/

Dino D’Santiago arrasado após denunciar taxista. Instagram bloqueia vídeo

6

Dino D’Santiago / Facebook

O cantor Dino D´Santiago.

O cantor Dino D´Santiago.

O cantor Dino D’Santiago está a ser muito criticado pelo vídeo que fez a denunciar um taxista que se recusou a transportá-lo para a Amadora. Além disso, o Instagram bloqueou a publicação que fez a divulgar a situação.

É o próprio Dino D’Santiago quem nota que o Instagram bloqueou o seu vídeo. “Podem bloquear as nossas partilhas, mas nunca bloquearão a vontade de mudança por um mundo novo”, escreve no seu perfil, numa nova publicação.

O cantor tinha desactivado os comentários na publicação que fez a denunciar um taxista que se recusou a transportá-lo para a Amadora, depois de ter saído de um concerto no Coliseu dos Recreios em Lisboa.

Dino D’Santiago justifica que o fez “porque a troca de mensagens de ódio e insultos a terceiros já nada tinha a ver com o propósito do manifesto de pura indignação”.

Nas redes sociais, o cantor está a ser bombardeado com críticas, nomeadamente de pessoas que entendem que não há qualquer vestígio de racismo no episódio com o taxista.

O colunista do Observador Alberto Gonçalves questiona mesmo se “é racismo chamar pateta a Dino D´Santiago”. No seu espaço de opinião na Rádio Observador, Gonçalves começa por assumir que nunca tinha ouvido falar do cantor que é uma das mais importantes figuras actuais da música portuguesa, com vários prémios ganhos nos últimos anos e até com uma colaboração com Madonna.

“De racismo ali há muito pouco ou absolutamente nada”, defende o colunista do Observador, notando que Dino D´Santiago “aproveitou uma coisa absolutamente banal” para “jogar a carta racial” que “costuma ser um trunfo no jogo público de hoje em dia” e, com isso, conseguir “arrancar likes”.

“Conseguiu ser notado por mim que não o conhecia”, atira ainda, frisando que “puxou a si um estatuto de vítima” que “ninguém com algum bom senso consegue ver nesta situação”.

Também no Twitter há quem fale de uma “ideia estúpida de vitimização”, salientando que o episódio “não é racismo em parte alguma”. “A discriminação racial foi dele, para ele próprio“, aponta uma utilizadora desta rede social.

“Não se brinca com assuntos sérios como o racismo, Dino”, aconselha ainda outro utilizador do Twitter, frisando que “o único crime” que existe aqui “foi o de gravação e de divulgação de imagens sem consentimento”.

No seu perfil no Instagram, Dino D´Santiago destaca que nunca falou de racismo numa resposta a um comentário de uma utilizadora, explicando que “esta narrativa utilizada pelo taxista que negou a viagem, é a mesma que utilizaram anteriormente para [o] transportarem de Vilamoura ao Bairro da Abelheira, ou do centro do Porto a Canidelo (Vila Nova de Gaia)”. “Isto significa que de Norte a Sul, todas as zonas são perigosas?”, questiona o músico.

Este tipo de casos “foi acontecendo durante toda a minha vida e pela primeira vez tive a oportunidade de captar”, refere ainda Dino D´Santiago.

Não foi, não é e, infelizmente, não será um caso isolado, tem acontecido desde sempre, mas, desta vez, tive um taxista que acabou por me transportar a casa, que me incentivou e bem a denunciar, pois sabia que nenhum táxi fica parado numa praça de táxis à espera de alguém. E muito menos fará uma viagem de Lisboa-Porto às 00:20. Mesmo que fizesse, a sra. por quem alegou esperar, não conseguiria pagar uma viagem do Rossio ao Cais do Sodré?”, atira ainda o músico.

“O meu apelo é para todos os filhos e filhas dos subúrbios que, durante toda uma vida, foram obrigados a esconder as suas moradas e origens, para que o simples acto de utilizar um serviço público não fosse considerado “uma ameaça.””, acrescenta.

“Não façam como eu fiz durante a minha vida toda, ficar no silêncio, aceitando e normalizando porque afinal “é assim.””, aconselha também, frisando que “só depende de nós a mudança”.

“Talvez seja difícil para a grande maioria perceber que é nestes actos simples, de apanhar um táxi e ser negado esse direito vezes sem contas, passando de taxista em taxista, até que um decida que não somos uma ameaça, para que percebamos que realmente ainda não somos todos iguais“, nota também o cantor.

Dino D´Santiago tem recebido o apoio de figuras como os cantores Carolina Deslandes e Diogo Piçarra, a actriz Joana Seixas e a apresentadora de televisão Rita Ferro Rodrigues. “Inadmissível”, escreve Deslandes, enquanto Ferro Rodrigues fala em “vergonha alheia”.

Também Ana Gomes se junta a este apoio ao músico, sublinhando “muito bem, Dino” numa publicação no Twitter. “É mesmo isso: filmá-los, expô-los, envergonhá-los e obrigar MP a ir atrás deles/as: racismo é crime!”, nota a ex-candidata à Presidência da República.

Associação de Táxis acusa cantor de “incitar ao ódio”

Entretanto, a Associação Nacional Táxis Unidos de Portugal (ANTUP) reagiu, em comunicado, notando que a denúncia de Dino D´Santiago “denigre a imagem de um sector de forma abrangente incitando ao ódio“. “Basta ver as dezenas de comentários”, frisa ainda, lamentando a “atitude” do músico.

A ANTUP nota ainda que o artigo 17 da lei 251/98 define que “os táxis devem estar à disposição do público”, mas que também podem “existir algumas excepções para a recusa” de um serviço.

“Qualquer tipo de situação onde a lei não seja cumprida deverá ser denunciada em sede própria a fim de seguir os trâmites legais”, destaca por fim.

  Susana Valente, ZAP //

6 Comments

  1. Casei com alguém de quem nunca gostei. Mas fui obrigad por “valores superiores”.
    Passado muito tempo o mal estar é insuportável.
    De quem é a culpa?
    1- De ninguém
    2- De mim
    3- Dos “superiores”
    4 De todos

    Vamos a votos!

  2. Parece que houve um choramingas parecido com o Dino, que se queixou de um concurso tipo ídolos” que o regeitaram porque houve racismo…
    E houve também um jornalista na altura a tralhar para a SIC, que discordou da versão do Dino…
    Se a memória não me falha, penso que o referido jornalista era parecido com o Daniel Nascimento, que também não tenho visto na referida estação…Mais uma vítima de racismo ?!
    Dino, tens o meu apoio. Penso até que a maioria que o povo português deu ao António Costa nas eleições legislativas, foi mesmo uma manifestação de racismo ou até de ódio…

  3. En termos de pleonasmo , digo Eu , que “O ódio é odioso” , sobretudo quando instigado . Seria tão simples , apresentar “simplesmente” queixa no sitio certo com a indicação da matricula e entrar noutro Taxi ! …. mas que de melhor as redes Sociais para incentivar o Ódio ? …. quem sêmea ventos recolhe tempestades !

    • Caro atento, estou absolutamente de acordo. Assino por baixo.

      É claro que há e sempre houve Aproveitamento por parte das ditas minorias para levar vantagem. Sempre foi assim e sempre será, até deixarmos de ser pacóvios.

      Sejamos claros, Dino quis claramente fazer-se de vítima, e violou flagrantemente os direitos do Taxista.

  4. Ainda não perceberam, que ele quer é ser falado.
    Minha filha casou com um angolano, pelo que para mim este tipo de vídeos, só cria ódios, de ambos os lados, o que me deixa bastante preocupado quanto á segurança dos dois num futuro próximo.
    Começou assim com os judeus e ciganos na Alemanha

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.