Novas imagens revelam detalhes sobre a origem do asteroide “osso de cão”

ESO/Vernazza, Marchis et al./MISTRAL algorithm (ONERA/CNRS)

Uma equipa de astrónomos obteve as imagens mais nítidas e detalhadas de sempre do asteroide Cleópatra, conseguindo pistas de como este corpo celeste, parecido a um osso de um cão, e as suas duas luas se formaram.

Os resultados das novas observações foram publicados em dois artigos científicos na revista Astronomy & Astrophysics.

Uma equipa de cientistas revelou novas imagens do asteroide Cleópatra – conhecido como asteroide “osso de cão” devido à sua forma.

As novas observações permitem perceber que este objeto tem cerca de 270 quilómetros de comprimento – aproximadamente a distância entre Lisboa e Faro.

A orbitar entre Marte e Júpiter, há 20 anos, várias observações deste objeto mostraram que possui dois lóbulos conectados por um “pescoço” grosso – daí ser conhecido como asteroide “osso de cão”.

Já em 2008, percebeu-se que este asteroide tinha duas luas, a AlexHelios e a CleoSelene, que foram assim designadas em homenagem aos filhos de Cleópatra.

Agora, Franck Marchis, astrónomo do Laboratório de Astrofísica de Marselha (França), usou fotografias do asteroide recolhidas entre 2017 e 2019 com o instrumento SPHERE instalado no VLT (que o Observatório Europeu do Sul, ou ESO, tem no Chile) e, juntamente com outros investigadores, criaram os modelos tridimensionais mais precisos da sua forma até ao momento.

À medida que o asteroide ia rodando sobre si mesmo, foi possível observá-lo a partir de diversos ângulos e criar os mais exatos.

“O estudo de objetos peculiares faz avançar bastante a ciência e penso que o Cleópatra é precisamente um desses objetos. Por isso, perceber este sistema múltiplo e complexo de asteroide pode ajudar-nos a compreender melhor o nosso sistema solar”, afirma Franck Marchis em comunicado.

Num outro estudo publicado na Astronomy & Astrophysics, uma equipa liderada por Miroslav Brož, da Universidade Charles em Praga, determinou a precisão das órbitas das duas luas de Cleópatra.

A pesquisa permitiu concluir que estas não estavam exatamente onde investigações anteriores tinham previsto. Também devido às novas observações e análises, a equipa conseguiu calcular a massa do asteroide, que é 35% mais baixa do que se tinha estimado antes.

Este grupo de investigadores calculou um novo valor para a densidade do asteroide – que também se revelou menor do que aquilo que se tinha visto antes. No comunicado, a equipa refere que a densidade é menor que metade da densidade do ferro e, sendo baixa, sugere que o objeto terá uma estrutura porosa e poderá ser “pouco mais do que um monte de entulho”.

Isto pode querer dizer que Cleópatra se formou quando material se voltou a acumular após um grande impacto.

Os astrónomos esperam obter mais detalhes sobre o asteroide nos próximos anos. Em 2027, o Observatório Europeu do Sul irá iniciar um novo observatório denominado Extremamente Grande Telescópio (ELT), adianta o Live Science.

  ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Venezuelização" do país. Governo arrasado pelos descontos para os combustíveis no IVAucher

O anúncio do Governo de um desconto de 10 cêntimos por litro de combustível abastecido, através do programa IVAucher, está a ser duramente criticado por muitos portugueses. E há até quem fala na "venezuelização" do …

covid, Lisboa

Plano da DGS avança os três cenários que podem levar a novo confinamento

A Direcção-Geral da Saúde publicou o plano de combate à pandemia para este Outono / Inverno com base em três cenários. O surgimento de uma nova variante com características que permitam a evasão do vírus …

A tábua babilónica que se descobriu ter a representação de um fantasma.

Tábua babilónica tem a mais antiga representação de um fantasma (e explica como livrar-se dele)

Foi oficialmente descoberta a representação mais antiga de um fantasma numa tábua de argila babilónica com 3.500 anos, que estava guardada no Museu Britânico, em Londres. A ilustração estava no museu desde o século XIX, mas …

Eleições ou continuar a governar se o OE chumbar? "Estou preparado para tudo".

O primeiro-ministro disse esta sexta-feira estar preparado para continuar a governar, mesmo que o Orçamento para 2022 chumbe, mas adiantou que respeitará se o Presidente da República tiver um entendimento diverso e convocar eleições antecipadas. Esta …

A humanidade sobreviveu a cinco apocalipses. E está preparada para mais

Nos últimos meses, a atenção mediática tem recaído sobre temas como pandemias, vulcões, sismos e outras catástrofes a que, não sendo novidades, a humanidade tem vindo a sobreviver de forma quase inexplicável. Pandemias, vulcões, sismos, cheias …

OE. Costa promete salário mínimo de 850 euros em 2025 e aumento de pensões em janeiro

O secretário-geral do PS, António Costa, afirmou esta sexta-feira que é intenção do Governo elevar o salário mínimo aos 850 euros em 2025 e aumentar o mínimo de existência no próximo ano, isentando de IRS …

Cientistas portugueses ajudam a descobrir novo mecanismo para regeneração muscular

O músculo é conhecido por se regenerar através de um processo complexo que envolve várias etapas e depende de células-tronco. Mas uma nova pesquisa apresenta um novo mecanismo. Um novo estudo liderado por investigadores do Instituto …

Investigadores de Harvard utilizam corantes para armazenar dados

Na era digital, quase tudo é possível. Uma equipa de químicos de Harvard desenvolveu um novo sistema que utiliza misturas de sete corantes fluorescentes disponíveis comercialmente para armazenar ficheiros de dados. É comum pensarmos no armazenamento …

Uma impressão artística de um impacto gigantesco no sistema estelar HD 17255

Dois planetas envolveram-se num choque tão violento que um deles perdeu a atmosfera

Uma equipa de astrónomos encontrou provas de uma gigantesca colisão entre dois planetas num sistema planetário jovem, localizado a 95 anos-luz da Terra. A poeira à volta da jovem estrela HD 172555, de 23 milhões de …

Rorhwerk, o maior instrumento musical do mundo

Rohrwerk, uma obra de arte efémera, é a maior "fábrica do som" do mundo

Uma espécie de "pavilhão do som". Alunos da Escola Politécnica de Lausanne (EPFL), na Suíça, criaram um novo instrumento musical, o maior alguma vez construído. Com 45 metros de altura, a obra de arte imponente …