nome parolo (para quem não tiver estudado física) de «polígrafo»?
    E a credibilidade da própria SIC também não deixa de ser «abalada, deixando dúvidas quanto a eventual participação em «negócio da lavandaria» de personalidades!

  2. Não foi este “rapazinho” Fernando esteves que, enquanto escriba do grupo cofina escreveu um livro so bre Sócrates com o o titulo de “Cercado – os dias fatais de ´José Sócrates”????? O “rapazinho” afginal também foi “cercado” pelas vigarices que cometeu. Diz agora que foi “negligente”!! Será a nova designação de “criminoso”???? Cá se fazem, cá se pagam, com lingua de palmo e meio! Tão sério que o “rapazinho” é!!!!!!!!

      • ZAP, não existiriam mais fotos que poderiam ilustrar o acusado? Teria mesmo que ser uma que o acusado escolheu? Corporativismo 1.0, nada de novo

        • Caro leitor,
          Não foi o jornalista que escolheu a foto, fomos nós, de entre as que havia disponíveis. Não havendo fotos disponíveis que tivéssemos autorização de publicação (por exemplo na Lusa, ou de um banco de imagens de domínio público, ou com licença creative commons), recolhemos a foto de uma capa de livro – cujo uso, não tendo sido expressamente dado, se enquadra no conceito de fair use policy / direito de informação. Nas palavras de um dos nossos próprios jornalistas, “parece um cantor”. Sim, parece, apenas não é a capa de um disco – é a capa de um livro, e é a que havia. Ficou melhor do que usar outra vez a foto de sacos de plasma que temos usado neste tema.
          De qualquer forma, é surreal e disparatado estar a discutir a escolha da foto e não o conteúdo da notícia, pelo que damos o assunto por encerrado.

    • Mas a foto é importante?
      Não me diga só vê bonecos !!! Caso contrário leia o texto e ignore a foto.
      Sinceramente o boneco que aparece na foto não é o Fernando?

      Até ele ser julgado, e considerado culpado, ele é presumivelmente inocente, O MP tem de provar a sua culpa, não o contrário.
      Quando isso acontecer, peça ao ZAP para colocar a imagem do homem com algemas, despenteado e com olheiras, preferência com olhos franzidos para parecer mais ameaçador.

      Até lá, esta foto serve, não cabe ao ZAP fazer o homem parecer mau ou um anjinho, mas sim usar imagens autorizadas nos bancos de dados.

RESPONDER

Cientistas criam algoritmo para identificar covid-19 a partir do som da tosse

Investigadores de vários países criaram um algoritmo que afirmam poder identificar se uma pessoa tem covid-19 a partir do som da sua tosse. Cientistas do México, Estados Unidos, Espanha e Itália, liderados por uma equipa do …

Para proteger o fundo do mar, novo sistema permite atracar vários barcos com uma só "âncora"

Quando vários barcos se amontoam numa enseada durante a noite, cada um deles lança uma âncora que pode potencialmente danificar os corais e a vida marinha no fundo do mar. O sistema Seafloat foi criado …

Japão e Estados Unidos assinam acordo de cooperação para exploração da Lua

O Ministério da Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia do Japão e a agência espacial dos Estados Unidos (NASA) assinaram um acordo de colaboração entre os dois países no programa Artemis, para a exploração da …

Washington Redskins mudam de nome por ser considerado racista

A equipa de futebol americano, até aqui denominada de Washington Redskins, vai abandonar essa designação, considerada de teor racista, para designar nativos da América do Norte. Em comunicado, a equipa de Washington explicou que, depois de uma …

Flores precisaram de cerca de 50 milhões de anos para se tornarem o que são hoje

As plantas com flor evoluíram há cerca de 100 milhões de anos, mas precisaram de outros 50 milhões de anos para diversificar e tornarem-se aquilo que são hoje, sugere uma equipa de investigadores. Os cientistas documentaram …

Estudo sugere que imunidade à covid-19 pode desaparecer em poucos meses

A imunidade adquirida por anticorpos após a cura da covid-19 pode desaparecer em alguns meses, o que poderá complicar o desenvolvimento de uma vacina eficaz a longo prazo, sugere um estudo britânico divulgado esta segunda-feira. "Este …

60 anos depois, já se sabe o que aconteceu aos 9 russos que desapareceram na Montanha da Morte

Passados 61 anos, o mistério da morte de nove esquiadores russos que faziam uma caminhada pelos Montes Urais, perto da chamada Montanha da Morte, foi finalmente resolvido. Em 1959, nove viajantes russos que faziam uma caminhada …

Médicos Sem Fronteiras é "institucionalmente racista", acusam atuais e ex-colaboradores

Uma declaração assinada por mil atuais e ex-funcionários revela que a Organização Não Governamental (ONG) Médicos Sem Fronteiras (MSF) é "institucionalmente racista" e reforça o colonialismo e a supremacia branca no trabalho humanitário que pratica. Na …

Empresa culpada pela crise de opioides fez contribuições políticas após declarar falência

A Purdue Pharma, empresa culpada pela crise de opioides nos Estados Unidos, fez contribuições políticas após ter sido processada e declarado falência. Os opioides são usados para aliviar a dor, mas também provocam uma sensação exagerada …

Norte-americano morre após ir a festa para provar que a covid-19 é uma farsa

Um norte-americano de 30 anos, de San Antonio, no estado do Texas, morreu de covid-19 depois de ir a uma festa para provar que a doença era uma farsa, informou a media local. O homem foi …