O código neuronal da ansiedade pode ter sido finalmente descoberto

Os cientistas podem ter descoberto a assinatura neuronal da ansiedade e da tristeza. De acordo com um novo estudo, estes sentimentos podem estar associados à “conversa” entre duas áreas do cérebro. 

Para a descoberta, os cientistas rastrearam as conversas elétricas que ocorrem no cérebro, isto é, ouviram e analisaram os sinais que estas regiões cerebrais partilham mutuamente.

Quando uma pessoa se sentia mais em baixo, descobriram os cientistas, a comunicação entre as células neuronais de duas áreas específicas aumentava. Segundo a publicação, divulgada nesta quarta-feira na revista Cell, estas áreas cerebrais estão diretamente envolvidas na memória e não emoção

Apesar de se verificar um aumento na comunicação celular destas duas áreas, não é ainda certo se este acréscimo é a causa ou o efeito dos sentimentos em si, como o mau humor, notaram os cientistas. No entanto, a pesquisa permitiu definir qual é a área do cérebro onde se desenrola o fenómeno.

De forma bem mais clara, a pesquisa evidenciou que a ansiedade, a depressão  o humor tem manifestações físicas no cérebro – e isso é bom para os pacientes. “Para muitos pacientes é muito importante saberem se, quando estão deprimidos, isso se deve a algo mensurável e concreto no seu cérebro”, disse o co-autor do estudo Vikaas Sohal, psiquiatra da Universidade da Califórnia, em São Francisco.

“Para alguns pacientes, [a descoberta] pode fornecer uma validação importante e remover o estigma, impulsionando-os a procurar um tratamento adequado”, sustentou.

Procedimento experimental

Para obter estes resultados, a equipa recorreu a uma técnica apelidada de  eletroencefalografia intracraniana (EEG) que, tal como o próprio nome indica, implica implantar elétrodos ou fios elétricos dentro do crânio e do próprio cérebro. Depois da implantação, os cientistas conseguem registar a atividade elétrica das células cerebrais.

Estudos realizados anteriormente sobre a atividade cerebral e as emoções recorreram, na sua grande maioria, a ressonâncias magnéticas funcionais (fMRI) – imagens que medem as mudanças no fluxo sanguíneo no cérebro. Contudo, este era um método de medição de “forma indireta”, que não é capaz de “medir as mudanças na atividade cerebral que ocorrem muito rapidamente”, exemplificou Sohal.

Em contrapartida, implantar elétrodos no cérebro de um paciente é um procedimento mais invasivo. Tendo isto em conta, os médicos selecionaram para o estudo pacientes que estavam à espera de cirurgia tendo, por isso, elétrodos já implantados – neste caso, foram acompanhados 21 pacientes com epilepsia cujos elétrodos foram utilizados para mapear as zonas do cérebro que estavam a causar convulsões.

Os cientistas acompanharam a atividade cerebral dos pacientes entre sete a dez dias, registando os seu humor através de “diários de humor”.

A investigações descobriu que em 13 dos 21 pacientes o mau humor estava associado a um aumento entre a comunicação da amigada (região cerebral associada ao processamento de emoções) com o hipocampo (região envolvida na memória).

“A ideia de que as memórias de experiências e emoções negativas está intimamente relacionadas é uma pressuposto antigo da Psiquiatria e está no cerne da terapia cognitivo-comportamental”. Agora, as novas descobertas “podem representar uma base biológica para essa relação”, concluiu o cientista.

Tal como nota a Medical News Today, esta é a primeira vez que uma investigação científica analisa padrões cerebrais profundos ao longo de vários dias. Mais do que isso, a pesquisa regista as medições neuronais em situações diárias, podendo revelar-se importante para combater a condição médica e o estigma que lhe está associado.

PARTILHAR

RESPONDER

Turquia retém avião com ventiladores para Espanha

A ministra das Relações Exteriores de Espanha, Arancha González Laya, disse esta sexta-feira que as autoridades da Turquia retêm em Ancara um avião oriundo da China com ventiladores, para combater a pandemia de covid-19. A ministra …

Arqueólogos revelam condições horríveis de campo de concentração nazi no Reino Unido

Uma equipa de arqueólogos revelou as condições horríveis de um campo de concentração nazi em Alderney, a ilha britânica mais setentrional do Canal da Mancha, onde estavam prisioneiros políticos e trabalhadores forçados durante a Segunda …

Governo quer reabrir ensino secundário a 4 de maio. Telescola deve arrancar depois da Páscoa

O Governo está a preparar a reabertura das escolas apenas para o ensino secundário para 4 de maio. Ainda falta ouvir a Direção-geral da Saúde, os especialistas, o Conselho Nacional de Educação e o Conselho …

“Não há razão para alarme”. Governo quer perdoar penas até dois anos e antecipar liberdade condicional

A proposta de lei do Governo que estabelece um regime excecional para as prisões, no âmbito da pandemia covid-19, já deu entrada na Assembleia da República, podendo ser consultada na página oficial do Parlamento. No diploma, …

O nosso cérebro evoluiu para acumular mantimentos (e julgar os outros por fazer o mesmo)

O nosso cérebro evoluiu de uma forma que, em situações de stress, acumulamos mantimentos e julgamos os outros por fazer exatamente o mesmo. Os media estão repletos de histórias – e a condenação – de pessoas que …

Autarca de Vieira do Minho denuncia: testes estão a ser desviados para Lisboa

O Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Gerês/Cabreira, Vieira do Minho, detetou 77 infetados pelo novo coronavírus, com os autarcas da área a reclamarem contra a demora na distribuição de testes, disse esta sexta-feira à …

Trump recomenda uso de máscaras (mas recusa-se a usá-las)

Esta sexta-feira, os Estados Unidos tiveram, pelo quarto dia consecutivo, o maior número de mortes em 24 horas, num total de 1.094, e contam com quase 30 mil novos casos. No seu briefing diário, de acordo …

A Antártida já foi uma floresta tropical

A Antártida pode ter sido o lar de ecossistemas quentes e pantanosos cercados por fetos e árvores coníferas há 90 milhões de anos, altura marcada pelo auge dos dinossauros. Uma análise do solo antigo extraído da …

Algumas estrelas têm "veneno" dentro de si (e é por isso que explodem)

Algumas estrelas têm um "veneno" dentro de si: o elemento néon no núcleo das estrelas pode desencadear uma reação química que leva a uma morte definitiva e explosiva. Estrelas menos massivas, como o nosso Sol, expandem-se …

Criada tecnologia que traduz pensamentos diretamente em texto

Uma equipa de investigadores diz ter criado um sistema capaz de traduzir sinais cerebrais diretamente em texto escrito. Este é um passo promissor para que no futuro seja possível escrever num computador apenas com o …