O “asteróide bola de golfe” está repleto de crateras. São fruto do seu passado violento

ESO / MIT

Novas imagens do asteróide Pallas reveladas recentemente pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) mostram que a sua superfície é repleta de crateras, semelhante à textura de uma bola de golfe.

Pallas, assim batizado em homenagem à deusa grega da sabedoria, foi descoberto em 1802. Com quase 400 quilómetros de diâmetro, é o terceiro maior objeto do cinturão de asteróides, possuindo cerca de um sétimo do tamanho da Lua.

Agora, uma nova investigação levada a cabo por cientistas do MIT revelou imagens detalhadas deste corpo rochoso que demonstram que a sua estranha fisionomia se deve a uma série de impactos que sofreu no passado.

“A órbita de Pallas implica impactos a uma velocidade muito elevada”, explicou o autor principal do estudo, Michael Marsset, citado em comunicado. “A partir destas imagens, podemos dizer agora que Palla é o objeto com mais crateras que conhecemos no cinturão de asteróide. É como descobrir um mundo novo”.

Ao todo, foram identificadas 36 crateras com mais de 30 quilómetros de diâmetro, aproximadamente um quinto do diâmetro da cratera Chicxulub, no México, cujo impacto na Terra terá ditado o fim dos dinossauros há 65 milhões de anos.

Estas crateras parecem cobrir pelo menos 10% da superfície de Pallas, o que “sugere uma história violenta de colisão”, escreveram os cientistas no novo artigo, cujos resultados foram esta semana publicados na revista científica especializada Nature Astronomy.

Os cientistas do MIT suspeitam que o passado violento de Pallas esteja relacionado com a sua órbita enviesada: enquanto que a maioria dos objetos no cinturão de asteróides se move mais ou menos ao longo do mesmo trajeto elíptico em torno do Sol, a órbita inclinada de Pallas faz com que passe pelo cinturão em ângulo.

Por este motivo, sustenta a equipa, qualquer colisão que Pallas sofra causará cerca de quatro vezes mais danos do que colisões entre dois asteróides de uma mesma órbita.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Retificação ao diploma do lay-off simplificado trava despedimentos

Uma retificação ao diploma inicial do ‘lay-off’ simplificado, hoje publicada, vem acautelar que nenhum trabalhador de empresas que recorra a este apoio pode ser alvo de despedimento coletivo ou extinção de posto de trabalho. O decreto-lei …

Rocha desafia teoria da escassez de oxigénio na Terra primitiva

Uma rocha sedimentar única rica em carbono, depositada há dois mil milhões de anos, deu aos cientistas novas pistas sobre as concentrações de oxigénio na superfície da Terra nessa época. De acordo com a agência Europa Press, …

As bactérias formam comunidades na nossa língua (e uma imagem revela como)

Cientistas norte-americanos descobriram que as bactérias que vivem na nossa língua têm uma organização complexa e altamente estruturada. Os micro-organismos estão em toda a parte - até no interior da nossa boca. Um novo estudo revela …

Como sobreviver ao isolamento? Astronautas explicam

Em todo o mundo, cidades e até países inteiros estão em quarentena como forma de travar a propagação do novo coronavírus, Covid-19. Alguns astronautas deixaram conselhos sobre como sobreviver ao isolamento. Para alguns, o auto isolamento …

"Indiana Jones do mundo da arte" recupera manuscrito do poeta persa Hafez

Uma das primeiras cópias do reverenciado Divan do autor do século XIV Hafez, iluminado com ouro, será leiloado no início de abril. O famoso poeta persa do século XIV, Hafez, escreveu uma coleção de versos místicos …

O palco onde os Beatles atuaram pela primeira vez está à venda

O palco de madeira onde os Beatles atuaram pela primeira vez está à venda. Agora, alguém poderá replicar o primeiro concerto da famosa banda. A 10 de abril, em comemoração dos 50 anos da separação da …

Células estaminais podem ajudar a proteger os astronautas da radiação espacial

Assim que os astronautas deixam a proteção do campo magnético da Terra, ficam automaticamente expostos a níveis elevados de radiação cósmica. A Agência Espacial Europeia (ESA) está cada vez mais focada em investigações para reduzir …

Pandemia pode trazer nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas

A pandemia de Covid-19 pode trazer uma nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas como limpeza de superfícies infetadas ou vigiar pessoas em quarentena, afirmam esta quarta-feira alguns dos principais investigadores internacionais em …

Multimilionários refugiam-se da Covid-19 a bordo de iates

Vários multimilionários têm procurado refugiar-se da pandemia de Covid-19, que nasceu em dezembro passado na China, em alto mar, a bordo de iates de luxo. Em declarações ao jornal The Telegraph, Jonathan Beckett, executivo da …

Este mamífero consegue sobreviver a quase sete mil metros de altura

Cientistas pensam ter confirmado que um pequeno rato descoberto no vulcão Llullaillaco, nos Andes, é o mamífero que consegue viver à maior altitude já conhecida (6739 metros). Segundo o IFLScience, o Phyllotis xanthopygus rupestris foi descoberto, …