Deputado não pode chamar “porcaria” a sessão de orientação sexual. BE avança com queixa

ppdpsd / Flickr

Sessão de apresentação da candidatura de Bruno Vitorino, deputado do PSD, à Câmara Municipal do Barreiro

As deputadas Joana Mortágua e Sandra Cunha vão apresentar queixa da publicação na qual o deputado do PSD Bruno Vitorino apelidou de “porcaria” a sensibilização de alunos sobre orientações sexuais.

A publicação em causa já não se encontra online. No entanto, como o ZAP noticiou no sábado, o deputado do PSD Bruno Vitorino insurgia-se contra uma sessão que tinha como objetivo “promover a igualdade de géneros e sensibilizar os alunos para as diferentes orientações sexuais”. O deputado e vereador na autarquia do Barreiro questionou: “Mas que porcaria é esta?

“Vergonha Governo socialista. Vergonha ministro da Educação. Vergonha Escola do Barreiro. ‘Sensibilizar’ alunos de 11 anos sobre ‘diferentes orientações sexuais’? Com associações LGBTI à mistura?? Que porcaria é esta? Cada um pode ser o que quiser, mas deixem as crianças ser crianças. Deixem as crianças em paz! Adultos a avançar sobre este campo junto de crianças é perverso. Isto tem de parar!”, escreveu.

A publicação era acompanhada por uma fotografia de uma folha sobre a sessão no agrupamento de escolas, na qual se podia ler que o objetivo era “promover a igualdade de géneros e sensibilizar os alunos para as diferentes orientações sexuais”. A sessão teria o custo de 50 cêntimos por aluno e o dinheiro reverteria para a Associação LGBTI.

A publicação, que entretanto foi eliminada, provocou a indignação das deputadas do Bloco de Esquerda, Joana Mortágua e Sandra Cunha.

Segundo o Público, as bloquistas decidiram apresentar queixa à Comissão para a Igualdade de Género e, também no Facebook, Sandra Cunha lamentou que Bruno Vitorino ache uma “vergonha educar para a igualdade e contra a discriminação em função de um dos princípios consagrados na Constituição da República”.

Além disso, a deputada acrescentou que lamenta o facto de o deputado social-democrata considerar que “sensibilizar alunos de 11 anos para as diferentes orientações sexuais” seja “uma ‘porcaria perversa’”.

“O comentário público feito a propósito de uma sessão promovida por uma escola do Barreiro no âmbito da disciplina de Educação Sexual com a Rede Ex Aequo é inaceitável para quem tem responsabilidades políticas e reflete um preconceito que não deve existir nem na educação nem na política. Por isso eu e a Joana Mortágua vamos fazer uma queixa à Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género sobre a publicação de Bruno Vitorino.”

Também Joana Mortágua se pronunciou acerca do mesmo assunto, desta vez no Twitter. A deputada do Bloco escreveu que o comentário de Bruno Vitorino é “inaceitável”.

Não aceito este tipo de ‘doutrinação’

Depois da publicação inicial, Bruno Vitorino escreveu uma outra, na qual garante que “nunca discriminei ninguém em função da sua orientação sexual, do seu partido político, da sua raça, cor de pele, religião ou clube ou seja o que for. Tenho amigos homossexuais, heterossexuais, e muitos que nem sei que orientação têm ou deixam de ter”.

No entanto, o deputado do PSD deixa claro que não aceita este tipo de “doutrinação”. “Não aceito este tipo de ‘doutrinação’ nas escolas com miúdos destas idades. Ainda mais com associações totalmente duvidosas. Acho uma vergonha”, afirma.

No entanto, o deputado acrescenta que “não são ofensas organizadas, isoladas ou em matilha” que o “vão condicionar” e garante que aceita, “como sempre”, “opiniões contrárias”.

Questionado pela Lusa, Bruno Vitorino, também líder da distrital de Setúbal do PSD, disse não achar “normal que uma associação LGBTI possa ir a uma escola fazer palestras de orientação sexual a miúdos de 11 anos”.

Uma coisa é defender a igualdade de género, outra é afirmar à força uma ideologia de género”, atirou o social-democrata para quem estas associações não estão preparadas para falar em escolas.

“Trabalhou-se o respeito”

Ao Público, a diretora do agrupamento de escolas de Santo André, Arlete Cruz, explicou que a palestra era dirigida a duas turmas, uma do 6.º ano e outra do 8.º, e que dos 54 alunos, 44 foram autorizados pelos pais a participar.

A sessão, que se realizou no âmbito da Educação para a Cidadania, era sobre “igualdade de género”. “Trabalhou-se o respeito”, disse Arlete cruz ao matutino.

“O que gerou polémica foi dizerem que andávamos a angariar dinheiro para a associação. O que não é verdade. Como é hábito na escola, as famílias costumam comparticipar as actividades. Os 50 cêntimos eram para transportes dos palestrantes. A associação não nos pediu nada. Quem esteve na escola foram duas pessoas da Rede Ex Aequo”, explica ainda.

Ainda assim, Arlete Cruz admite que a formulação presente na folha sobre a sessão, e na qual se diz que o dinheiro reverte para a associação, não é a mais feliz.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Companhia aérea australiana oferece voos de 7 horas (para lugar nenhum)

A companhia aérea australiana Qantas anunciou recentemente planos para um voo panorâmico de sete horas que fará um loop gigante em Queensland e Gold Coast, New South Wales e os remotos centros do interior do …

Barack Obama vai publicar um livro de memórias (mas só depois da eleições de novembro)

O livro de memórias do antigo Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, só vai ser publicado depois das eleições presidenciais de novembro. Uma enxurrada de livros políticos chegou às prateleiras nas últimas semanas, no final da …

Confrontos em Londres entre polícia e opositores das restrições devido à pandemia

A polícia de Londres, Inglaterra, entrou hoje em confronto com manifestantes que protestavam contra as restrições que visam conter a disseminação do novo coronavírus. De acordo com a agência Associated Press (AP), os confrontos ocorreram quando …

Milhares infetados por bactéria após fuga em fábrica farmacêutica chinesa

Milhares de pessoas no noroeste da China contraíram uma doença bacteriana depois de uma fuga que causou um surto numa biofarmacêutica no ano passado. De acordo com a CNN, que cita relatos dos media locais, mais …

Guardas da Revolução do Irão prometem vingar morte do general Soleimani

O chefe dos Guardas da Revolução, o exército ideológico do Irão, garantiu hoje que a morte do general Qassem Soleimani, alvo de um raide aéreo dos Estados Unidos, será vingada em “todos os seus implicados”. “Senhor …

"O mundo está no momento mais perigoso da história humana", diz Noam Chomsky

O professor norte-americano Noam Chomsky, conhecido como o pai da linguística moderna, advertiu que o mundo está no momento mais perigoso da história da humanidade devido à crise climática, à ameaça de guerra nuclear e …

Portugal com 849 novas infecções por covid-19. Há 20.722 casos activos

Portugal registou 849 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, mantendo-se a tendência de subida verificada nos dias anteriores. Mas o número de pacientes recuperados também não era tão alto desde Julho. O boletim da …

A Grândola Vila Morena abafou "a maior marcha alguma vez vista" do Chega

Com a Praça do Giraldo, em Évora, dividida por barreiras anti-motim, os participantes da concentração "Pela Liberdade" receberam os apoiantes do Chega de André Ventura ao som de "Grândola Vila Morena" e empunhando cravos vermelhos …

Pandemia assola Irão. EUA com mais 888 mortos. 19 países europeus bateram recorde de casos

Naquele que é o número mais elevado de casos diários desde abril, a Alemanha registou 2.297 novos contágios, 19 países europeus já ultrapassaram o recorde de casos do pico da pandemia. O Irão ultrapassou as …

Rangel "é um turista do carago". SMS atestam que Vieira usou Benfica em "benefício pessoal"

Luís Filipe Vieira é um dos acusados da Operação Lex, com o Ministério Público (MP) a alegar que o presidente do Benfica utilizou o clube em "benefício pessoal" para obter uma cunha do juiz Rui Rangel. O …