Desenvolvimento económico leva idiomas à extinção

prathambooks / Flickr

Um estudo da Universidade de Cambridge concluiu que um dos efeitos colaterais do desenvolvimento económico é o risco de extinção de alguns idiomas.

Analisando diversas partes do mundo, incluindo regiões desenvolvidas como a Europa, América do Norte e a Austrália, o estudo concluiu que o progresso económico caminha de mãos dadas com a dominação das línguas faladas por minorias pela língua dominante, mais poderosa.

Cerca de 25% das línguas do mundo estão atualmente ameaçadas, estima o coordenador do estudo, Tatsuya Amano, que afirma que idiomas com poucos nativos, como o alto tanana (ou tabesna), que é falado por menos de 25 pessoas no Alasca, nos Estados Unidos, estão na linha de frente da ameaça de extinção.

Na Europa, a língua sami de Ume, da Escandinávia, e o occitano auvernês, da França, também estão a desaparecer.

“Muitos idiomas em todo o mundo estão a perder-se rapidamente. É uma situação muito séria. Por isso, queríamos investigar de que forma a extinção se distribui globalmente”, disse Amano, que normalmente estuda as taxas de extinção entre animais.

Os investigadores divulgaram as suas conclusões na publicação Proceedings of the Royal Society B.

Desaparecimento de vozes

De acordo com o estudo, quanto mais sucesso económico um país obtém, mais rapidamente a diversidade dos seus idiomas nativos diminui.

“Na medida em que as economias se desenvolvem, uma língua frequentemente passa a dominar as esferas políticas e educacionais de uma nação”, diz Amano.

“As pessoas são forçadas a adotar a língua dominante ou correm o risco de serem abandonados – económica e politicamente.”

O estudo aponta que nos trópicos e na região dos Himalaias o risco de perdas linguísticas é particularmente alto, porque nestes locais combinam-se dois fatores: o alto número de idiomas falados por pequenos grupos e o rápido crescimento económico vivenciado por estas partes do globo.

Comentando o estudo, o diretor executivo da ONG Aliança pelas Línguas Ameaçadas, Daniel Kaufman, diz que a diversidade dos idiomas no mundo é cada vez mais definida por fatores sociais, políticos e económicos.

Para Kaufman, essa diversidade linguística, “que foi originalmente moldada pelo meio ambiente”, dá hoje lugar a um “padrão moldado por políticas e realidades económicas”.

ZAP / BBC

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Grande novidade o Português também está em vias de extinção.

    Os Chef´s portugueses também dizem Bacon em vez de toucinho. Salada Iceberb em vez de Alface americana e por ai fora.

    Depois temos apresentadores que dizem Lounge em vez de Salão. Assim como temos pseudo atores que dizem casting em vez de audição e workshop em vez de seminário. E muitos mais exemplo haveria.

    Enfim

RESPONDER

"Ministra da Insensibilidade Social". CDS pede a demissão de Ana Mendes Godinho

O CDS criticou este sábado a reação da ministra a Solidariedade Social à morte de 18 idosos num lar em Reguengos de Monsaraz e considerou que Ana Mendes Godinho desvaloriza o impacto da pandemia nos …

Esgotos de dois milhões de portugueses monitorizados para prever segunda vaga de covid-19

Os esgotos de dois milhões de portugueses estão a ser monitorizados para detetar a eventual presença do vírus da covid-19 e prever uma nova vaga. O Jornal de Notícias avança este sábado que a análise está …

Covid-19. Mais 198 infetados e 3 mortes em Portugal

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 198 casos de infeção por covid-19 e três óbitos, de acordo com o boletim epidemiológico publicado pela Direção-Geral da Saúde (DGS). O boletim epidemiológico Direção-Geral da Saúde (DGS) desde …

Média já divulgaram publicidade institucional (mas Estado ainda não lhes pagou)

O Sindicato dos Jornalistas lamentou esta sexta-feira que o Governo não tenha disponibilizado os 15 milhões de euros relativos à compra antecipada de publicidade institucional, vincando que o executivo está em dívida com as empresas …

Autoridades admitem que extrema-direita vá vigiar manifestações antifascistas de domingo

A Frente Unitária Antifascista anunciou que vai organizar no próximo domingo duas manifestações - uma Lisboa (Praça Luís de Camões) e outra no Porto (Avenida dos Aliados). O mote é a luta contra o fascismo. Estas manifestações …

Marcelo não entende por que Portugal continua na "lista negra" do Reino Unido (e leu os relatórios de Reguengos)

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse, em declarações transmitidas pela RTP3, que não entende porque é que Portugal continua na "lista negra" do Reino Unido. Em declarações transmitidas pela RTP3 a partir de …

Estado só recuperou 21% dos créditos tóxicos do BPN

O Estado apenas recuperou 21% dos créditos tóxicos do Banco Português de Negócios, que derivaram da nacionalização da instituição bancária em 2008. Até final de 2019, o Estado só conseguiu recuperar 21% da carteira de créditos …

Novas matrículas "só" vão durar 45 anos (por causa das palavras obscenas)

O novo formato de matrículas entrou em vigor a 2 de março. As novas matrículas vão durar menos tempo do que poderiam porque não serão usadas combinações “que possam formar palavras ou siglas que se …

Novo lay-off conta apenas com 1% das adesões do simplificado

O sucedâneo do lay-off simplificado conta apenas com 1.268 adesões nas primeiras duas semanas. Este valor é apenas 1% do número de empresas que acederam ao primeiro apoio. Nas primeiras duas semanas desde a sua implementação, …

Trump promove falsa teoria de que Kamala Harris não nasceu nos EUA (e que não será elegível para vice)

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que ouviu que Kamala Harris, candidata democrata à vice-presidência da Casa Branca, não era elegível para o cargo, com base num boato que sugeria que pode não …