/

Descoberto um planeta semelhante à Terra na estrela mais próxima do Sol

1

M. Kornmesser / European Southern Observatory

Conceito artístico do planeta Próxima b em órbita da sua estrela, Próxima Centauri

Conceito artístico do planeta Próxima b em órbita da sua estrela, Próxima Centauri

Astrónomos descobriram um planeta extrassolar a orbitar a estrela mais próxima do Sol, com condições favoráveis para ter na sua superfície água líquida, elemento fundamental para a vida, anunciou esta quarta-feira o OES – Observatório Europeu do Sul.

A apenas uma estrela de distância, um planeta pode ser outra Terra. O exoplaneta chama-se Proxima b e orbita a sua estrela, Proxima de Centauro, uma anã vermelha, a cada 11 dias.

A estrela, localizada na constelação de Centauro, a 4,22 anos-luz da Terra, é invisível a olho nu, por ser pequena e pouco brilhante, e é relativamente fria.

De acordo com um comunicado do OES, o Proxima b tem uma massa semelhante à da Terra, apenas 1,3 vezes superior à do ‘planeta azul’, sendo um possível candidato a albergar vida, uma vez que tem uma “temperatura adequada para a água líquida existir na sua superfície”.

Com efeito, Proxima b está na zona habitável da sua estrela: à distância certa, nem demasiado perto, que tornaria a sua temperatura demasiado alta, nem demasiado afastado, o que faria dele uma rocha gelada.

Os resultados da descoberta são publicados esta quinta-feira na revista científica Nature.

O planeta, que se encontra muito perto da sua estrela, a uma distância inferior à que separa a Terra do Sol, foi detetado a partir de vários telescópios, incluindo os do OES, organização da qual Portugal faz parte, no Chile.

A equipa internacional de astrónomos, liderada por Guillem Anglada-Escudé, astrónomo da universidade britânica Queen Mary, em Londres, crê que, a existir água líquida no Próxima b, tal seria nas regiões mais quentes do planeta.

A rotação do Proxima b, a forte radiação emitida pela sua estrela e a história da formação do planeta tornam, segundo os cientistas, o seu clima muito diferente do da Terra, sendo pouco provável que o exoplaneta tenha estações.

Para os astrónomos, o planeta Proxima b poderá servir de alavanca para a procura de evidências de vida noutros sítios do Universo, para lá da Terra.

Um dos cientistas envolvidos na descoberta, James Jenkins, da Universidade do Chile, disse à Lusa que a equipa pretende “procurar evidências da atmosfera” de Proxima b e, a confirmar-se a sua existência, estudar a sua composição, “procurar água ou outras moléculas, e finalmente vida“.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

“Encontrar este planeta foi como descobrir um terreno de primeira classe mesmo no nosso bairro”, disse ao New York Nimes o astrónomo Avi Loeb, da Universidade de Harvard.

Viajar até Proxima b, o planeta habitável mais próximo de nós, é infelizmente ainda impossível. Mas este pode ser o planeta que um dia vai acolher os primeiros terráqueos a viver fora da sua Terra.

ZAP / Lusa

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE